ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, QUINTA  23    CAMPO GRANDE 28º

Cidades

Polícia descarta suicídio como causa de morte de modelo no Chile, diz advogado

Cristian Cáceres foi contratado pela família de Nayara Vit para acompanhar investigação, em Santiago

Por Silvia Frias | 19/07/2021 10:24
Nayara Vit morreu aos 33 anos, ao cair do 8º andar de prédio em Santiago, no Chile (Foto/Divulgação)
Nayara Vit morreu aos 33 anos, ao cair do 8º andar de prédio em Santiago, no Chile (Foto/Divulgação)

A polícia chilena já descartou a hipótese de que a modelo Nayara Vit tenha cometido suicídio, na noite de 7 de julho, em Santiago. O advogado contratado pela família disse, ainda, que há informações de que pessoas ligadas ao namorado dela tenham procurado testemunhas do caso.

Nayara Vit caiu do 12º andar de prédio em Santiago, depois de voltar de jantar com o namorado, o executivo Rodrigo Del Valle Mijac, diretor de empresa de tecnologia.  A modelo nasceu em Cuiabá (MT) e mora há 16 anos no Chile. Parte da família reside em Campo Grande e tenta acompanhar o caso a distância.

“Adianto também que soubemos que pessoas vinculadas a Rodrigo visitaram testemunhas do caso, o que chama a atenção”, disse Cristian Cáceres, em entrevista ao Campo Grande News.

Cáceres disse que não pode passar detalhes da investigação, que segue sob sigilo, mas adiantou que há imagens de câmeras de segurança e relatos de testemunhas que possibilitam formar cronologia do que aconteceu na noite da morte de Nayara.

O advogado também listou outras duas situações consideradas suspeitas: o celular e a bolsa com todos os documentos de Nayara não foram encontrados e o apartamento passou por limpeza antes da chegada da perícia policial.

Cáceres lembrou, ainda, a contradição entre o depoimento do executivo e o da babá, que estava no apartamento cuidando da filha de Nayara. A mulher disse ter ouvido de algo se quebrando, que pode ser o vaso que estava na  sacada e, em seguida, gritos antes da queda da modelo.

Rodrigo Mijac já prestou depoimento à polícia e disse que a modelo passou correndo por ele e se jogou do apartamento. A versão sempre foi contestada pela família e amigos de Nayara, que disseram nunca ter percebido qualquer indício de que ela poderia se matar.

O advogado disse à reportagem que a hipótese de suicídio também já foi descartada pela polícia.

Em entrevista ao Fantástico, ontem, o promotor envolvido na investigação da morte da modelo Omar Merida, afirmou que "inconsistências" em depoimentos indicam hipóteses diferentes de suicídio no caso.

Adeus – A família não teve autorização para ingressar em território chileno e, por isso, contratou o advogado para acompanhar a investigação.

O irmão de Nayara, Guilherme Vit disse que ainda espera que seja possível ter aval ainda esta semana para entrar no Chile. O velório havia sido adiado depois que a polícia resolveu fazer nova autópsia no corpo.

Sem poder fazer despedida, na quinta-feira, a família prestaram homenagem em Porto União (SC), onde mora a mãe de Nayara. “Meu pai, minha mãe, irmãos, tios e primos participaram e transmitimos ao vivo familiares que não puderam ir”, disse, dizendo que fizeram prece em lembrança à ela.

Nayara era uma celebridade em Santiago. Ela ganhou notoriedade em 2015, quando ingressou passou a participar do programa "Toc Show", exibido de segunda a sexta-feira no canal TV +, em horário nobre.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário