ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, QUARTA  17    CAMPO GRANDE 23º

Cidades

PF mira quadrilha que atua em MS e já traficou 900 quilos de drogas

PF cumpre 96 mandados em MS e mais seis estados contra quadrilha de narcotraficantes

Por Silvia Frias | 21/06/2022 10:49
Operação da PF está sendo cumprida em MS e mais seis estados (Foto/Divulgação)
Operação da PF está sendo cumprida em MS e mais seis estados (Foto/Divulgação)

A Polícia Federal cumpre 96 mandados em Mato Grosso do Sul e outros seis estados para desarticular quadrilha de tráfico de drogas, grupo descoberto a partir de apreensão de skunk, a supermaconha, em 2009. A quadrilha usava veículos de passeio e carretas com fundo falso, transportando de 25 a 500 quilos de droga.

Mais de 170 policiais cumprem 96 mandados nos estados de Roraima, Amazonas, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. São 41 de prisão preventiva, 29 de busca e apreensão e 26 de sequestro de bens.

Segundo a PF, foi cumprido um mandado de prisão em MS, porém, a cidade não foi divulgada.

PF cumpre 96 mandados em vários estados (Foto/Divulgação)
PF cumpre 96 mandados em vários estados (Foto/Divulgação)

A investigação foi iniciada em 2019, quando as apreensões de skunk se intensificaram no estado de Roraima. Levantamentos apontaram para um único fornecedor, principal suspeito da distribuição das drogas.

Com o aprofundamento das investigações, descobriu-se que o suspeito também traficaria cocaína e seria o chefe de quadrilha responsável pelo transporte de grandes quantidades de drogas oriundos de municípios fronteiriços brasileiros, como Pacaraima (RR) e São Gabriel da Cachoeira (AM), com destino aos estados das regiões Sul e Sudeste.

De acordo com a PF, a quadrilha usava veículos de passeio e carretas dotadas de compartimentos ocultos (fundo falso) para o acondicionamento da droga, permitindo o transporte de quantidades que variavam de 25 até 500 quilos de drogas.

No curso da investigação, foram presos 10 integrantes do grupo criminoso e apreendidos quase 900 quilos de droga, entre skunk, cocaína e maconha.

Os crimes imputados aos investigados são participação em organização criminosa, tráfico de drogas, associação para o tráfico e lavagem de dinheiro. As penas destes crimes, somadas, podem ultrapassar os 40 anos de prisão.

O nome da operação faz referência ao personagem da Ilíada (Odisseu), que idealizou e ajudou na construção do Cavalo de Troia, mesmo ardil empregado pelos investigados para transportar a droga em compartimentos ocultos difíceis de serem detectados pela fiscalização.

Nos siga no Google Notícias