A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

01/08/2011 10:10

Após caso Marielly, leitores aprovam debate sobre descriminalização do aborto

Fabiano Arruda

A maioria de leitores que votou em enquete do Campo Grande News defende o debate sobre a descriminalização do aborto.

O assunto, que foi polêmica no episódio da clínica de aborto de Neide Mota, fechada em 2007, por conta dos procedimentos serem feitos clandestinamente, voltou à tona após a morte da jovem Marielly.

Foram 58.87% de internautas que votaram favoráveis a discussão do tema. Do outro lado, outros 41.13% opinaram contra.

A nova enquete desta semana traz como assunto uma das praças mais tradicionais da Capital com a seguinte pergunta: Você é a favor da colocação de grades e fechamento à noite da Praça Ary Coelho, prevista no projeto de reforma já aprovado pela Prefeitura de Campo Grande?



ACHO ENGRAÇADO QUANDO UMA MULHER DIZ;" TENHO DIREITO SOBRE MEU CORPO", SÓ QUE ELA SE ESQUECE QUE O FETO É UM CORPO DENTRO DO CORPO DELA. "MUITOS QUEREM ALEGAR QUANDO COMEÇA A VIDA"( PORÉM TODOS QUE ESTÃO VIVOS HOJE, FORAM FETO UM DIA)
Art. 124 - CODIGO PENAL - Provocar Aborto em si mesma ou consentir que outrem lho provoque:

Pena - detenção, de 1 (um) a 3 (três) anos.

 
FRANCISCO CARLOS ANONI em 03/08/2011 12:59:49
Resta saber se esses 58% são pessoas esclarecidas, que realmente sabem as consequências de um aborto ou bando de jovenzinhos tolos que acham que uma vida pode ser descartada com um citotec ou 'chazinho'.
 
Wiliam Silva em 01/08/2011 11:18:00
Já disse uma vez e volto a Repetir..."É Fácil ser a favor do Aborto depois que nascemos, queria Ver se éramos a favor quando estávamos na Barriga de nossas Mães..." Parem, Pensem e Analisem...
 
Paulo G.T. da Silva em 01/08/2011 11:00:37
O debate é sempre válido. No entanto, fica uma preocupação de qual será o resultado deste debate... O título desta matéria "Após caso Marielly, leitores aprovam debate sobre descriminalização do aborto" pode induzir o seguinte pensamento: se o aborto não fosse crime, esta jovem poderia tê-lo praticado com segurança e respaldo do Estado e não ter vindo a óbito por ter que procurar uma "clínica" clandestina para tal fim...
Mas fica uma questão: a jovem Marielly, em tese, praticou um aborto que, por questões desconhecidas, foi mal sucedido e a levou a morte. Ela tinha 19 anos. O feto deveria ter em torno de 4 meses de gestação. A diferença entre o feto e ela era o tempo de vida e a forma de nutrição/alimentação. É justo praticar homicídio contra um feto indefeso, em detrimento de ações irresponsáveis de adultos que já sabem determinar os seus atos?
Melhor seria que o governo desenvolvesse, então, organismos de apoio às mães que estiverem com gravidez indesejada e depois de nascida a criança coloca-la para adoção por famílias que AMAM!
Este é o meu pensamento.
 
Marcelo Silveira em 01/08/2011 10:36:00
A questão do aborto é muito mais complexa do que se imagina. No entanto há duas situações distintas: Primeiro, se for liberado para qualquer tipo de gravidez (salvo má formação, estupro, anencefalia, ou risco de vida para a mãe) haverá uma avalanche de crimes, pois o aborto é um crime. Por outro lado, se não for liberado, muitas vidas se perderão, muitas clínicas clandestinas existirão, porque infelizmente muitas mulheres praticam o aborto. Hoje é inconcebível uma gravidez indesejada, pois existem muitos métodos contraceptivos gratuítos. Melhor prevenir, pensar e tomar providências antes de uma gravidez acontecer... No entanto, cada um tem o direito ao livre arbítrio, e responderá de uma maneira ou outra!
 
Simone Marchewicz em 01/08/2011 06:06:50
Nada justifica em fazer um aborto, a não ser que a mãe tenha problemas de saúde.
 
cido soares em 01/08/2011 04:20:48
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions