A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

03/10/2013 16:30

Greve compromete salários e deixa caixas sem dinheiro na Capital

Lidiane Kober
Se não achar agência aberta, Nolar perderá a venda de um carro à vista (Fotod: Marcos Ermínio)Se não achar agência aberta, Nolar perderá a venda de um carro à vista (Fotod: Marcos Ermínio)
Hermes procura um banco aberto para reservar dinheiro  a fim de pagar seus 25 funcionários Hermes procura um banco aberto para reservar dinheiro a fim de pagar seus 25 funcionários

Com 91 das 100 agências da Capital fechadas, a greve dos bancários compromete o pagamento de salário dos campo-grandenses e já deixa caixas eletrônicos sem dinheiro. A paralisação também está apavorando quem não consegue pagar as contas por conta do temor com os juros, além disso, vem prejudicando o fechamento de negócios na cidade.

Desde ontem (2), o empresário do ramo da construção civil, Hermes Fernandes Lima, 35 anos, está percorrendo agências do Banco do Brasil na tentativa de encontrar uma para fazer reserva a fim de pagar seus 25 funcionários. “Sempre paguei no quinto dia útil do mês, mas, até agora, onde passei, a informação é de que não tem prazo para o atendimento voltar ao normal”, relatou.

Da agência da Avenida Afonso Pena, esquina com a Rua 13 de Maio, ele saiu angustiado, após mais uma negativa, na tarde desta quinta-feira (3). “Não tem nenhum caixa aberto, só os eletrônicos, mas o limite de saque é pequeno”, comentou o empresário. Ontem, o Banco do Brasil anunciou aumento no limite de saque para até R$ 2 mil. Hoje, no entanto, o valor voltou a ser de R$ 1 mil, conforme Hermes.

No entanto, na agência do Banco do Brasil da Avenida Eduardo Elias Zahran, no Bairro Vilas Boas, um cartaz informava aos clientes de que o limite de saque no caixa eletrônico tinha sido duplicado durante a greve.

Banco do Brasil colocou informativo para os clientes sobre ampliação de limite (Foto: Lucimar Couto)Banco do Brasil colocou informativo para os clientes sobre ampliação de limite (Foto: Lucimar Couto)

Na agência do BB no Centro, o lojista Nolar Gottsilig, 53 anos, saiu mais que angustiado. “Vou perder a venda de um carro se não encontrar um caixa aberto para meu cliente fazer a transferência do dinheiro”, contou. O consumidor veio de Sidrolândia para comprar um veículo na Capital. “Ele quer pagar à vista, mas não encontrou um banco aberto na cidade”, emendou o lojista.

Ele, inclusive, chegou a ser barrado no elevador da agência quando foi atrás de serviço interno. “A informação é de que ninguém sobe”, disse. “Desde o início da greve, pelo menos dois negócios perco por semana”, acrescentou. A paralisação entrou, nesta quinta-feira, para o 15º dia.

A pedagoga Gisele Cristina de Souza, 32 anos, foi outra que deixou o Banco do Brasil sem conseguir ser atendida. Ela foi em busca de uma ordem de pagamento superior a R$ 1 mil. “Sem esse dinheiro não tem como pagar minhas contas e vou ter de arcar com os juros”, lamentou.

Na agência da Caixa Econômica Federal da Rua 13 de Maio, esquina com Marechal Cândido Mariano Rondon, o serviço de depósito foi suspenso diante da paralisação dos funcionários da tesouraria. No mesmo banco, apenas dois, dos cerca de 10 caixas eletrônicos, estavam com dinheiro.

“Fiquei pelos menos uma hora para sacar o dinheiro”, relatou o aposentado Gilmar Rivarola, 57 anos. Segundo ele, faltam funcionários para fazer a manutenção dos caixas eletrônicos. “Pelos menos é isso que estão nos informando lá dentro”, contou.

No Bradesco da Rua Marechal Rondon, esquina com a Rua 13 de Maio, clientes também relataram o problema. Na agência, no entanto, segundo um estagiário, os bancários voltaram a atuar na sexta-feira (27).

Pouco adiante, no Banco Itaú, da Rua Marechal Rondon, a empresária Ana Claudia Monaco, 40 anos, saiu desolada. Ela procurou a “boca do caixa” para resolver o problema de um cheque que voltou. “O banco está fechado e, há duas semanas, estou acumulando problemas por conta da greve”, desabafou.

De acordo com a presidente do Sindicato dos Bancários de Campo Grande, Iaci Azamor Torres, 91 das 100 agências da Capital e mais 10 do interior do Estado aderiram à greve, nesta quinta-feira. Ela informou que hoje presidentes dos sindicatos de vários estados estão reunidos em São Paulo para discutir o futuro da paralisação.

A categoria pede reajuste de 11,93%, o que representa aumento real de 5% acima da inflação. Outra reivindicação é o fim das demissões, das metas abusivas e da terceirização. O mês de setembro era a data-base para negociação salarial dos bancários.

Banco do Brasil retira cartazes, mas greve fecha 92% das agências
Clientes que passaram por agências do Banco do Brasil em Campo Grande, na tarde hoje (1º), notaram a ausência dos cartazes que informam sobre a greve...
Após confusão em agência, BB afirma que respeita direito à greve
O Banco do Brasil, por meio de sua assessoria de imprensa em Brasília (DF), afirmou que respeita o direito à greve dos bancários, mas que fará o que ...


EU ESTOU AFASTADO DO TRABALHO PELO INSS A TRES MESES . E O BANCO DO BRASIL FICO DE MANDAR O CARTAO E FICO SO NA PROMESSA ANTES ERA A GREVE DOS CORREIO E AGORA COM OS BANCOS EM GREVE ELES FALA QUE NAO PODEM FAZER NADA . E PROPLEMA DA GENTE ENTAO ESTOU PASSANDO POR DIFICULDADES TENHO UM IRMAO DEFICIENTE E UM PAI IDOSO E ESTOU PASSANDO POR DIFICULDADES NAO SEI OQUE FAZER . ESTA HISTORIA MEU DINHEIRO FICA PRESO E EU COM DIFICULDADE PASSANDO POR HUMILHAÇOES E VERGONHA PORQUE EU NAO POSSO FAZER NADA . QUE MUNDO ESTAMOS VIVENDO OS PREJUÍZOS QUE NOS VAMOS ERDAR VAI VIRAR PIADAS . PARA OS BANCARIOS PORQUE ELES SABEM QUE PODEM PREJUDICAR TODOS OS COITADOS DAS PESSOAS QUE O NOSSO PAIS NAO VAI PUNIR NINGUEM
 
LUCILIO ANCELMO em 05/10/2013 12:23:00
Um absurdo essa greve, esta prejudicando a populaçao que precisa da rede bancaria, se desse pra fazer tudo pela internet, como alguem comentou, nao precisaria de agencias, hj fui a uma agencia do BB para simplesmente protocolar uma portabilidade e me trataram muito mal, com grosseria ate, como se eu fosse culpada do salario dele q francamente nao eh nada ruim, fiquei mto revoltada to sem cartao pois o meu venceu e nao chegou pelo correio e nao quiseram disponibiliza-lo, tanta gente trabalha por um salario minimo sem ticket alimentaçao e outros beneficios e os bancarios vivem nessa baderna de greve, ah fala serio, desabafei, to enrolada e vou ter q esperar o fim dessa greve para agilizar minha vida.
 
alessandra ferraz em 04/10/2013 21:08:35
Cada um que aparece aqui com comentário descabido, porque outros aceitam viver na miséria, todos devem aceitar e concordar com a mesma situação? os países que se desenvolveram, conseguiram melhorar a situação do seu povo com muita luta e sangue, aqui enquanto o povo não se levantar vão ser explorados, apoio a greve dos bancários, banqueiro tem que dar mais da sua participação social para este país, o dump social executado em cima deste povo é um dos maiores do mundo, é muita exploração.
 
Antonio Carlos em 04/10/2013 18:51:14
"Se não ta contente com o salario, sai e dá lugar pra outro" Lendo isso eu me pergunto pra que serviu aquele dia 20 de junho? Se toda classe fizesse valer seus direitos como os correios e bancos estão fazendo, talvez os trabalhadores teriam melhor condição de trabalho. Dar lugar para outros, quem? Os conformados com migalhas? Não sou bancaria nem trabalho nos correios, muito menos puxando o saco de ninguem, sou apenas a favor dos direitos do trabalhador, seja de qualquer classe, e contra o conformismo que, infelizmente, a maioria dos brasileiros carrega consigo, fazendo com que assim, pessoas que acham que se esta bem pra ele ta bom, se aproveite da situação.
 
Clara Machado em 04/10/2013 15:02:10
Em uma sociedade capitalista e imediatista, sair um pouco de sua zona de conforto é o suficiente para se incitar a violência, julgar e condenar erroneamente toda uma classe.
É o duro refllexo de um povo que não briga e não luta pelos seus direitos e não enxerga nas classes trabalhadoras um IGUAL a você. Querer um um trabalho digno e um salario decente é legítimo. Aqueles que lutam por isso, devem ser respeitados.
Enquanto ainda houver o Direito Constitucional à greve, ele deve ser exercido, já que mostra ser um caminho tortuoso mas eficaz de negociação. Diferente do poder legislativo e executivo que aumenta ou barganha o próprio salário, o bancário (assim como professor, o policial, o bombeiro, o enfermeiro etc) ainda tem que usar dessa prerrogativa (greve) para ser notado. Reflitam.
 
Glauber S R Martelli em 04/10/2013 09:33:07
Quando Vocês vão entender que o errado são os banqueiros que roubam TODOS NÓS com o aval do governo e da justiça. Todos os dias vamos aos bancos e somos desrespeitados nas lendárias e intermináveis filas por que não tem funcionários suficiente pra atender todo mundo poque os banqueiros não querem pagar mais salários para cumprir um direito que é nosso: O MÁXIMO DE 15 MINUTOS EM UM FILA! Não se enganem, A GREVE É CULPA DOS BANQUEIROS SIM! Pelo que li nas reportagens os bancários estão tentando negociar desde muuuuuuito antes de entrarem em greve por condições de atendimento, e não só salário. Eles estão brigando pelos nossos direitos também. ACORDA POVO, BUSCA MAIS INFORMAÇÃO ANTES DE FORMAR UMA OPINIÃO!
 
Gabriel Souza em 04/10/2013 09:01:40
Já virou palhaçada essa paralisação, na hora de fazer o concurso acha o salário bom, depois ficam causando esse transtorno todo, se querem um salário melhor é simples, vão estudar pra passar em um concurso que pague mais, muita gente faz isso!! mais é mais fácil fazer baderna né
 
Daniel Lima em 04/10/2013 09:01:17
TERIA QUE PARAR A COMPENSAÇÃO DE CHEQUES
 
WILLERSON ZAMPIERI em 04/10/2013 08:41:58
Alguns pontos merecem elucidação:
* O Direito de Greve é previsto na Constituição Federal
* A vasta gama de canais alternativos serve justamente para isso, mas entendo que depende da capacidade intelectual dos usuários
* Realmente conta em banco é que nem casamento, você pode procurar o que o faça mais feliz.
* À colega que vai encerrar a conta em todos os bancos, sempre existirá o colchão para guardar dinheiro
* A quem acha que bancário não trabalha, há que se pensar quando vamos a qualquer repartição e esperamos 1 hora, 1 hora e meia para pedir um documento e demora no mínimo 5 dias úteis. Até no Procon!
* Fato é que não vejo ninguem reclamando por esperar na fila em pleno meio dia para fazer uma "fezinha" na Mega-Sena
* Por fim, nós não precisamos gostar de greve e sim respeitar.
 
Maria Iyanla Zant em 04/10/2013 08:12:51
ATÉ QUANDO SEREMOS PREJUDICADOS PELA GREVE DOS BANCÁRIOS?
Enquanto isso, AS CONTAS ESTÃO CHEGANDO, OS SALÁRIOS ATRASADOS...
EM PARTES, os bancários tem razão em aderir a greve e exigir melhores condições de trabalho. O que JAMAIS podem fazer é PREJUDICAR A POPULAÇÃO QUE TEM QUE PAGAR CONTAS E PRECISA DE OUTROS SERVIÇOS BANCÁRIOS.
Tomara que a greve NÃO CHEGUE próximo de 1 MÊS.
Caso contrário, está na hora de voltar as passeatas (como as que aconteceu em junho) e em frente aos bancos.
 
Marcelo Mattos em 04/10/2013 08:03:55
Tem que demitir tudo ! Funcionário que não quer trabalhar tem que ir pra rua ! O salário é X, se não tá contente, pede pra sair ! Tem tanta gente querendo trabalhar, enquanto um bando de "sindicalistas" fazem greve e prejudicam a POPULAÇÃO, responsável pelo salário desses FOLGADOS !
 
Gabriel Santos em 04/10/2013 00:39:28
alguém sabe onde tem alguma caixa econômica funcionando?
 
barbara santos em 03/10/2013 20:47:59
Como o pessoal reclama de tudo... hoje em dia tantos canais alternativos para fazer as transações. A maioria atrasa as contas porque quer jogar a culpa nos bancários.
Outra a coisa a greve é geral, pelos bancos que fazem acordo com a FEBRABAN, e Sicredi não é banco.
 
Alan Baléro em 03/10/2013 20:14:43
Primeiro ponto: Os bancos deveriam segurar o pagamento do salário dos grevistas, já que não estão trabalhando.
Segundo ponto: Os grevistas, funcionários dos bancos, TRABALHAM PARA OS BANCOS, e não para o cliente, sendo que muitas vezes prejudicam o cliente em favor do banco, por isso não contem com meu apoio, sem contar o fato de estarem, mais uma vez, com a greve, prejudicando o correntista.
Terceiro ponto: O salário deles, é problema deles com os bancos e não com o correntista, sem contar o fato de eles não me ajudam em nada a aumentar o meu salário, muito pelo contrário, com estes juros absurdos, tanto patrões, quanto empregados, tomadores de empréstimos, acabam deixando uma boa parcela dos lucros/salários, nos bancos.
 
Samuel Aguiar em 03/10/2013 19:30:17
Vou encerrar minhas contas nesses bancos! Chega de palhaçada viu!
 
Aline Carvalho em 03/10/2013 19:15:28
A Clara Machado tem razão: infelizmente, para que os bancos cedam na negociação dos salários tem que sentir que o atendimento prestado pelos funcionários é imprescindível para os negócios deles... E os lucros que os bancos tem no Brasil são astronômicos, deveriam reajustar os salários dos funcionários e valoriza-los mais... E quem sabe diminuir as tarifas!
 
Prudenciano Rodrigues em 03/10/2013 18:23:19
Acredito que temos que fechar nossas contas nos bancos públicos, pois tenho conta na caixa e não consigo fazer minhas transações, é uma vergonha isso que esses bancários fazem com a gente.
ontem estava na agência do banco do bradesco e tinha dois sindicalista fazendo o maior arruaça que vergonha esse país
 
jose silva em 03/10/2013 17:33:22
Gente deixe de trabalhar com estes bancos, depois de tanto transtorno mudei para o SICREDI, pelo menos não tem greve e sou bem atendido.
 
Carlos Pereira em 03/10/2013 17:25:57
Bem que o felipao disse, vai ser bancario. é um povo que nao quer trabalhar. so sabe de greve os bandidos tem que roubar as agencia mesmo e levar os bancarios juntos... nao querem nem saber da população estao pior que medicos, depois falam dos medicos e outros profissionais.......acho que os bancarios nao tem familia nem parentes. pois com certeza se eu fosse um bancario teria vergonha de ver o povo nao podndo pagar suas contas..
 
mario da silva em 03/10/2013 17:14:49
Mas é exatamente esse o intuito da greve: prejudicar o atendimento ao publico, causando transtornos, seja de bancos, correios, professores, policiais, etc. E com o prejuízo, força-se a negociação. Infelizmente é assim que as coisas se resolvem nesse país!!!
 
Clara Machado em 03/10/2013 17:14:40
A informação de que a agência do Bb na Afonso Pena, esquina com a 13, não está atendendo não procede. Está aberta sim. Fui lá hoje e fui atendido.
 
Ricardo Grião em 03/10/2013 16:53:37
não sou contra a categoria trabalhista fazer greve DESDE que não prejudique a população...quantos dias já de greve??/Têm botar algumas agências funcionando PORQUE a população não pode ser prejudicada...cada um com seus problema...agora prejudicar o povo...assim não...Não é tudo que a gente consegue fazer em caixa eletronico, os bancários têm de entender isso......
 
Maria Antonia em 03/10/2013 16:44:38
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions