ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SÁBADO  11    CAMPO GRANDE 21º

Capital

Em 1 hora, cenário muda e fila na Caixa dobra a esquina no Centro

Fila em frente da agência na Rua 13 de Maio aumentou a partir das 8h30 e, no fim da manhã, já passava da esquina

Por Silvia Frias e Bruna Marques | 06/06/2020 11:06
Depois das 8h30, fila cresceu e no fim da manhã já dobrava quarteirão (Foto: Henrique Kawaminami)
Depois das 8h30, fila cresceu e no fim da manhã já dobrava quarteirão (Foto: Henrique Kawaminami)

Em uma hora, o cenário em frente da CEF (Caixa Econômica Federal) da Rua 13 de Maio mudou. Logo cedo, a reportagem encontrou poucos "madrugadores", que optaram em chegar antes da abertura da agência. Agora, a fila com cerca de 100 pessoas já está dobrando a quadra, à espera do saque da segunda parcela do auxílio emergencial.

A reportagem passou por algumas agências e na Caixa da Rua 13 de Maio o número era reduzido. Por volta das 7h30, a fila era pequena e todos respeitavam o distanciamento.

Na fila, pessoas sem máscaras e próximas uma das outras (Foto: Henrique Kawaminami)
Na fila, pessoas sem máscaras e próximas uma das outras (Foto: Henrique Kawaminami)

A partir das 8h30, o cenário mudou e a fila rapidamente começou a crescer. Agora, já chega à Rua Marechal Rondon. Muitos estão sem máscara e próximos uns dos outros. O controle dos funcionários está sendo feto mais próximo da porta da agência.

Quase o fim da fila, a diarista Jerônima Lima Caetano, 58 anos, aguardava a vez de ser atendida. Ela foi acompanhada da filha, grávida de sete meses, e não imaginava que fosse enfrentar a fila que encontrou. Sem trabalho desde o início da pandemia, o auxílio emergencial ajuda a pagar as contas, agora, centrada somente na renda do marido, caminhoneiro.

Simião disse que quase deu meia volta quando viu a fila (Foto: Henrique Kawaminami)
Simião disse que quase deu meia volta quando viu a fila (Foto: Henrique Kawaminami)

O autônomo Simião Jovio de Almeida, 30 anos, chegou à agência por volta das 9h30 e quase deu meia volta quando viu a fila. “Só não desisti porque preciso do dinheiro para ajudar meus pais”. Antes, ele passou em outro banco, mas estava fechado. Para passar o tempo, chamou amiga que o acompanhou na empreitada.

Deu sorte quem resolveu ir à agencia da Coronel Antonino. Durante toda a manhã a movimentação foi tranquila e pouco mais de seis pessoas aguardavam atendimento por volta das 10h.

Uma delas é a comerciante Elizabeth Bonfim, 54 anos, que estava entrando no banco para ser atendida. “Eu saí de casa meio desanimada, achei que ia pegar fila, mas vai ser bem rápida”. Dona de brechó, diz que as vendas despencaram por conta da pandemia e diz que o auxílio veio para ajudar a cobrir as contas.

Vale lembrar que quem recebe o benefício não precisa sacar para utilizar o dinheiro. Basta usar o cartão do Caixa Tem diretamente no comércio, em maquininhas da Rede Tendência espalhadas por 6 mil pontos em Mato Grosso do Sul.

O plantão de fim de semana está sendo feito em algumas agências para agilizar o atendimento da liberação da segunda parcela do saque emergencial.

Campo Grande News - Conteúdo de Verdade


Campo Grande News - Conteúdo de Verdade