A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

08/11/2011 08:45

Audiência pública discute permanência de acadêmicos indígenas na universidade

Paula Vitorino

Falta de recursos e programas voltados para os estudantes fazem com que muitos deixem a universidade antes de concluir a graduação

Nesta sexta-feira (11), estudantes e autoridades discutem em audiência pública a situação do indígena na universidade. O debate quer buscar a implantação de políticas públicas que garantam a permanência desses estudantes no ensino superior.

Mato Grosso do Sul, com a segunda maior população de indígenas do país, conta com cerca de 700 índios na universidade. A maior parte desses está matriculados em instituições particulares.

Mas muitos dos estudantes abandonam o ensino superior por não ter suporte para continuar os estudos. A falta de recursos e a deficiência dos programas destinados à permanência dos acadêmicos indígenas são apontados como principais obstáculos para a conclusão da graduação.

Para as etnias Terena, Guarani e Kaiowá a graduação é uma forma de transformar a realidade das aldeias e criar perspectivas positivas para os índios que vivem em território sul-mato-grossense.

A audiência será às 13h30, na Assembléia Legislativa. Foram convidados o Secretário de Educação Superior do MEC, Luiz Cláudio Costa, representantes da Funai, universidades, MPF (Ministério Público Federal) e estudantes indígenas e não índios.



Pessoal, não podemos ter terras onde quisermos e estudarmos onde quisermos desde que paguemos ou ganhemos uma bolsa? terras e estudos aqui, em outros estados, ou em outros países? Nem por isso perdemos nossa cultura, identidade, nossos laços de famíla. Por que o índio não poderia? Somos diferentes. Igualdade é um mito que colocaram na nossa cabeça. Mas o direito que é comumo ninguém pode tirar
 
Angelo Duarte em 09/11/2011 11:59:10
Não sou índígena. Mas eu fico pensando se eu fosse e alguém me dissesse que deixei de ser índio porque não moro la na comunidade e estou estudando pra ver se faço valer os direitos do índios que já são, há muito, assegurados pela Constitução. Imagina? Que absurdo! Mas é claro, "acho" que estou sacando qual é a desse discurso, é bom pra ruralista é que índio não estude. Pois no MS índio estuda!!!!!
 
João augusto em 09/11/2011 11:53:49
Os índios tem que decidirem se querem continuar sendo índios e ficarem na aldeia ou se querem ficar na cidade, ou uma coisa ou outra, eles querem brigar por terras que eles têm direito e também querem ficar na cidade? não entendo
 
lucas figueiredo em 08/11/2011 11:13:45
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions