A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

21/03/2016 11:45

Após quatro anos de obras paradas, Prefeitura promete inaugurar UPAs

CRS do Guanandi será transformado em CAPS, e da Coophavila será desativado

Natalia Yahn
Limpeza interna da unidade começou hoje (21), e pode acontecer até durante a noite, se necessário. (Foto: Fernando Antunes)Limpeza interna da unidade começou hoje (21), e pode acontecer até durante a noite, se necessário. (Foto: Fernando Antunes)

As UPAs (Unidades de Pronto Atendimento) do Jardim Leblon e do Bairro Santa Mônica serão inauguradas nos dias 30 de março e 11 de abril, respectivamente. As obras tiveram início em 2012, foram paralisadas no ano seguinte, novamente retomadas em 2014. Mas ambas estavam abanadonadas há mais de um ano, quando as obras recomeçaram há quatro meses. 

Com a inauguração das unidades dois CRS (Centros Regionais de Saúde) serão fechados. O CRS do Guanandi vai ser reformado e então irá abrigar um CAPS (Centro de Atenção Psicossocial), já o CRS da Coophavila II, deve ser desativado. Os funcionários do Guanandi serão remanejados para a UPA do Jardim Leblon e os da Coophavila II para a UPA Santa Mônica.

A reportagem do Campo Grande News esteve hoje (21) na UPA do Jardim Leblon, que tem inauguração prevista para o dia 30 de março, mas ainda passa por ajustes estruturais – para receber equipamentos e mobiliário – e será entregue sem ter sido quitada. A limpeza do prédio só teve início nesta segunda-feira, dez dias antes da entrega, e por isso a previsão é de plantões no período noturno para que tudo seja concluído até a próxima semana.

“A obra ficou parada mais de um ano por falta de pagamento. Retomamos há quatro meses e mesmo assim ainda falta pagar uma parte. Agora com a inauguração confirmada para o dia 30 de março, se for preciso vamos trabalhar a noite, e no fim de semana também. Temos que terminar para entregar e ainda tem muita coisa pra fazer”, disse o encarregado da obra, que é funcionário da Coletto Engenharia – responsável pela obra –, Gilberto de Oliveira.

Na parte interna do prédio, funcionárias faziam a limpeza das salas hoje de manhã, porém o trabalho acontecia em apenas uma das muitas salas que precisam ser limpas para a entrega do prédio.

Mas o principal ajuste, ainda não foi concluído. “O aparelho de raio-x do posto do Guanandi ia ser colocado aqui, mas agora vem um aparelho digital. A estrutura já estava pronta, então tivemos que adequar para receber o equipamento novo”, explicou Oliveira.

Por isso, do lado de fora do prédio um trabalhador quebrava parte do piso (que já estava pronto) para poder mudar a instalação elétrica da sala onde será colocado o raio-x.

Alguns setores já estão prontos a espera dos móveis e equipamentos como a rouparia, farmácia e o setor de observação, e em algumas salas os aparelhos de ar condicionado já foram instalados.

Prédio da UPA ainda passa por adaptações a ajustes de última hora. (Foto: Fernando Antunes)Prédio da UPA ainda passa por adaptações a ajustes de última hora. (Foto: Fernando Antunes)
Maria Pinheiro tem esperança de conseguir alugar um salão comercial em frente a UPA, após a inauguração. (Foto: Fernando Antunes)Maria Pinheiro tem esperança de conseguir alugar um salão comercial em frente a UPA, após a inauguração. (Foto: Fernando Antunes)

Esperança – Moradora do bairro há 25 anos, a aposentada Maria do Carmo Pinheiro, 60 anos, tem um salão comercial para alugar na Rua Benjamin Adese – em frente a entrada da UPA. “Tem dois meses que não temos inquilino, ninguém quer investir sem ter o posto. Acho que assim que inaugurar vai ter gente querendo, principalmente para vender lanche, salgado. E o aluguel de R$ 800 a R$ 1 mil vai completar a renda”, disse.

Em uma placa do Ministério da Saúde, que está no local com informações sobre a construção – que faz parte do PAC 2 (Programa de Aceleração do Crescimento) –, o valor da obra é de mais de R$ 3,4 milhões (R$ 3.485.651,00) – recursos da Prefeitura e do Governo Federal.

Na mesma placa a data de início da obra da UPA foi apagada e de término não é informada. Mas no dia 29 de outubro do ano passado o prefeito Alcides Bernal (PP), informou que iria concluir a construção em 120 dias – prazo que terminou em fevereiro. Com a inauguração no dia 30 de março, a obra será entregue 33 dias após o previsto.

A UPA do Bairro Santa Mônica, que também estava parada, será inaugurada no dia 11 de abril. Com ela serão três novas UPAs em funcionamento este ano na Capital, a primeira entregue foi a UPA das Moreninhas – no dia 11 de fevereiro.

Membros do Conselho Municipal de Saúde, também confirmaram a data da inauguração da UPA do Jardim Leblon para o dia 30 e março e da Santa Mônica para 11 de abril.

“Desde o ano passado era para ser entregue esta UPA do Leblon, mas as mudanças de prefeito atrasaram tudo. Nossa preocupação é fechar os CRS (Centros Regionais de Saúde) do Coophavila II e do Guanandi. Os funcionários vão ser remanejados para as duas UPAs, isso vai ser ruim para todos. Os CRS têm que continuar aberto, mesmo que reduza a capacidade de atendimento”, afirmou Jafé Santos, membro do Conselho e presidente do Bairro Caiobá.

No CRS do Guanandi, deve ser instalado um CAPS, já o CRS do Coophavila II deverá ser desativado. “No Guanandi vai ser um CAPS mesmo, mas vai passar por reforma”, afirmou o presidente do Bairro Guanandi, Leondas Dalmondes.

O secretário da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), Ivandro Fonseca, não confirmou e nem negou as informações. “Qualquer tipo de projeto novo tem que passar pelo Conselho (Municipal de Saúde) e somente após deliberação será oficializado”.

A Prefeitura foi procurada para falar sobre o montante que ainda não foi pago referente a UPA do Jardim Leblon, mas até a publicação desta reportagem não informou o valor.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions