A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

24/01/2013 16:39

Com retroescavadeira, homens tentam invadir terreno já ocupado

Eles se passaram por funcionários da Prefeitura. Polícia precisou ser acionada

Gabriel Neris e Viviane Oliveira
Área localizada no bairro Nossa Senhora Aparecida foi invadida hoje pela manhã (Foto: Luciano Muta)Área localizada no bairro Nossa Senhora Aparecida foi invadida hoje pela manhã (Foto: Luciano Muta)

Quatro pessoas se passando por funcionários da Prefeitura tentaram invadir os terrenos localizados no bairro Nossa Senhora Aparecida, na região norte de Campo Grande, na manhã desta quinta-feira (24). Com a ajuda de retroescavadeira e um caminhão, eles arrebentaram a cerca de uma casa e a Polícia teve que ser acionada.

Os moradores contam que a situação é corriqueira e que alguns deles aparecem armados para intimidá-los. A confusão aconteceu na rua Monterlei. No local, são cerca de 300 famílias morando em 270 terrenos repartidos em 12x30 metros.

Para evitar que a invasão continuasse, os moradores colocaram um veículo na frente da retroescavadeira até a chegada da Cigcoe (Companhia Independente de Gerenciamento de Crises e Operações Especiais). Ninguém foi preso. Os policiais apenas orientaram os envolvidos, já que o caso está sendo tratado na justiça, segundo informou a Polícia.

Os moradores dizem que o terreno não é particular e sim comodato da Prefeitura. Robson Henrique de Almeida, de 34 anos, mora com a esposa e a filha recém-nascida há oito meses. Ele conta que todos moravam na região quando uma pessoa chamou outra até a área ficar povoada.

O rapaz afirma que o terreno ficou abandonado há 30 anos e foi tomado pelo matagal durante este período até se tornar uma espécie de lixão. “O terreno está no nome de uma pessoa só e o processo corre na justiça”, conta. “Todo dia uma pessoa aparece dizendo que é o dono”, completa, alegando sofrer ameaças todos os dias.

Outro morador identificado apenas como Fábio disse que as pessoas no local são humildes e contam com inscrição na Emha (Agência Municipal de Habitação) e Agehab (Secretaria de Estado de Habitação e das Cidades). “A única coisa que nós queremos é regularizar os terrenos”, comentou.

O pedreiro Adão Correia da Silva diz que mora há nove meses no local com a família (Foto: Luciano Muta)O pedreiro Adão Correia da Silva diz que mora há nove meses no local com a família (Foto: Luciano Muta)

Adão Correia Silva, de 48 anos, é pedreiro e também mora no local há pelo menos nove meses com a esposa e duas filhas. O trabalhador conta que não quer confusão e já tentou fazer o cadastro do terreno na Prefeitura. “Não importa a gente pagar a mensalidade, mas nossas casas já estão construídas e queremos ficar aqui”, diz.

A assessoria de comunicação da Prefeitura informou que não houve ordem de retirada dos moradores do local, mas não confirmou até a publicação desta matéria que os terrenos são áreas públicas.

Ontem (23), o prefeito Alcides Bernal (PP) se reuniu com representantes da Polícia Civil, da Guarda Municipal, da Procuradoria Geral do Município e com o secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano, Odimar Luis Marcom, para discutir as invasões nas áreas públicas do município. Quatro áreas estão ocupadas na cidade, entre elas uma na frente do lixão, que a Prefeitura já tem ordem de despejo.



Meu pai tem dois terrenos no bairro Nossa senhora Aparecida, ele comprou em 1962, sempre pagou imposto e acompanhou a história do mesmo desde quando o exército tomou conta e impediu os proprietários de construir suas casas, anos depois quando devolveu, não havia mais um loteamento e sim um cerradão e mais tarde um lixão. Anos se passaram, ele hoje pobre e aposentado, lutou com a prefeitura para a abertura de ruas e limpeza da área, quando isso aconteceu, de um dia pro outro, já tinha várias pessoas carpindo, cercando e construindo casas. Resumindo: ele foi ameaçado pelo invasor, mesmo mostrando as escrituras do terreno e o caso está agora na justiça e ele está quase infartando com essa situação. Fico indignada com essa situação!!!!!
 
Lei Oliveira em 26/01/2013 00:53:20
Tudo que este povo quer é casa como sempre e os pais de família que trabalham e pagam aluguel não vão invadir terra e colocar sua família em perigo em terreno alheio. Agora como todo bom Prefeito VAI DAR CASA PRA TODO MUNDO e quem realmente precisa continua pagando aluguel.
 
rosangela de melo em 25/01/2013 08:22:18
Acho engraçado esses invasores, só invadem área valorizada ou perto do centro, pq não invadem vários matagais q tem na periferia de CG??
Esse área no Nossa Senhora das Graças é muito bem localizada (ao lado da Coophasul) e com uma bela vista da cidade e ao lado de um condomínio fechado. Esses barracos dos "moradores" ficam vazios a semana inteira, só no fim de semana eles vão lá da uma carpida p/ dizer q moram lá, e a maioria tem carro bom, 0.
Um terreno lá eu tb quero, mas não vou invadir o de ninguem. Se invadem pq acham que é da prefeitura, pq não invadem o Paço Municipal, o Horto, etc.
 
Helio Gomes em 25/01/2013 08:05:33
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions