A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

17/01/2014 10:11

Em uma hora, jovem promove “arrastão” e é preso no Aero Rancho

Kleber Clajus e Graziela Rezende
Otávio Cavalcante foi denunciado pelas digitais deixadas na moto furtada no início da sequência de crimes (Foto: Marcos Ermínio)Otávio Cavalcante foi denunciado pelas digitais deixadas na moto furtada no início da sequência de crimes (Foto: Marcos Ermínio)

Um jovem de 23 anos foi apresentado na Derf (Delegacia Especializada de Roubos e Furtos), nesta sexta-feira (17), como o autor de quatro roubos realizados no dia 14 de janeiro, em Campo Grande. A sequência de crimes teve duração de uma hora e, de acordo com o autor, foi realizado aproveitando “o intervalo de almoço”. Ele foi preso no mesmo dia no Bairro Aero Rancho.

Otávio Cavalcante Sampaio, que era detento da Colônia Penal, iniciou o “arrastão” por volta das 16h, furtando uma moto Honda Twister, placa HSR 7134, no Tijuca. Vinte minutos depois ele anunciou um assalto, com uso de capacete e menção de estar armado, na Drogaria São Bento e uma casa de carnes, ambos no Bairro Guanandi. Já as 16h50, ele roubou a Farmatotal, no Aero Rancho.

De acordo com o delegado titular da Derf, Fabiano Nagata, todas as ações foram acompanhadas pelo rádio da polícia. Testemunhas também colaboraram para localizar a motocicleta, abandonada no Aero Rancho. As impressões digitais deixadas por Otávio Cavalcante no veículo o denunciaram.

O rapaz, que era detento da Colônia Penal em regime semi-aberto, disse que estava indo trabalhar como ajudante de caminhão em uma empresa, mas não foi localizado no local pela polícia. Sua prisão, no entanto, ocorreu quando retornou ao estabelecimento penal no fim do dia.

Em depoimento, Otávio Cavalcante disse aos policiais que utilizou “o intervalo de almoço” para cometer os crimes. Ao todo ele roubou R$ 600, gastos com cerveja e lanches. Após o “arrastão”, ele irá responder por roubo qualificado e cumprirá regime fechado na Penitenciária de Segurança Máxima de Campo Grande.



este regime semi aberto nada mais é que hotel para bandido
sai rouba e volta para o hotel para descansar
só neste país mesmo
isto tinha que acabar ta mais que provado que este sistema nao funciona em nada e os delinquentes continuam roubando
ja diz o ditado: cachorro que come ovelha só matando para parar!
 
marcel dos santos nobre em 17/01/2014 10:54:19
Era o que ele queria, pois o marginal não vai precisar trabalhar
 
ELIO SANTOS em 17/01/2014 10:40:26
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions