A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

01/08/2016 11:08

Estiagem já dura 15 dias e problemas respiratórios geram corrida aos postos

Fernanda Mathias e Amanda Bogo
Com menos de um mês, Pedro está com dificuldades de respirar e a mãe, que Mora no Nova Lima, pede conscientização da população para que não promova queimadas (Foto: Amanda Bogo)Com menos de um mês, Pedro está com dificuldades de respirar e a mãe, que Mora no Nova Lima, pede conscientização da população para que não promova queimadas (Foto: Amanda Bogo)

Com o início do período mais crítico do ano, em que a umidade relativa do ar despenca, a corrida aos postos de saúde em função dos problemas respiratórios já teve início. Ontem a umidade chegou a 31% na Capital e para hoje a mínima prevista é de 25%. Em municípios do Norte do Estado, alerta para valores na casa dos 15%.

Na UBS (Unidade Básica de Saúde) do bairro Universitário, a dona de casa Rosimari Alves, 20 anos, aguardava mais uma vez atendimento para a pequena Ana Clara, de um ano e cinco meses. Uma situação recorrente, uma vez que há um mês a criança apresenta problemas pulmonares, agonia que aumenta a medida em que a estiagem se prolonga – a última chuva caiu na Capital dia 16 de julho.

“Espero que chova logo para que melhore a saúde dela”. Na UBS do Tiradentes, várias mães estavam com crianças aguardando atendimento. Dentre elas a recepcionista Walkíria Amorim da Silva, 27 anos. O filho, Pedro, de apenas 28 dias, também apresentava sintomas respiratórios, com espirros frequentes.

Ela mora no Jardim Noroeste e apela para que a população seja mais consciente quanto às queimadas, que pioram a qualidade do ar. “O tempo seco já é ruim, mas também tem muita queimada, enquanto as pessoas não começarem a recolher o lixo, no lugar de queimar, a situação não vai melhorar”.

Somente de sábado até o início da manhã de hoje o Corpo de Bombeiros combateu 11 incêndios em áreas de vegetação na Capital, fora os chamados que não exigiram combate, uma vez que são priorizados os casos que podem oferecer maior risco de propagação.

Cuidados – O médico pediatra João Batista Botelho dá algumas orientações para prevenir os problemas respiratórios em dias mais secos. Uma, já bastante conhecida, é manter o ambiente interno umidificado, seja com os aparelhos eletrônicos ou mesmo com toalhas úmidas e vasilhas de água.

Ingerir líquidos para manter o corpo hidratado também é importante e, especialmente neste período em que as crianças estão de férias, é preciso estar atento às atividades físicas e evitar nos horários em que está mais quente, entre 10h e 15h.

O uso de nebulizador também pode ajudar e aos primeiros sintomas respiratórios, a indicação pode ser a inalação. “Os pais devem evitar o uso de medicamentos sem prescrição e de forma exagerada, como antitussígenos e dar preferência à inalação.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions