A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

08/05/2013 16:22

Falta de estrutura de bombeiros fica evidente em três incêndios seguidos

Mariana Lopes
Bombeiros no combate ao incêndio de ontem na loja Planeta Real (Foto: João Garrigó)Bombeiros no combate ao incêndio de ontem na loja Planeta Real (Foto: João Garrigó)

Em menos de seis meses, três lojas ficaram completamente destruídas pelo fogo em Campo Grande. Em todos os casos, os proprietários reclamaram da falta de estrutura do Corpo de Bombeiros para atender incêndios de grandes proporções.

Na tarde de ontem, as chamas acabaram com a loja Planeta Real, localizada na avenida Afonso Pena, no Centro da Capital. Foram aproximadamente duas horas para que os bombeiros conseguissem conter o fogo, que se alastrou muito rápido por causa da quantidade de materiais inflamáveis.

Contudo, o gerente da loja atingida, César Aparecido Lopes, reclamou do déficit de equipamentos do Corpo de Bombeiros. Ele denunciou ontem que os militares chegaram com um caminhão pipa que estava sem água e o combate às chamas só pôde começar quando um segundo veículo chegou ao local, acompanhado de outro caminhão pipa da Águas Guariroba.

“Não tem como prever o incêndio, mas a gente precisa de estrutura”, disse. Ainda segundo César, o prédio atingido pelo fogo tem três hidrantes, mas a água só chegou 1h20 depois do início das chamas. Houve problema também para acionar os outros hidrantes da quadra da loja Planeta Real, que estavam sem água.

Ainda ontem, os bombeiros tiveram dificuldade em montar a escada magirus, que falhou, e a mangueira de um dos caminhões estava furada. Os militares tiveram que usar os prédios vizinhos para combater o fogo.

O incêndio chamuscou também a parede dos fundos das Casas Bahia, estilhaçou os vidros do Centro Comercial Executive Center e desabou a parede que divide a loja Planeta Real e a Galeria Afonso Pena, todos prédios vizinhos.

Bombeiros no dia que o prédio da loja Perfil pegou fogo (Foto: Vanderlei Aparecido)Bombeiros no dia que o prédio da loja Perfil pegou fogo (Foto: Vanderlei Aparecido)

Mesma história – No sábado (4), a loja de cosméticos Perfil, localizada na rua 14 de Julho, a duas quadras da Planeta Real, também foi completamente destruída em um incêndio. Na ocasião, a história se repetiu e também foram duas horas para o fogo ser controlado.

A proprietária da Perfil, Silvana Mariote Dallegrave, conta que, no dia que a loja pegou fogo, os bombeiros chegaram ao local com um caminhão sem água e em seguida chegou outro que também não tinha quantidade suficiente para poder apagar as chamas.

“Os homens até têm boa vontade e preparo, eles ficam desesperados junto com a gente, mas o problema é que não há estrutura para trabalharem da forma necessário, falta equipamento”, lamenta Silvana.

A proprietária elogia a agilidade dos profissionais, que ligeiramente isolaram o local. “Tinha muito material inflamável, queimou muito rápido, perdemos tudo na loja, mas com certeza o nosso prejuízo seria menor se o Corpo de Bombeiros tivesse mais estrutura”, aponta Silvana.

Com toda a experiência traumatizante, agora fica a preocupação com outros incêndios. “Se pegar fogo nesta proporção em um prédio residencial, morre todo mundo queimado, pois a escada dos bombeiros é curta, os caminhões são velhos e sem condições, vivemos em uma capital que cresce sem estrutura”, critica Silvana.

Ontem, ao ver a fumaça que vinha da loja vizinha, Silvana descreveu a cena com tristeza. “Foi horrível, a gente sabe que não tem só a questão da parte material, o que mais pesa é o valor sentimental, tudo envolve vidas, famílias, é muito triste”, desabafa.

Paulistão – No final do ano passado, no dia 6 de dezembro, a vítima da vez foi a loja Paulistão, localizada na avenida Costa e Silva. Embora o Corpo de Bombeiros tenham afirmado que o incêndio na Planeta Real teve proporções maiores, da outra vez os militares levaram cerca de 3 horas para combater o fogo.

No dia do incêndio, também houve o problema de falta de água. “Todas as lojas que pegaram fogo foram destruídas, na do meu sogro tem um quartel do Corpo de Bombeiros ao lado e isso não diminuiu o estrago, os equipamentos dos bombeiros é precário, sucateado”, diz o genro do proprietário da loja, Diogo Moreira, 39 anos.

No caso da loja Paulistão, os proprietários foram vítimas de incêndio pela segunda vez. Em 2007, a filial da rua Rui Barbosa também foi destruída pelo fogo. “Foi a mesma coisa, a mesma falta de estrutura para atender a ocorrência, é horrível ver tudo ser consumido pelas chamas, ver que os bombeiros não podem fazer muito mais do que fazer e saber que somos impotentes diante da situação”,

Na tarde de ontem, quando a esposa dele, filha do dono da Paulistão, viu a fumaça e soube que vinha da Planeta Real, a lembrança da própria experiência veio a tona. “Ela debruçou na sacada de casa e ficou trêmula, ainda dói lembrar de tudo”, lamenta Diogo.

No entanto, Diogo ressalta que o problema não é falta de competência dos militares, mas sim falha na estrutura de toda a corporação. “Eles têm boa vontade, mas isso não adianta, tem que ter estrutura, viatura, algo que realmente funciona”, critica Diogo.

Imagem do incêndio da loja Paulistão (Foto: Luciano Muta)Imagem do incêndio da loja Paulistão (Foto: Luciano Muta)

O que acontece? – Em relação aos problemas de ontem, o chefe da comunicação social do Corpo de Bombeiros, tenente-coronel Joilson de Paula, disse que a escada magirus chegou à loja Planeta Real por volta das 16h, mas não foi usada imediatamente porque a viatura ABT (Auto Bomba Tanque), com capacidade para seis mil litros de água, usada no combate ao incêndio, estava presa no trânsito caótico que se formou na região central durante o incêndio.

Sobre a denúncia dos proprietários das lojas em relação à falta de água, o tenente-coronel explica que o Corpo de Bombeiros tem viaturas modelos ATR (Auto Tanque Reboque), com capacidade para 30 mil litros de água, e AT (Auto Tanque), que armazena 20 mil litros de água, mas são de apoio e não tem a pressão necessária para esguicho de água.

No caso dos hidrantes, o governado do Estado, André Puccinelli (PMDB) disse na manhã de hoje, em entrevista ao jornal da TV Morena, que isso é de responsabilidade da Águas Gariroba e de fiscalização da Prefeitura.

Conforme Joilson de Paula, se a corporação dispusesse de viaturas com novas tecnologias, o combate ao incêndio teria sido feito de maneira mais rápido. O tenente-coronel também afirma que dentro de quatro meses cerca de 30 novas viaturas entrarão em funcionamento e as que estão sendo usadas atualmente serão encaminhadas para a manutenção. Do total de veículos, cinco serão destinadas para o combate a incêndio.



Os bombeiros do nosso estado são heróis, pq não tem estrutura e equipamentos para trabalhar, e fazem o que podem as vezes arriscando a própria vida para salvar a população,
o problema da escada magirus não estar funcionando perfeitamente ja tem muito tempo , só que não é divulgado. Uma capital do tamanho da nossa era pra ter mais de uma escada pelo numero de prédios que existem, mas se ficarmos esperando os governantes resolverem a situação , acredito que pode demorar um pouco. Então a população deveria se unir , juntamente com as construtoras que constroem prédios na nossa capital para que consigamos ter uma nova escada como nossa capital merece. Pq não adianta nada ficar jogando culpa pra um ou outro. Afinal se nos unirmos para resolver essa questão. podemos estar salvando vidas.
 
Tatiana Lopes em 12/05/2013 21:34:28
Os Hidrantes são de plena responsabilidade da prefeitura, juntamente com serviço de abastecimento de Águas, A Águas Guariroba é responsavel pela manutenção e reparo dos Hidrantes, o corpo militar de bombeiros faz parte do Governo Do Estado nao tendo vinculo com prefeitura nem a empresa de abastecimento de Águas o trabalho dos bombeiros foi feito mesmo tendo sido dificultado pela falta de manutenção e vistoria dos Hidrantes, o que Imprensa quer e repercussão pessoas mal informadas que antes de publicar uma materia contra uma organização que esta sempre bem disposta e treinada para ajudar a quem precisa.
 
Hélio Ortiz em 09/05/2013 13:23:04
coitado desse sargento dos bombeiros que disse que a culpa é do italiano coronel andre pucinelli , que só compra material inferior , vai ser perseguido.
 
josé da silva em 09/05/2013 09:34:32
Sempre é bom separar o jôio do trigo.Os bravos homens do CB são destemidos e herois que salvam vidas no combate a incendios e catástrofes.O que falta é vergonha na cara de politicos(andré) que não investem na compra de equipamentos de ultima geração para a corporação.Esse caso de falhas dos equipamentos dos bombeiro deve ser creditado ao governo estadual e não aos bombeiros em si, não é a primeira vez que isso ocorre.Agora mais uma vez,vemos que há falta de estrutura mesmo o comandfante não se explicitando,pois deve bater continência ao seu chefe,o governador, responsavel pela mingua a que está nosso CB.Por pouco não ocorre dois incendios na mesma hora a do Planeta e o da Perfumaria na 14.Por outro lado esses deslocamentos pelo centro da capital tem que ser previsivel.
 
samuel gomes-campo grande em 08/05/2013 23:38:32
Olá .
Bom na minha opinião , foi grande á demora dos bombeiros devido ao transito também , eu trabalho na 14 de julho antes da Fernando Correia , cheguei antes dos bombeiros. Quando passei em frente do posto do bombeiro eles tavão se arrumando para sair e o fogo se alastrando . Porque a demora? dava para ver a fumaça de longe eles vendo a fumaça e não agiu na hora , eu tenho mas uma opinião os policiais e a agetran que estavam 5 quadra em volta do local , eles foram ate no acontecido e eles tinha que se comunicar na hora via radio ou ate mesmo via celular ,para ajudar no transito na hora. Não esperar tumultuar para fechar em volta do acontecido. Tem que ser de imediato mas assim mesmo os bombeiros , militares e agetran e outros que ajudaram e ainda ajudam estão de parabéns ! .
 
cleber falcao em 08/05/2013 23:13:51
Infelizmente o comodismo faz parte do cotidiano de qualquer brasileiro, só lembra da saúde quando está doente, lembra da segurança quando é roubado, lembra do extintor quando tá pegando fogo, aliás eu pergunto a todos os que tem veículos, verificaram a validade de seu extintor, e se tem pressão ainda? Não né.
 
André Lima em 08/05/2013 23:12:02
...como que um caminhão pipa, do corpo de bombeiros, vai a uma chamada de combate a incendio SEM ÁGUA !! Se isso for verdade, alguém me explica !
 
sergio correa em 08/05/2013 22:38:21
EU MOREI 5 ANOS NESSA CIDADE, E HOJE EU ENTENDO PORQUE ESSE ESTADO NAO FOI PRA FRENTE, UMA CAPITAL COM CARA DE INTERIOR, PARADA NO TEMPO, SEM INDUSTRIAS, SEM MAO DE OBRA, TAXAS E IMPOSTOS MAIS CAROS, 90% DOS PRODUTOS VEM DE OUTROS ESTADOS O GOVERNO SO COBRA OS TRIBUTOS EM CIMA E MAIS NADA.
O QUARTEL DO BOMBEIRO FICA EXATAMENTE 3 QUARTEIROS E MEIO, NO MAXIMO LEVARIA 4 MINUTOS COM MUITO TRASITO, ESSA BRIGADA ULTRAPASSADA SEM EQUIPAMENTOS E TREINAMENTO, UMA LASTIMA MESMO.
 
MARCIO MALAGOLI em 08/05/2013 21:49:16
A culpa não é dos bombeiros estes sim são heróis,mas sem equipamentos fica dificil.
 
karla heringer em 08/05/2013 21:01:18
Com o salario que serão gastos com os novos vereadores daria pra equipar todos os postos do Corpo de Bombeiros da capital,não sei pra que 29 vereadores só pra coçar o saco e ainda mais gastar com aluguel.chega de exploração do povo senhores.
 
ISMAEL ROZENDO BENITEZ em 08/05/2013 20:29:38
O culpado disso é o Governo do Estado de Mato Grosso do Sul, que não investe em segurança publica seja bombeiros, policia militar ou policia civil, na pm as poucas viaturas que tem são doações federais.
 
Avner de Souza Felix em 08/05/2013 19:31:35
Agua tem, falta caminhão com bombas de incendio que realmente funcione, e não com gambiarras e não de problema, ou daqui a pouco os bombeiros estarão apagando fogo com balde.
Quanto a 30 viaturas novas, sao conforme o governador, pouco mais de 5 milhões, ora, se um caminhão de incendio bom, novo, custa entre R$ 800.000,00 a mais de 1.000.000,00, serão trinta viaturas de que tipo?
 
Junior Mascarenhas em 08/05/2013 19:10:42
Pessoal é facil culpar os Bombeiros, tanto de impostos que pagamos será que não tem como tirar 1% que seja do IPTU , IPVA, da Conta de Luz ou água que pagamos e destinar para a Segurança Publica, principalmente para os bombeiros, será que não tem um politico que possa ter uma ideia desse tipo e criar uma lei, sei lá fazer alguma coisa, será que vai ter que acontecer um desastre maior, para resolver esse problema.
 
Israel da Silva Junior em 08/05/2013 18:51:16
Agoram querem jogar a culpa na falta de estrutura do Corpo de Bombeiros, mas será que os empresários investem nos equipamentos de proteção contra incêndio, como determina a lei? Na verdade em um incêndio dessa proporção, vários fatores contribuiram para o sinistro, como o local onde o fogo iniciou, o tamanho do prédio, a grande quantidade de material inflamável, o trânsito que dificultou o acesso a tempo dos caminhões bomba e tanques dos bombeiros, etc., e até mesmo a grande presença de curiosos que acabaram por dificultar a ação dos nossos bombeiros, verdadeiros heróis do dia-a-dia. Essa discussão tem uma certa dimensão política, afinal temos que sempre achar culpados e os verdadeiros culpados sempre querem se eximir de suas obrigações.
 
Athayde Fontoura em 08/05/2013 18:06:49
Culpar A ou B e fácil, mas todo prédio acima de três andares teria que ter pelo menos uma reserva de água para combate a incêndio na média de uns trinta mil litros, inicialmente. Esta aguá deve ser conectada através de tubulação a hidrantes nas calçadas e ter pressão suficiente para acionar os esguichos das mangueiras de combate a incêndio. Lojas grandes também devem ter também este sistema. Isto é prevenção. O Carro do bombeiro, com moto bomba acopla no hidrante e teria a água disponível para iniciar o combate ao incêndio.Grandes concentração populacional; limita o trafico de caminhões pesados para o transporte dágua.
 
Luís Eloy Alves da Costa em 08/05/2013 17:37:56
""agora fica a preocupação com outros incêndios. “Se pegar fogo nesta proporção em um prédio residencial, morre todo mundo queimado, pois a escada dos bombeiros é curta, os caminhões são velhos e sem condições, vivemos em uma capital que cresce sem estrutura”, critica Silvana." Senhor governador ja esta na hora de salvar os Bombeiros.

 
Lucas da Silva em 08/05/2013 16:52:11
Bom eu nao sei o q acontece a culpa nao é dos Bombeiros e sim da Prefeitura, Estado, pois deveriam dar condicoes para eles pode trabalha.Outra coisa por que o Caminhao estava sem agua?Sera que todos os dias no periodo da manha nao tem que abastecer esses caminhoes? Ate porque ninguem sabe quando vai acontece algo desse tipo.Graças a Deus foi so bem materiais pois se tivesse gente la teria morrido devido a falta de estrutura.Ta na hora do Prefeito e Governador ve isso, na verdade esta passando da hora....
 
Susan K. Mendes em 08/05/2013 16:42:41
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions