A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 22 de Janeiro de 2019

10/01/2019 08:01

“Se fecha aqui melhora para todo o Brasil”, diz governador sobre fronteira

Reinaldo comentou sobre parte das 21 propostas voltadas para a área de segurança que levou ao ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, quando esteve em Brasília (DF) em dezembro do ano passado

Anahi Zurutuza
Reinaldo Azambuja (PSDB) durante Fórum de Governadores no dia 12 de dezembro em Brasília, quando entregou propostas para Sérgio Moro (Foto: Clodoaldo Silva/Arquivo)Reinaldo Azambuja (PSDB) durante Fórum de Governadores no dia 12 de dezembro em Brasília, quando entregou propostas para Sérgio Moro (Foto: Clodoaldo Silva/Arquivo)

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) voltou a defender nesta quinta-feira (10) a necessidade de aumentar a segurança na fronteira de Mato Grosso do Sul com o Paraguai e a Bolívia. “Se fechar aqui, vai melhorar para todo o Brasil”.

Reinaldo comentou sobre parte das 21 propostas voltadas para a área de segurança que levou ao ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, quando esteve em Brasília (DF) em dezembro do ano passado.

“Não propomos construir muro na fronteira como faz o presidente americano, mas nos precisamos ter uma blindagem”, comentou o chefe do Executivo estadual em entrevista ao Bom Dia MS, jornal da TV Morena.

O governador afirma que a fronteira está entregue às forças estaduais de segurança – DOF (Departamento de Operações de Fronteira) e PMR (Polícia Militar Rodoviária) – e não deixa de defender a necessidade de aumento do efetivo da PRF (Polícia Rodoviária Federal) e PF (Polícia Federal) em Mato Grosso do Sul.

“O governo federal nos últimos anos escancarou as fronteiras brasileiras. Foi isso que levar para o ministro Moro”.

Propostas - No documento entregue a Moro, Reinaldo destacou a necessidade de combate ao crime organizado, que deve ser feito em cinco frentes: o policiamento preventivo; a melhor remuneração dos policiais da fronteira; viabilização de recursos do Sistema Único de Segurança Pública; recursos para investimentos na segurança pública; e mudanças no sistema penitenciário em conjunto com medidas socioeducativas.

O governador defendeu ainda tirar o papel do Sisfron (Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras), projeto parado há cinco anos, e destacou a necessidade de ter policiais na região.

O chefe do Executivo também sugere a criação de uma Central Integrada de Inteligência como forma de efetivar o combate ao tráfico e contrabando, além de acordos com os governos paraguaio e boliviano para que os países se unam no combate aos crimes.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions