A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

23/08/2011 18:51

A três dias para medida entrar em vigor, usuário corre para comprar cartão do ônibus

Paula Maciulevicius

Assetur já contabiliza aumento de 20% na procura pelos cartões magnéticos

Em três dias articulados da Capital vão aceitar apenas cartão como passagem. (Foto: João Garrigó)Em três dias articulados da Capital vão aceitar apenas cartão como passagem. (Foto: João Garrigó)

Faltando três dias para a medida que vai colocar em uso apenas o cartão dentro dos ônibus articulados da Capital, a Assetur já contabiliza aumento de 20% na procura. Na tarde de hoje, o Campo Grande News esteve no Peg Fácil, na praça Ary Coelho, em poucos minutos usuários que ainda não tinham o cartão, correram para se adequar.

Segundo a Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito), já existem 400 mil cartões circulando, o que representa 78% dos usuários do transporte coletivo que usam a passagem eletrônica.

A população segue o ritmo da norma e procura se adaptar. Foi o caso do motorista Bruno Gavioli, de 27 anos, mesmo sendo aqui da Capital, ele disse que ainda não sabia da nova regra, prestes à entrar em vigor.

“Eu não sabia e sempre pego ônibus, mas vou fazer, com certeza”, conta. E fez mesmo, em poucos minutos ele já veio com o passe eletrônico em mãos. “Olha, acabei de fazer”, acrescenta.

E como tudo que é novo gera dúvidas, a população ainda tem receios. “Ainda não comprei, mas vou comprar. Aliás compra onde? Acho que aqui no terminal mesmo? Parece que se não tiver, vai ter que andar só no que aceita dinheiro, não é”, questiona a dona de casa Neide Nunes, de 49 anos.

Por enquanto a medida vale apenas para os ônibus articulados e nas linhas 302 (Caiobá) e 319 (Dom Antônio Barbosa). A intenção é de implantar aos poucos e ter até janeiro do ano que vem, todos os ônibus com cartão. Em outubro, o dinheiro não será mais aceito nas linhas alimentadoras (azuis), o que abrangerá aproximadamente 200 ônibus. A adoção total do sistema de cartão eletrônico, em todas as linhas e em todo o período de funcionamento do transporte coletivo urbano, deverá acontecer no dia 1º de Janeiro de 2012.

Aproveitando o embalo e os poucos dias em que os ônibus articulados ainda vão aceitar dinheiro, o montador Robert Jordan, de 27 anos, estava ali no Peg Fácil da praça Ari Coelho para fazer o cartão. “Vou comprar agora, vai ficar mais prático”, diz.

A atendente de terminal Delaine Cristina não para. É o tempo todo tirando dúvidas e fazendo o cartão. Segundo ela, a procura tem aumentando e muito, principalmente nesta última semana. E para fazer o passe eletrônico ela explica que só é preciso o número do CPF e um documento de identificação e tira a principal dúvida, o cartão é de graça.

“Tem que apresentar a identidade, o primeiro cartão é gratuito, mas se perder e tiver que fazer uma segunda via, sai R$ 13,50”, completa.

Motorista ainda não sabia da norma, mas aproveitou para adquirir logo o cartão. (Foto: João Garrigó)Motorista ainda não sabia da norma, mas aproveitou para adquirir logo o cartão. (Foto: João Garrigó)

Com o cartão em casa, a auxiliar de cozinha Cristielen Alves, de 19 anos, vai pegar o ônibus com dinheiro. “Nossa eu vou ter que usar, é mesmo meu Deus, tem isso ainda. Mas é bom por causa dos assaltos, mas não sei se aqui carrega, carrega? E se ficar faltando, não é sempre que você está com ele carregado”, declara ainda em tom de dúvidas.

A Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito) já antecipa, no dia 26 de agosto, aniversário da cidade e quando o uso do cartão entra em vigor, toda a estrutura de fiscais e agentes vão estar nos pontos dando todo apoio.

“Vão ser 40 cobradores distribuídos nas linhas e uma presença muito grande de trabalhadores nesse setor, dando todo suporte e divulgando”, explicou o diretor presidente da Agetran, Rudel Trindade.

E como todo bom brasileiro, o campograndense não podia deixar de lado o costume de fazer tudo na última hora. A costureira Lúcia da Paixão, de 53 anos, é o exemplo disso. “Estou sabendo sim, mas ainda não comprei. Acho que só depois do dia 26, eu não ando muito de ônibus”, conta aos risos.

O gerente executivo da Assetur, Robson Strengari, explica que foram colocados à disposição 50 mil cartões e ainda 120 novos pontos de venda em terminais de ônibus, farmácias, conveniências e até mesmo um reforço de pessoal.

“O movimento mesmo acreditamos que vai ser a partir da segunda-feira”, completa o gerente Robson Strengari.

Pontos de venda - A Assetur está disponibilizando a confecção do cartão também pela internet, através do site .

O cartão pode ser feito também terminais Peg Fácil, na Praça Ari Coelho, nos demais terminais de ônibus, na própria Assetur e em conveniências e drogarias conveniadas.



é, agora se entrar ladrão no ônibus só rouba os passageiros! GRANDE MUDANÇA!
 
Weller Miranda em 07/11/2011 12:50:45
concordo plenamente com a Maria Luiza, deve sim incentivar as pessoas a utilizar o cartão não obrigar e não se trata somente de pessoas que vem de fora, os próprios moradores de campo grande que por algum motivo, não tenham carregado o cartão, vão fazer o que, ligar para um táxi um moto-táxi para ir a um ponto onde possa carregar o cartão.
o uso do cartão CONTRIBUIRÁ, mas não irá resolver o problema da segurança e mais uma vez o Estado tenta passar para o cidadão a responsabilidade por um problema que cabe a ele resolver.
 
Alessandro Nardoni em 24/08/2011 09:07:58
É uma boa iniciativa, mas, não deveria ser obrigatório o uso de cartão, pois estão transferindo a responsabilidade pela segurança publica que é dever do Estado para os cidadãos.
Além do mais, como proibir alguém de pagar em dinheiro por um serviço que vai utilizar, mesmo que as razões sejam nobres, o ato e contexto se torna ilegal, pois, existem normas federais que proíbem qualquer pessoa de recusar o recebimento de moeda oficial nacional.
sou extremamente contra esta nova regra.
 
Alessandro Henrique Nardoni em 24/08/2011 09:01:39
legal, a nossa moeda nao vale mais isso e errado.estou so esperamdo entrar em vigor toda hora vou entrar com um processo contra a empresa pois nao aceitar a moeda corrente e crime, ou sera que pra eles nao e ja consultamos varios advogados e so estamos esperando para entrar com varios processos temos mais de 500 usuarios aqui no nosso bairro pra entrar com processos se cuidem
 
elenaldo santos em 24/08/2011 08:56:14
Vou concordar com as duas afirmações anteriores, a Agetran acabou com o desconto na passagem com o cartão e agora nos obriga a não usar mais o dinheiro?
e cade o programa de governo para inibir a criminalidade?
Não tem ou falta competência?
Vamos acordar gente!!!!!!
 
Oswaldo Benites em 24/08/2011 08:54:18
Se alguma pessoa de outro Estado chegar em Campo Grande, precisar pegar um onibus não vai poder. Tem é que acabar com a bandidagem e não ficar com medo dela.
 
JOSÉ PEREIRA FILHO em 23/08/2011 11:07:18
Muito interessante a idéia, porém é constitucional não aceitar a moeda corrente do país em um transporte coletivo?
isso sugere que turistas e pessoas que vêm do interior para fins diversos não utilizarão mais o transporte coletivo?
Não seria melhor continuar incentivando o uso do cartão cobrando menos de quem o utilizasse???? Creio que isso também ajudaria a inibir assaltos.
 
Maria Luiza R, Martins em 23/08/2011 07:11:51
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions