A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 19 de Agosto de 2018

08/11/2011 08:45

Audiência pública discute permanência de acadêmicos indígenas na universidade

Paula Vitorino

Falta de recursos e programas voltados para os estudantes fazem com que muitos deixem a universidade antes de concluir a graduação

Nesta sexta-feira (11), estudantes e autoridades discutem em audiência pública a situação do indígena na universidade. O debate quer buscar a implantação de políticas públicas que garantam a permanência desses estudantes no ensino superior.

Mato Grosso do Sul, com a segunda maior população de indígenas do país, conta com cerca de 700 índios na universidade. A maior parte desses está matriculados em instituições particulares.

Mas muitos dos estudantes abandonam o ensino superior por não ter suporte para continuar os estudos. A falta de recursos e a deficiência dos programas destinados à permanência dos acadêmicos indígenas são apontados como principais obstáculos para a conclusão da graduação.

Para as etnias Terena, Guarani e Kaiowá a graduação é uma forma de transformar a realidade das aldeias e criar perspectivas positivas para os índios que vivem em território sul-mato-grossense.

A audiência será às 13h30, na Assembléia Legislativa. Foram convidados o Secretário de Educação Superior do MEC, Luiz Cláudio Costa, representantes da Funai, universidades, MPF (Ministério Público Federal) e estudantes indígenas e não índios.

Motorista bate em carreta e Voyage e é preso por dirigir alcoolizado
Motorista de 31 anos foi preso por embriaguez na manhã deste domingo (19) após se envolver em um acidente com uma carreta e um Volkswagen Voyage na B...
Assaltante é preso após dar tiro para cima durante roubo a adolescentes
Um homem de 32 anos foi preso na noite deste sábado (19) após render e roubar três adolescentes no Jardim Leblon, em Campo Grande. Durante o crime, o...
Embrigada, motorista joga rádio de guardas no chão e acaba presa
Uma condutora, identificada como Josilene Rodrigues Davila, teve que ser contida por guardas municipais após ser flagrada em estado de embriaguez, ap...


Pessoal, não podemos ter terras onde quisermos e estudarmos onde quisermos desde que paguemos ou ganhemos uma bolsa? terras e estudos aqui, em outros estados, ou em outros países? Nem por isso perdemos nossa cultura, identidade, nossos laços de famíla. Por que o índio não poderia? Somos diferentes. Igualdade é um mito que colocaram na nossa cabeça. Mas o direito que é comumo ninguém pode tirar
 
Angelo Duarte em 09/11/2011 11:59:10
Não sou índígena. Mas eu fico pensando se eu fosse e alguém me dissesse que deixei de ser índio porque não moro la na comunidade e estou estudando pra ver se faço valer os direitos do índios que já são, há muito, assegurados pela Constitução. Imagina? Que absurdo! Mas é claro, "acho" que estou sacando qual é a desse discurso, é bom pra ruralista é que índio não estude. Pois no MS índio estuda!!!!!
 
João augusto em 09/11/2011 11:53:49
Os índios tem que decidirem se querem continuar sendo índios e ficarem na aldeia ou se querem ficar na cidade, ou uma coisa ou outra, eles querem brigar por terras que eles têm direito e também querem ficar na cidade? não entendo
 
lucas figueiredo em 08/11/2011 11:13:45
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions