A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 25 de Junho de 2018

18/05/2011 17:56

Assaltante preso confessa envolvimento em assassinato ocorrido há 14 meses

Nadyenka Castro e Ana Paula Carvalho

Um dos autores morreu neste ano

Juliano confessou o crime e foi apresentado na Derf. (Foto: João Garrigó)Juliano confessou o crime e foi apresentado na Derf. (Foto: João Garrigó)

Juarez Alves Feitosa, 35 anos, morto em 11 de março do ano passado, na avenida Gury Marques, em Campo Grande, foi atingido por um tiro na nuca ao ser abordado por dois homens que tinham intenção de assaltá-lo.

Os envolvidos no crime e o motivo só foram descobertos neste mês, pela Derf (Delegacia Especializada de Repressão a Roubos de Crimes e Furtos). Um dos autores, Juliano Silva dos Santos, 26 anos, confessou o crime.

Ele contou que foi Adriano do Nascimento Nogueira, 24 anos, foi quem atirou em Juarez. Adriano foi assassinado dia 11 de abril deste ano, na Vila Nhá Nhá, na Capital, com três tiros.

Juarez seguia para casa junto com o sócio, Aparecido Fernandes Pereira, quando na avenida o veículo Saveiro, de Aparecido, parou por problemas mecânicos.

Aparecido entrou debaixo do carro e Juarez ficou em pé, ao lado. Adriano e Juliano pararam ao lado de Juarez, em uma motocicleta, e o abordaram com a intenção de assalta-lo.

Adriano, quem atirou em Juarez, foi morto um ano depois, na Vila Nha-Nhá. (Foto: João Garrigó)Adriano, quem atirou em Juarez, foi morto um ano depois, na Vila Nha-Nhá. (Foto: João Garrigó)

No entanto, de acordo com relato de Juliano à Polícia, Juarez fez um movimento brusco e Adriano, o qual era conhecido como Juninho, se assustou, pensou que a vítima fosse reagir e então atirou.

Juarez foi atingido na nuca e morreu na hora. A família dele dizia que o crime havia sido encomendado pela esposa e pelo sócio dele, versão que não foi confirmada.

A Derf chegou até à dupla após ser informada de que dois dos envolvidos ao assalto à Sobaria do Beto, ocorrido também ano passado, eram autores de um assassinato. Juliano e Adriano estavam entre eles, sendo que o primeiro ainda estava preso pelo roubo quando confessou a morte de Juarez.

Familiares e polícia buscam respostas para latrocínio
A morte do comerciante Juarez Alves Feitosa, de 35 anos, ocorrida na noite de ontem na Avenida Gury Marques, na Capital, une familiares, amigos e a P...
Justiça considera concorrência desleal pesquisar preços no comércio vizinho
Pesquisa de mercado foi considerada "concorrência desleal" em decisão do TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul). Isso depois que rede de ma...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions