ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, DOMINGO  09    CAMPO GRANDE 28º

Cidades

Secretário diz que saída de ministro agrava ainda mais a instabilidade na saúde

Geraldo Resende salientou que não é momento para se criar mais dúvida na condução do combate a doença

Por Rosana Siqueira | 15/05/2020 16:51
Secretário de Saúde diz que preocupação com saída de ministro é alta. (Arquivo)
Secretário de Saúde diz que preocupação com saída de ministro é alta. (Arquivo)

O secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende manifestou hoje grande preocupação com a instabilidade do Ministério da Saúde, com a saída do ministro Nelson Teich. Menos de 1 mês depois de Luiz Henrique Mandetta ser exonerado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), Nelson Teich deixou, nesta sexta-feira o cargo por discordar das ideias de Bolsonaro com relação a liberação de atividades comerciais. Teich havia assumido o lugar do médico sul-mato-grossense.

“Temos alta preocupação na condução da grave emergência de saúde que o País atravessa hoje a que é a pandemia do Covid-19. Esta nossa manifestação está em sintonia com o Conselho Nacional de Secretários (Conass) entidade que nos representa a nível nacional. Diante desta calamidade na saúde pública, com maior números de mortes na história recente, não é momento de  jogar mais duvida neste cenário que tem infringido tanta dor, sofrimento e morte aos brasileiros de norte a sul de leste e oeste”, salientou o secretário.

Ele destaca que espera neste momento dos gestores públicos “estabilidade, unidade técnica, esforços conjuntos e ações efetivas e compromissos com a vida e a saúde da população brasileira”.

“A instabilidade e a falta de ações coordenadas e claras, neste momento são inimigas da saúde e consequentemente da vida” concluiu.