A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 19 de Agosto de 2019

21/07/2019 12:54

Equipes mudam poste de luz na 14 para receber rede subterrânea

Medidas começaram neste sábado e continuaram neste domingo; dias de pouco movimento na região central

Tainá Jara
A pedido dos comerciantes, horário das intervenções foi alterado. (Foto: Divulgação/PMCG)A pedido dos comerciantes, horário das intervenções foi alterado. (Foto: Divulgação/PMCG)

Equipes da Energisa aproveitaram a pouca movimentação no Centro de Campo Grande, na manhã deste domingo, para continuar a preparação para o processo de conversão da rede elétrica para subterrânea, nas obras de revitalização da Rua 14 de Julho.  Vinte cinco trabalhadores retirando o ponto de conexão, hoje ligado pela 14 de julho, para que seja alimentado pela Rua 13 de Maio. Para isso, são instalados postes capazes de suportar as chamadas “ancoragens”.

Na prática, saem os postes de 10 metros de altura por 400 quilogramas/força, para entrada de postes de 12 metros de altura por 1500 quilogramas/força, suficientes para suportarem a tração necessária. Após a troca, a Engepar Engenharia, empresa responsável pela obra, faz todo o cabeamento, para que a Energisa finalize a construção da rede subterrânea, retirando então os fios hoje existentes.

Com obras iniciadas em junho do ano passado, a revitalização da Rua 14 de Julho é a primeira etapa do projeto Reviva Centro. Do total de US$ 56 milhões (cerca de R$ 200 milhões) emprestados do BID para execução das obras , R$ 49,2 milhões serão aplicados nesta etapa, cujo prazo total para conclusão é de 22 meses.

Os horários previstos para intervenções na instalação elétrica foram alterados a pedido dos comerciantes. Os serviços, antes previstos para começarem às 12h de sábado (20), foram iniciados às 14h. O prazo para encerramento dos serviços –a serem realizados na Rua Maracaju, entre as Ruas 14 de Julho e 13 de Maio e que resultarão na suspensão do fornecimento de energia– continua previsto para as 18h

Expectativa - Com curiosidade e certa ansiedade, Marcelo Albuquerque, morador no cruzamento da Fernando Corrêa da Costa com a 14 de Julho há 50 anos, acompanha a troca de postes na obra do Reviva, na manhã deste domingo. Ele não vê a hora dos fios saírem e darem lugar a um renascimento da 14 de Julho, que após muitos anos, começa a ser repaginada.

“Melhorou bastante. Tudo aqui foi valorizado. Muitas vezes eu via o transtorno e dizia aos comerciantes: espera, que vai valer a pena. Tudo o que vai ser modificado, tem transtorno, mas eu dizia: vai valer a pena. E valeu. Hoje, está compensando. Tem uma montoeira de fios e não terá mais. Vai ficar muito bonito. O turista que vem aqui, vai querer andar no Centro. Antes, nem a calçada era bonita”, avalia o morador.

O pensamento é compartilhado por Maurício D’Ávila, que reside no Centro há 49 anos. “Está ficando muito bonito. Estão aterrando os fios, que era uma coisa feia. Esta mudança vai trazer mais gente ao Centro. Os próprios comerciantes já estão interessados em se instalar aqui, por conta da estética, facilidade de locomoção para os pedestres. Está melhorando muito. A 14 de Julho estava feia, obsoleta. As ruas e o comércio todo, mas está mudando”, declarou.

Luiz Souza, 30 anos, é de Rondônia, mas já mora em Campo Grande há 30 anos. Ele conta que neste tempo todo, é a primeira vez que vê uma mudança significativa e necessária principalmente para os pedestres.

“Está muito bonito. Precisava desta mudança. Antes, era muito fluxo de carro e pouco espaço para o pedestre fazer suas compras. Isso era um formigueiro. Um tropeçando no outro. No Natal e Ano Novo, não dava nem para andar na Cidade. Melhorou muito. Agora, temos espaço para andar tranquilamente”, justificou.

Carlos Neder é comerciante no Centro de Campo Grande e também está aprovando a modernização da 14 de julho. “Visualmente, melhorou bastante. Também houve melhoria no trânsito de pedestres. A iluminação ficou legal. Tem espaço para as pessoas sentarem. Provavelmente, em dezembro, isso terá um reflexo legal. A gente até imagina que o comércio vai abrir aos domingos. Vai favorecer sim”, avaliou.

Conceito - A obra na 14 de Julho foi planejada com o conceito de devolver a rua aos pedestres, tirando da 14 o status de via de passagem. A proposta é fazer com que o cidadão tenha prazer em realizar suas compras, podendo andar com tranquilidade, sem concorrer com os carros. Para isso, estão sendo instaladas ilhas de descanso, com lugar para sentar, lixeiras especiais, todo um mobiliário direcionado ao bem-estar. É o centro da cidade sendo pensado para as pessoas, para o convívio.

Dentre as inovações previstas no projeto, está a instalação de rede de wi-fi em toda a via e câmeras de segurança em cada quadra. “Temos a concepção de um projeto que leva para a área central a proposta de um shopping a céu aberto, com toda a confortabilidade que o cidadão merece e busca quando vai fazer compras. Vamos devolver ao centro o status de coração comercial da cidade, e desta vez, um coração requalificado”, explica a coordenadora do Reviva Campo Grande, Catiana Sabadin.

Para se ter uma ideia da complexidade da obra, as profundas escavações mexeram em estruturas antigas, de mais de 60 anos. E tudo foi trocado. A rede de esgoto foi o primeiro serviço a ser concluído, seguido da drenagem. O revestimento novo das calçadas, a rede elétrica e de telecomunicações, abastecimento de água, além da infraestrutura para Agetran, segurança e TI. Quando a obra for finalizada, com previsão para novembro deste ano, não se verá mais os fios nos postes, que prejudicam a imagem da cidade.

Outro fato importante na obra de requalificação da Rua 14 de Julho é o cuidado com a arborização urbana. Serão mais de 180 árvores, todas com cerca de cinco metros de altura, espaçadas, coloridas e alegres. Com isso, a temperatura ficará mais amena, complementando todo o conforto planejado para os pedestres.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions