A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

26/04/2015 10:40

Em obras, Avenida Tamandaré vira cenário de rally e prejuízos

Kleber Clajus
Adriana Ferreira e a filha Ana Clara, de nove meses, enfrentam buracos e muita terra até chegar em ponto de ônibus (Foto: Marcelo Calazans)Adriana Ferreira e a filha Ana Clara, de nove meses, enfrentam buracos e muita terra até chegar em ponto de ônibus (Foto: Marcelo Calazans)

Obras de pavimentação e drenagem modificaram o curso da Avenida Tamandaré, transformando-a em um cenário digno de rally com muita terra, pedra e buracos. Quem transita ou trabalha próximo da via questiona o tempo de conclusão da intervenção, enquanto contabiliza prejuízos.

Em frente a Floricultura Caminho das Flores, no Bairro São Caetano, a avenida quase desapareceu desde novembro do ano passado. O aposentado Agenor Leonel, 71 anos, conta que a esposa tem que pular buracos para manter as vendas e pagar o aluguel de R$ 300. “Estamos quase isolados e, em dia de chuva, dá dó das pessoas de moto caindo nos buracos e vindo pedir ajuda para se lavar. A obra era para ter terminado em fevereiro”.

Até mesmo na hora da despedida, no Cemitério Jardim das Palmeiras, pedestres e condutores enfrentam dificuldades para acessar as salas de homenagem. O gerente administrativo, Reginaldo Nogueira, tem buscado alternativas para conter os efeitos de três escavações que comprometem a limpeza do espaço e tem causado acidentes.

Giuliana Andrade aguarda transporte para voltar com dona Maria José, após tratamento de fisioterapia que exige força no braço por conta da cadeira de rodas (Foto: Marcelo Calazans)Giuliana Andrade aguarda transporte para voltar com dona Maria José, após tratamento de fisioterapia que exige força no braço por conta da cadeira de rodas (Foto: Marcelo Calazans)

O filho da auxiliar de comércio, Adriana Ferreira, 39, foi uma das vítimas de moto no cenário de rally ao cair em uma vala. “É terrível em dia de chuva porque alaga e eu mesmo tenho que ir ao ponto de ônibus no meio do barro. Estou louca pra mudar”, contou com a filha Ana Clara, de nove meses, nos braços.

De acordo com o projeto de intervenção, a Avenida Tamandaré terá 2,5 quilômetros recapeados em plano de urbanização do Complexo Seminário, financiado pelo PAC 2 (Programa de Aceleração do Crescimento). As obras, estimadas em R$ 19,7 milhões, contemplam pavimentação de 76 vias, cinco recapeamentos, além de 9,5 quilômetros de drenagem. Seria justamente a falta de finalização do último item a razão dos problemas apontados pelos moradores.

A Prefeitura de Campo Grande, por meio de sua assessoria de imprensa, explica que os problemas na região são decorrentes de declive acentuado no qual a água da chuva desce com força e tem removido materiais e a capa asfáltica, como no dia 17 de abril. 

“Todos os esforços estão sendo feitos para concluir os serviços, que se torna moroso em decorrência das chuvas que ocorreram. A Prefeitura pede compreensão dos moradores e vai determinar as obras de correção necessárias para evitar maiores transtornos”, pontua nota, que ainda ressalta que os prejuízos “não geram novos custos, sendo de responsabilidade da empresa responsável”.

Enquanto as soluções não ocorrem, a aposentada Maria José Souza, 63, vai continuar enfrentando dificuldades para ir e voltar de cadeira de rodas das sessões de fisioterapia na UCDB (Universidade Católica Dom Bosco). Isso porque sem rebaixamento de calçada no ponto de ônibus, somado a pedras e muita terra, ela continuará tendo que contar com a força do braço do neto e gari Vinícius de Souza, 22, e de sua esposa Giuliana Andrade de Brito, 33, para continuar a reabilitação após uma fratura na perna esquerda.

Veículos fazem desvio de trecho com buracos destinados a término de obras de drenagem do Complexo Seminário (Foto: Marcelo Calazans)Veículos fazem desvio de trecho com buracos destinados a término de obras de drenagem do Complexo Seminário (Foto: Marcelo Calazans)


O que fizeram na Tamadaré ali é crime, tá essa palhaçada desde o ano passado, o estado terminou a obra da ms-010 e a prefeitura não consegue concluir aquele pedacinho que tá acabando com a vida e com os carros e motos de todo mundo, tinha que mandar prender o responsável pela obra imediatamente.
 
Max em 27/04/2015 10:42:35
Não e só ai não, vem aqui no Nossa Senhora das Graças, não da pra entender eles deixam a rua toda prontinha a vc pensa agora e o asfalto no outro dia eles revirão tudo de novo e abrem mais buraco na rua que estava pronta.Isso ja se passaram 04 meses
 
Rosa em 26/04/2015 18:30:12
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions