A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

13/04/2012 18:36

Formação tem que vir de casa, diz secretária sobre caso de violência em escola

Paula Vitorino

Professor foi esfaqueado por aluno dentro de sala de aula de escola estadual, Agressão levanta polêmica sobre segurança nas escolas

Professor sofre agressão dentro de sala de aula. (Foto: Minimar Júnior)Professor sofre agressão dentro de sala de aula. (Foto: Minimar Júnior)

Após o esfaqueamento de professor dentro da sala de aula, a titular da SED (Secretária Estadual de Educação), Maria Nilene Badeca, afirmou que a segurança dentro das escolas depende também da formação dentro de casa.

Ela frisa que não pode transformar as “escolas em cadeia, com grades”. A secretária também lembra que a agressão aconteceu dentro da sala de aula e não tem como manter um guarda ou fazer revista nos alunos para entrar nas salas.

Com isso, Badeca conclui que o que é inadmissível é o fato de pais deixarem seus filhos saírem armados de casa.

“A formação tem que vir de berço, porque não tem como a escola fazer tudo. Cabe a escola ensinar a ler, escrever, mas a família tem fazer o papel dela na formação. Agora quem deixar tudo para a escola”, afirma.

A parceria entre escola e pais também é destacada pela secretária. “O trabalho preventivo e conjunto com a família é fundamental para uma escola segura”, diz.

Ela ressalta que os projetos desenvolvidos pela promotoria da Vara da Infância e da Juventude do Ministério Público Estadual, com palestras e seminários voltados para a família.

Violência - O professor de Física da Escola Estadual José Barbosa Rodrigues foi agredido na noite de ontem por um aluno de 17 anos. Ele levou duas facadas, no ombro e braço, quando tentou impedir uma briga entre o aluno e a namorada.

Depois da agressão, o estudante ainda ameaçou o diretor da escola para conseguir fugir. Logo após, outro estudante ameaçou funcionários e alunos com um revólver. Alunos e moradores da região disseram que casos de violência são comuns na escola.

O aluno que esfaqueou o professor foi apreendido em casa. A delegada da Deaij (Delegacia Especializada de Atendimento à Infância e Juventude), Maria de Lurdes, informou que o professor já prestou depoimento e que o adolescente e testemunhas também serão chamadas para depor.

Após a apuração dos fatos, o adolescente deverá ser indiciado pela agressão e responder na Justiça.



As escolas públicas estão muito perigosas, perderam o objetivo que é ENSINAR.Professores são humilhados, desacatados,e nada se pode fazer. Até menores infratores são mandados para a escola, com o "direito de estudar" e o agente penitenciário passa a ser o professor.Socorro! dentro de poucos anos ninguém mais estudará para ser professor. Lamentável !!. Uma profissão brilhante está chegando ao fim.
 
lyka rodrigues em 14/04/2012 11:32:17
Agredir, esfaquear pode matar ? Humilha, não é diminor sinhô. É o fim do limite da educação e agora estamos em guerra contra a violência o descaso e a corrupção. Entre os feridos está o pai de família que acorda cedo e vai dormir meia noite e ganha pouco. Do outro lado o meliante sustentado por merenda, uniforme, mochila, material, livros, projetos e políticas sociais e públicas. Salve a educação
 
Cleide Lemes Paiva em 14/04/2012 09:20:24
(cont) todos os problemas, ainda correm risco de vida dentro das escola. Absurdo o governo não pagar o piso salário devido e nem ao menos aprovar uma lei que reserva 1/3 da carga horária para o planejamento de aula. Vamos ver até onde isso vai, pelo jeito até o dia que acontecer uma tragédia.
 
André Serra em 14/04/2012 09:12:43
De fato o maior culpado disso é o ECA, pois digamos que os adolescente podem tudo. Primeiramente a maioridade penal deveria ser reduzida para 16 anos, sou totalmente a favor, hoje em dia "criança" com 16 rouba, mata, estupra mas como são protegidos pela lei no máximo ficam 3 meses em uma UNEI e saem. Sem contar que o profº não tem a minima valorização pelo governo e agora se não bastasse (cont)
 
André Serra em 14/04/2012 09:11:33
Sou PROFESSORA MUNICIPAL, no 4° ano, tenho alunos na faixa de 10 anos, a maioria deles são de famílias desestruturadas, tenho alunos que quando são advertidos, xingam com palavras do mais baixo galão, mando para coordenação e nada acontece, pois os pais não aparecem na escola mesmo sendo chamados, se mandamos recados, os mesmos arrancam as folhas, o que fazer ? lamentar apenas !
 
CARLA MURTINHO em 14/04/2012 08:48:11
Esses adolecentes de hj, não respeitam professor e o pior tem pai/mãe que acha que o professor que tem que educar seus filhos, se esquecem que a educação vem de casa, e isso não acontece só nas escolas acontece desde pequenos na creche.....Hoje vc tem que pensar mil vezes antes de ter um filho pra viver nesta sociedade,que a criança e o adolecente tudo pode......
 
Joana Carolina da Silva Lands Fernandes em 14/04/2012 08:47:02
Sinceramente, a culpa de todos esses problemas com esses adolecentes é o Estátudo da criança e do adolecente, na minha adolecencia não tinha nada disso, o pai podia corrigir com castigo ou uns belos tapas, e como dizia minha vó triste aquelas cintadas que caíram no chão, porque hj nos criamos os nossos filhos e não podemos dar um tapa. O tapa que poderíamos dar neles que dá é a policia........
 
Joana Carolina da Silva Lands Fernandes em 14/04/2012 08:43:33
è facil vir uma agora e dizer que a culpa é dos pais.A culpa é do governo que tirou a autoridade dos pais dentro de casa e dos professores dentro de escolas atraves de leis e estatutos deficitários,como o de não poder se trabalhar e nem ser punido com 16 anos.Mas com 16 pode-se eleger corruptos,assaltar,estuprar,fazer filhos para os pais criarem.
 
João Carlos da Costa em 14/04/2012 08:31:13
Se houvesse pena severa para todos, a delinquência poderia não acabar, mas, com certeza diminuiria. A partir do momento em que um menor comete um crime do tipo em que ocorreu na Escola Estadual José Barbosa Rodrigues, este adolescente deve ser tratado como criminoso, e não passar a mão na cabeça, ainda achar que ele é um coitadinho. E o professor que teve o pulmão perfurado? Como fica?
 
ANEDINO ROMERO LOPES em 14/04/2012 08:17:11
todos nos sabemos disto,porem com estas leis absurda,nao podemos nem falar alto com nossos filhos.entao este e o resultado
 
jose aparicio fontoura em 14/04/2012 05:27:48
Retorno dizendo com presença da guara Municiapl nas Escolças, vai haver dimunição noas alunos irem com armas, e Buscar junto ao Ministério público forma de revistar sim as mochilas diariamente, Querer é Poder, basta ter coragem para tomar providência e certamente muitos pais vçao agradecer, pois está mais que evidente que os Jovens na grande maioria , Tomaram o controle , não atendem aos pais !
 
CARLOS ALBERTO em 13/04/2012 10:59:55
Concordo parcialmente com as ponderações da Sra. Maria Badeca (SED). Minha esposa é professora em escola pública, mas ela sabe que não pode repreender os alunos tal como faz com nossos filhos em casa porque... coitadinhos... o conselho tutlear não deixa... tem que entendê-los, engolir seco e trazer desaforo pra casa... A pedagogia precisa tomar outros rumos. A. Neil que o dia...
 
Carlos Eduardo Calvani em 13/04/2012 09:37:02
É o riscoo que corremos. E ainda por cima temos que suportar desaforos de governantes que não nos valoriza tbm. Lamentável.
 
andré Neves em 13/04/2012 09:34:45
Quero ver melhorar a EDUCAÇÃO BRASILEIRA com essa realidade. Pois esse é o nosso cotidiano nas escolas...
 
NICOLAS ANGEL RECALDE DOMINGUEZ em 13/04/2012 09:28:01
Até porque não nos é permitido fazer revista nos alunos, ai de nós se o fizermos! Quantas vezes suspeitamos que um ou outro aluno esteja com algum objeto estranho às atividades escolares na mochila, mas não temos a permissão de verificar tal mochila. Chamar a polícia? Aparece após o horário, quando todos já partiram. PROFESSOR SOFRE!!!! E a educação junto!
 
NICOLAS ANGEL RECALDE DOMINGUEZ em 13/04/2012 09:26:15
Concordo plenamente com a Secretária Estadual de Educação. Por outro lado, nossos legisladores têm que rever as Leis que desordenaram toda nossa sociedade. Os pais perderam a autoridade sobre os filhos. Menores podem tudo e até votam em eleições. Etc, etc, etc...
 
Ezio José em 13/04/2012 09:18:53
A nossa vida corrida, com pai e mãe tendo necessidade de sair para trabalhar, a educação das crianlças fica comprometida, muitas das vezes nem veem os filhos ou os veem por pouco tempo. A responsabilidade infelizmente recaiu para a escola que não tem pretensão de educar nem mesmo tem obrigação. Ainda a responsabilidade é do pai e da mãe. Logico que a maioria nem tem os dois, ou só tem a mãe
 
Horlando P. de Mattos em 13/04/2012 08:21:40
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions