A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

12/04/2013 10:14

Filho de ex-prefeito é "condenado" a pagar R$ 1.007,00 por homofobia

Nícholas Vasconcelos
Jovem acusado de agressão vai pagar R$ 1 mil pelo crime. (Foto:Arquivo)Jovem acusado de agressão vai pagar R$ 1 mil pelo crime. (Foto:Arquivo)

“Você pode bater em qualquer um, mas se tiver R$ 1 mil você paga pelo erro” a declaração é do jovem de 23 anos que foi agredido depois de sair de uma boate em Campo Grande em 2011. 

Nesta quinta-feira (11) foi realizada a audiência criminal sobre o caso, que envolve André Baird, filho do ex-prefeito de Costa Rica, Jesus Baird, e mais três jovens na saída da boate Neo, na região central da cidade. A decisão da Justiça foi o pagamento de R$ 1.017 por cada um dos agressores para instituições de caridade. O valor ainda poderá ser dividido em quatro vezes, 

A vítima afirma ter sido agredido por homofobia, enquanto os agressores negam que esta tenha sido a causa do crime. Na época, André Baird, confirmou para a delegada Daniela Kades que a causa da agressão foi a orientação sexual do estudante.

O rapaz conta que durante a audiência André se mostrou inquieto, tendo dito inclusive que estava com pressa e precisava ir embora, independente do valor que seria cobrado pela Justiça.

A vítima, que na época do crime tinha 21 anos, havia saído da boate na rua 15 de Novembro e estava sentado com um amigo na esquina das ruas Boa Vista e Bahia, quando os jovens passaram eu um carro e começaram a xingá-los.

Logo em seguida, dois dos jovens desceram do veículo e correram em direção às vítimas. Segundo o jovem, ele pensou que se tratava de um assalto e gritou para o amigo correr porque eles seriam roubados.

O jovem desceu pela rua Bahia, e virou à direita na avenida Fernando Corrêa da Costa, enquanto o amigo continuou pela rua Bahia.

A vítima correu pela avenida, seguido pelos agressores, até que caiu no chão e começou a apanhar. Depois de alguns minutos, a agressão terminou e os quatro jovens voltaram para o carro, mas logo retornaram e recomeçaram a surra.
Terminadas as agressões o grupo foi embora e o rapaz foi socorrido por outros jovens que passavam pelo local. A

De 2011 até hoje, o rapaz convive com piadas sobre as agressões que causam constrangimento e fazem não esquecer a violência. 

Além do constrangimento, o rapaz tem de conviver com o receio de sair de casa por medo de ser vítima de novas agressões como as sofridas há dois anos.

“É uma coisa forte que eu carrego comigo, sempre saio de casa com medo”, revela.

Além da ação criminal, corre na Justiça o inquérito Cível para o pedido de reparação de morais. A data desta audiência ainda não foi agendada.



BRASIL MOSTRANDO TUA CARA!
 
William Menkes em 17/04/2013 10:59:02
Caso este cidadão fosse presidente do Conselho de Direitos Humanos da Camara teria tipo mais problemas. Onde estão os movimentos "organizados" ongs e afins para este caso?
 
Orivaldo Mundim em 12/04/2013 17:58:21
Temos que rever nossas leis, esses garotos tinham que ser punidos com mais rigor, pagar 1.000,00 é muito pouco, eles tinham que ser condenados e pegar pena, onde jpa se viu agredir o outro sem motivo!. Cadeia Neles!!!

 
Maria A. Nazareno da Silva em 12/04/2013 17:48:51
Só para esclarecer, o problema não é a justiça, essa apenas aplica as leis que o Legislativo cria, ou seja, temos que cobrar dos deputados, senadores, enfim, dos políticos que elegemos. O Judiciário está amarrado a essas leis. Ou seja, a culpa é nossa, que não cobramos nada dos nossos políticos!!!
 
Thiago Vargas em 12/04/2013 17:34:37
O povão tem que entender que tudo tem um preço.
Até a justiça, porque não?

 
Elviria Santos Ferreira em 12/04/2013 16:36:39
Belo exemplo....agride um terceiro sem motivo algum, e paga R$1000,00 e tá liberado....
 
Caio Prado em 12/04/2013 16:01:07
mais a justiça de Deus,essa não falha...
 
lena campos em 12/04/2013 15:19:16
Parabéns "justiça e população" de Mato Grosso do Sul !!!!
 
Igor Vieira em 12/04/2013 13:15:54
Meu conselho para os jovens de hoje é: estude, fique rico porque só assim você estará acima da lei. Só assim você poderá ser indenizado decentemente quando alguém lhe causar prejuízo ou poderá fazer o que bem quiser sem ser punido pelos seus atos.
 
Fernando Alonso em 12/04/2013 11:22:15
O bonitao alem de ser agressor ... ainda na audiencia diz que ta com pressa para ir embora ....isso mostra que nao tem respeito nem pelas autoridades policiais imagine com os outros .....mas como diz o ditado.....educaçao e carater vem de berço ...quando nao tem isso cresce e vira isso ai !!!!!
 
rogerio carvalho em 12/04/2013 11:09:44
Aoowwwww Brasil hein!!!! Uma salva de palmas para as nossas leis!!!!
 
Juliana Alves em 12/04/2013 11:02:26
Mais um parente de político que se acha acima da justiça.

E os outros casos de parentes de políticos como estão?

Do jovem que morreu com pancadas com taco de basebol,e o outro da boate??

R$1.000,00 reais é pouco,uma semana na prisão já estava bom.
 
marco antonio em 12/04/2013 11:01:34
Valor irrisório em relação aos danos causados à vítima e à sociedade.
Todo mundo, se quiser, tem direito de não gostar de homossexuais, mas a violência gratuita (física ou verbal) é transpor os limites da liberdade de expressão.
Eu também não tenho muita simpatia por um bando de gente, mas isso não me dá o direito de sair batendo em todo mundo...
 
Rev. Carlos Eduardo Calvani em 12/04/2013 10:54:30
Papi tem dinheiro, por isso é só pagar.... só isso minha gente!
 
Sandra Coelho em 12/04/2013 10:46:43
Estes marginais deveriam estar na cadeia, mas como tem um pouco de dinheiro, este faz a justiça, e todos estão liberados, logo estão cometendo crimes outra vez, e ainda piores. Este é o Brasil... justuiça para poucos...
 
Pedro Pereira Neto em 12/04/2013 10:26:00
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions