A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 22 de Agosto de 2018

25/12/2010 16:23

Aeroviários retomam negociação com empresas na próxima 2ª feira

Alana Gandra, da Agência Brasil

Os aeroviários (funcionários das companhias aéreas que trabalham em terra) retomarão na próxima segunda-feira as negociações com o Sindicato Nacional das Empresas Aéreas (Snea) para rediscutir a proposta de reajuste salarial de 8%, apresentada esta semana pelos patrões.

A informação foi dada hoje à Agência Brasil pelo presidente da Federação Nacional dos Trabalhadores da Aviação Civil (Fentac), Celso Klafke.

O secretário-geral do Sindicato Nacional dos Aeroviários (SNA), Marcelo Schmidt, adiantou, porém, à Agência Brasil que a proposta das empresas é insuficiente.

“Não toca nos pisos [salariais], não trata de forma diferente os salários mais baixos, que são uma vergonha, de R$ 700, e também não atinge os dois dígitos, que são aquilo que a gente acha justo para essa repartição do bolo”.

O pleito inicial de aeroviários e aeronautas (que trabalham embarcados) era de reajuste de 15%. O percentual foi flexibilizado posteriormente para 13%. As empresas, por sua vez, ofereceram aumento de 6,08%, o que representaria a correção da inflação pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), elevando a proposta, a seguir, para 6,5% e, agora, para 8%.

Schmidt avaliou, contudo, que os 8% oferecidos pelos patrões significam apenas o início da negociação. “A gente parte de um patamar ridículo para um patamar inicial de negociação”.

O SNA vai procurar os sindicatos de menor representatividade, com o intuito de convencê-los a não aceitar essa correção. Os aeroviários vão continuar organizando manifestações nos aeroportos, dentro do movimento de mobilização da categoria.

Eles obedecerão, entretanto, a decisão do Tribunal Superior do Trabalho (TST), que limitou a paralisação a 20% do efetivo. “As movimentações de greve vão continuar normais, dentro daquilo que o TST fixou”, assegurou Schmidt.

Segundo o secretário-geral do SNA, a decisão do TST é equivocada e tem a intenção de travar o movimento da categoria. “Depois que a gente cassar [a decisão do TST], a gente vai se preparar para a greve novamente”, prometeu.

Schmidt chamou a atenção para o fato de que, de cada 100 trabalhadores, “os 20 que ficam [nos piquetes] são massacrados pela chefia”.

Marcelo Schmidt esclareceu que as empresas aéreas não têm um plano de carreira para os empregados, o que faz com que estes permaneçam, muitas vezes, mais de dez anos com o mesmo salário. “O que a gente quer é que se discuta a nossa pauta. E não, apenas, uma simples mudança de 6% para 8%”, insistiu.

Aeroviários suspendem greve nos aeroportos do País
Categoria volta a negociar em janeiro de 2011Após assembleia realizada no início da manhã na sede do Sindicato Nacional dos Aeronautas, em São Paulo...
Aeroviários e aeronautas mantêm greve para o dia 23, antevéspera de Natal
O fracasso nas negociações com as empresas aéreas, em reunião que ocorreu hoje (21) em Brasília com intermediação do Ministério Público do Trabalho, ...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions