ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, QUARTA  17    CAMPO GRANDE 27º

Cidades

Operação da PF de MS vai abastecer CPI das Pirâmides Financeiras

Esquema foi descoberto com apreensão de esmeraldas e suspeita é de 1,3 milhão de vítimas

Aline dos Santos | 22/08/2023 08:45
Dinheiro em espécie apreendido na operação La Casa de Papel. (Foto: Divulgação/PF)
Dinheiro em espécie apreendido na operação La Casa de Papel. (Foto: Divulgação/PF)

Liderada pela PF (Polícia Federal) de Dourados, a operação “La Casa de Papel” vai abastecer a CPI das Pirâmides Financeiras, comissão parlamentar de inquérito que está em curso na Câmara dos Deputados (Brasília) e investiga criptomoedas.

O esquema, revelado a partir de apreensão de dois quilos de esmeraldas pela PRF (Polícia Rodoviária Federal) em Rio Brilhante, foi alvo de operação em setembro do ano passado. A estimativa é de 1,3 milhão de vítimas, com movimentação de R$ 124,3 milhões.

Na segunda-feira (dia 21), o juiz da 3ª Vara Federal de Campo Grande, Bruno Cezar da Cunha Teixeira, autorizou o compartilhamento da investigação da Polícia Federal com a CPI das Pirâmides Financeiras. Os documentos serão encaminhados ao presidente da comissão, o deputado federal Aureo Ribeiro (Solidariedade-RJ).

“Os elementos dos autos são de interesse do procedimento investigatório em andamento.  Vale ressaltar que o Brasil é signatário da Convenção das Nações Unidas contra o Crime Organizado Transnacional ( Decreto 5.015/2004), conhecida como Convenção de Palermo, que prevê, em seu artigo 7º, b, a cooperação e troca de informações em âmbito nacional e transnacional como essencial estratégia de controle do crime organizado, em particular para o combate à lavagem de dinheiro”, afirma o magistrado.

Ainda de acordo com o juiz, o pedido da CPI para compartilhamento de provas se mostra justificado em face das coincidências teóricas entre os objetos das investigações, bem como frente à necessidade de evitar que se despendam recursos públicos, materiais e humanos na repetição da coleta de provas já validamente produzidas.  A decisão destaca que as comissões parlamentares de inquérito poderão ter acesso, inclusive, a dados sigilosos.

Apreendido em operação, veículo I/BMW X6 tem avaliação inicial em R$ 744 mil. (Foto: Divulgação)
Apreendido em operação, veículo I/BMW X6 tem avaliação inicial em R$ 744 mil. (Foto: Divulgação)

Pirâmide - Conforme a “La Casa de Papel”, o grupo investigado seria especializado na captação de recursos financeiros de terceiros, a pretexto de gerir os respectivos investimentos, apesar de não possuírem autorização para funcionar como instituição financeira.

A investigação da Polícia Federal reporta o caminho dos investimentos. Primeiro, a pessoa se cadastrava no site da Trust Investing, que ofertava planos de 15 dólares a cem mil dólares.

Com o cadastro, era gerada uma wallet (carteira) para o investidor, que seria usada para comprar e receber em criptoativos. Paga-se o plano com o token (espécie de criptomoeda), que flutua na proporção de 1x1 com o dólar americano. Do total investido, 60% irão para investimentos em trading (operações de compra e venda), criptomoedas e compra de outros ativos. Os outros 40% serão para expansão da Trust, com cotas diárias disponibilizadas para saques.

Além disso, após um ano de investimento, o grupo orienta a investir o dobro do capital inicial ou renovar com o mesmo valor. Há também a opção de trazer novos investidores e aquele que convidar essas pessoas ganha comissão pelas indicações. Contudo, os recursos seriam desviados para aquisição de bens de luxo.

A lista de réus tem o músico Patrick Abrahão Santos Silva, esposo da cantora Perlla, e apontado como um dos “cabeças” do grupo.

Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

Joias e carrões - Com alvos no Rio de Janeiro, São Paulo, Rio Grande do Sul, Goiás, Maranhão e Santa Catarina, a PF apreendeu 16 veículos, incluindo modelos de luxo como Porsche Cayenne, Porsche Boxter, Mercedes Benz, Audi e BMW, além de lancha e jet sky.

Usadas como atrativo para garantir a segurança do investimento em criptomoedas, as esmeraldas apreendidas totalizaram 268 quilos. O saldo de apreensões da La Casa de Papel também inclui gado (100 cabeças), ovelhas (75), R$ 21.000, 9.250 dólares, 1.280 euros, 250 mil dólares  em criptoativos, joias, relógios e canetas.

A 3ª Vara da Justiça Federal de Campo Grande também determinou bloqueio de 20 milhões de dólares.

A CPI - A comissão foi instalada em junho e tem 120 dias para concluir os trabalhos. Prazo que pode ser prorrogado por mais 60 dias, desde que haja requerimento assinado por 1/3 dos deputados. São investigados esquemas de pirâmides financeiras com o uso de criptomoedas.

Segundo a CVM (Comissão de Valores Mobiliários), ao todo, 11 empresas teriam realizado fraudes utilizando moeda digital, como a divulgação de informações falsas e promessa de rentabilidade alta ou garantida para atrair as vítimas e sustentar o esquema de pirâmide.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para entrar na lista VIP do Campo Grande News.

Nos siga no Google Notícias