A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

25/10/2011 20:18

Depois de atendimento modelo pela manhã, UPA já tem filas e espera por consultas

Paula Maciulevicius

Campo Grande News flagrou corredores lotados, mesmo com seis clínicos trabalhando, pacientes esperavam há pelo menos 3h

No corredor que dá acesso aos consultórios, filas já indicavam demora no atendimento (Foto: Pedro Peralta)No corredor que dá acesso aos consultórios, filas já indicavam demora no atendimento (Foto: Pedro Peralta)
Sem autorização para entrevista dentro da UPA, Campo Grande News flagra demora e pacientes no aguardo.Sem autorização para entrevista dentro da UPA, Campo Grande News flagra demora e pacientes no aguardo.

Depois do protesto contra a baixa remuneração paga pelo SUS (Sistema Único de Saúde), em que médicos passaram a manhã desta terça-feira em atendimento modelo na UPA (Unidade de Pronto Atendimento Comunitário) do bairro Coronel Antonino, a tarde já foi de filas e espera para consultas.

O Campo Grande News flagrou os corredores lotados, mesmo com seis clínicos realizando atendimento, e pacientes que esperavam há pelo menos três horas.

Na administração da unidade a resposta “foi só de manhã, não ia continuar”, sobre os protestos dos médicos.

A estudante Anayellen Bentos Penariol, de 19 anos, esperou três horas por uma consulta com clínico geral. Com uma conjuntivite que evoluiu para uma inflamação ela conta que há 12 dias tenta atendimento.

“Demorou e estava lotado. Ontem não tinha médico, hoje esperei três horas, tem dias que eu tento vir, já fui em vários postos. Dói desde a semana passada e onde você vai está superlotado”, conta.

Acompanhada da mãe Valquíria Bentos Penariol, de 37 anos, a estudante diz que até ficou sabendo da movimentação e ainda assim passou três horas esperando. “Isso porque tinham vários, imagina se tivesse um só?”, questiona Valquíria.

Mesmo com número maior de médicos pela manhã, mãe e filha aguardam 3h por consulta. (Foto: Pedro Peralta)Mesmo com número maior de médicos pela manhã, mãe e filha aguardam 3h por consulta. (Foto: Pedro Peralta)

Ao entrar no corredor que dá acesso aos consultórios, o Campo Grande News pode ver uma extensa fila de pacientes que aguardavam, fora os que estavam esperando para passarem pela triagem.

Fora da unidade o mecânico Adalto Gondim, de 27 anos, aguardava a esposa ser atendida há duas horas.

“Ela chegou passando mal, desmaiou lá dentro e ainda não foi para consulta. Eu não fiquei sabendo e não sei o que está acontecendo lá dentro, ninguém diz nada”, desabafa.

Ludovico Pereira, de 30 anos, também compartilhava da mesma situação. A namorada deu entrada na unidade às 13h40 e até às 17h não havia sido medicada. “Ela chegou com dor de cabeça, vômito e dor na barriga e está cheio. Eu até disse logo hoje você vai ficar doente?”

Ainda pior - A situação na saúde pública consegue ter agravantes. Desde a noite de ontem, uma jovem de 19 anos deu entrada na UPA do Cel. Antonino depois da terceira tentativa de suicídio.

A família sem ter notícias, obteve nesta tarde, a informação passada pelo médico, de que ele havia conseguido uma vaga no CAPS (Centro de

Apoio Psicossial), mas só faltava a ambulância para o transporte.

Até o final da tarde desta terça-feira, o SAMU que atendia toda a cidade com apenas quatro ambulâncias, não havia conseguido realizar a transferência da paciente.

“Eu não tenho carro, se tivesse eu mesma tinha levado. De manhã aqui encheu de reportagem e médico dando entrevista. Agora você vai lá e não tem ninguém. É a minha filha e ninguém dá resposta”, desabafa mãe.

Médicos fazem 'mutirão' na UPA do bairro Coronel Antonino em protesto contra SUS
A ação acontece em protesto à baixa remuneração do SUS é está sendo realizada em todo país.Médicos de Campo Grande estão concentrados na UPA (Unidade...
Em dia de protesto, médicos programam operação padrão em posto de saúde amanhã
Categoria vai reforçar número de profissionais na unidade do Coronel Antônino, que é 24hMédicos de todo o País prometem, para amanhã, protesto para ...
Sesau e SES recolhem quase 10 toneladas de lixo no Jardim Noroeste
A ação de recolhimento de lixo realizada em casas e terrenos baldios no Jardim Noroeste - bairro localizado na regiões leste de Campo Grande - somou ...


O secretário de saúde vem a tv com uma cara de não saber nem onde ele está, dizendo que não sabe o que está acontecendo pois o concurso está aberto.
Faz-me rir. Ele quer medicos 20 horas por semana atendendo a demanda dos pacientes todos os dias e quer pagar R$ 2.000 reais brutos ao mês.
É uma piada! Está faltando seriadade e competência nessa admnistração e a população é quem sofre com o descaso
 
elaine sepentiba fialho em 26/10/2011 10:06:00
Parabéns,prezado colega,pelo seu feliz comentário a respeito da saúde pública municipal.Você,como eu,podemos nos pronunciar porque conhecemos os problemas além consultório. A gestão propaga na mídia que o problema da falta de médicos é porque não encontra profissionais para contratação,relata que não há no mercado.Mas a verdade não é essa.A categoria precisa ser respeitada e valorizada.
 
alcino queiroz jr em 26/10/2011 09:17:56
Continuando...
Então ganhar pouco, trabalhar muito e ainda por cima ter que ficar se defendendo de idiotices da SESAU, é muita coisa. E como sempre, quem sofre com isso: o usuário, a população. Ou a Prefeitura assuma sua responsabilidade ou a tendência é só piorar. A coisa mais fácil que tem é jogar a culpa da irresponsabilidade dela nas costas dos médicos. Analisem, por favor!
 
Elizio Franco Junior em 26/10/2011 07:47:04
Eu e os outros 3 médicos, nos desdobrávamos para suprir as deficiências, desde falta de medicação e tudo o mais, além da demanda crescente. No momento que tive que responder a processo administrativo e comissão de ética da SESAU, totalmente infundados, abandonei os plantões diurnos. Pelo pouco que a Prefeitura paga, não se conseguem outros médicos para suprir a falta (mais uma vez, o usuário...)
 
Elizio Franco Junior em 26/10/2011 07:39:51
Sou médico e trabalho na UPA do Coronel Antonino. Além de 2 plantões noturnos, realizava também mais 3 no período da tarde. Lá falta tudo, desde administração, medicamentos, vagas e ambulâncias. Meu salário é a fortuna de 2.000 reais por mês (bruto).
Continuando...
 
Elizio Franco Junior em 26/10/2011 07:34:06
Parabéns Drº Elizio Franco Junior por ter coragem e se mostrar...a realidade é essa...tem "super" médico ou super herois médicos que dão o sangue para fazer atendimento eficaz sem estrutura, sem remedios e etc..., tem que receitar os remedios disponiveis na farmacia "publica" ou seja "ibuprofeno" para todos os males...isso é Brasil, Campo Grande, Mato Grosso do Sul
 
Ester Menacho em 26/10/2011 02:52:59
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions