A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 19 de Setembro de 2018

13/09/2018 17:04

Após protesto, Semed avalia caso de professora acusada de ofender alunos

Pais afirmam que filhos não estão tranquilos para continuarem a frequentar aulas; novo ato foi marcado para esta sexta-feira

Humberto Marques
Pais estiveram na escola nesta manhã para protestar contra presença de professora. (Foto: Marina Pacheco)Pais estiveram na escola nesta manhã para protestar contra presença de professora. (Foto: Marina Pacheco)

Após protesto realizado por pais de alunos da Escola Municipal Bernardo Franco Baís, em Campo Grande, contrários ao retorno à sala de aula da professora Daniele Santana Gomes –acusada de ofender alunos chamando-os, entre outros nomes, de “gordos”–, a Semed (Secretaria Municipal de Educação) informou que “está verificando o caso”. Um novo ato deve ser realizado na escola, pelo mesmo motivo, na manhã desta sexta-feira (14).

Pais afirmam que seus filhos estão com medo de participar das aulas da professora e, diante da situação, pediram à Semed a saída de Daniele do quadro da escola. “Vai ter um novo protesto amanhã (sexta) depois do intervalo”, disse a mãe de uma estudante ao Campo Grande News. Segundo ela, sua filha está “em pânico” com a situação.

Daniele havia sido penalizada com advertência em 27 de agosto de 2018 por conta das ofensas a alunos, apuradas em sindicância da Semed. “Em atenção ao manifesto dos pais e responsáveis nesta quinta-feira a Secretaria de Educação está verificando o caso”, destacou a nota da pasta. A professora ficou afastada das funções por 60 dias, retornando hoje à sala de aula. Em protesto, pais e alunos compareceram à escola nesta quinta de preto.

Professora retornou à sala depois de advertência de 60 dias. Semed avalia reclamação de pais. (Foto: Reprodução)Professora retornou à sala depois de advertência de 60 dias. Semed avalia reclamação de pais. (Foto: Reprodução)

A diretora da instituição conversou com os pais a fim de encontrar uma solução, sem sucesso. Pela manhã, a mãe de uma das alunas confirmou que procuraria a Semed a fim de encontrar uma solução para o impasse.

Melissa Oliveira, 39, disse que a professora cumprimentou os alunos e pediu para que entrassem em sala, mas os estudantes se negaram, sendo advertidos, então, que ficariam com falta. Além disso, Daniele teria “fechado a porta na cara da diretora e dos pais” –uma das queixas é que a professora tranca as portas das salas por dentro.

Depois, os alunos teriam aceitado ficar em sala apenas enquanto outra pessoa estivesse presente. A aula foi acompanhada por um coordenador. Mães que participaram do ato pela manhã também acusaram Daniele de fazer outros comentários depreciativos sobre seus filhos.

A professora também já foi alvo de reclamações por expor uma aluna por meio de redes sociais, conforme narra reportagem do Campo Grande News em junho deste ano.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions