ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, QUINTA  23    CAMPO GRANDE 21º

Capital

Homem que sequestrou mulher e filha levaria vítimas para o Paraguai

Erimar ainda disse que a mulher havia consentido com a fuga. Ele e o comparsa seguem presos da Deam (Delegacia Especializada de Atendimentos à Mulher)

Por Adriano Fernandes | 31/01/2017 18:59
Erimar tentou fugir mais foi preso em flagrante junto ao comparsa. (Foto: Divulgação Polícia Militar)
Erimar tentou fugir mais foi preso em flagrante junto ao comparsa. (Foto: Divulgação Polícia Militar)

Preso em flagrante depois de ter sequestrado a ex-esposa de 27 anos, e a própria filha de oito meses, nesta madrugada (31), Erimar Fagundes, de 27 anos, confessou à polícia que levaria as vítimas para o Paraguai.

O rapaz e Giovani Lopes Rodrigues, de 35 anos, que também está preso, invadiram uma residência no Bairro Parque do Sol em Campo Grande, e as levaram depois de terem agredido outros moradores.

Mãe e filha passam bem, conforme explica a delegada responsável pelo caso Priscilla Anuda Quarti Vieira da Deam (Delegacia Especializada de Atendimentos à Mulher). 

Foram ouvidos como testemunhas o pai e o irmão da vítima – que também foram agredidos durante o sequestro -, os policiais militares que participaram da prisão dos suspeitos e o borracheiro onde a mulher foi pedir socorro depois que o veículo em que era mantida refém, um Astra, prata, estourou o pneu.

Erimar e Geovani invadiram a residência por volta das 04h de hoje (31), munidos de facas e armas. Eles agrediram a família e segundo a delegada, ainda roubaram dois celulares e R$ 50 em dinheiro e em seguida fugiram levando a mulher e a bebê como reféns.

Pela manhã, um dos familiares havia dito que eram quatro homens que tinham invadido a residência, mas a polícia constatou que apenas a dupla participou da ação. “O Erimar negou o sequestro e ainda disse que ela havia consentido em ir com ele para o Paraguai”, comenta Priscilla. No entanto, um dos pneus do veículo estourou durante a tentativa de fuga.

Segundo a delegada, Erimar ainda deixou o comparsa em sua residência na Vila Manoel Taveira, e seguiu em busca de um concerto em uma borracharia próximo ao cruzamento entre as avenidas Euler de Azevedo e Presidente Vargas.

Geovani foi preso em sua residência, depois de Erimar confirmar participação de comparsa. (Foto: Divulgação Polícia Militar)
Geovani foi preso em sua residência, depois de Erimar confirmar participação de comparsa. (Foto: Divulgação Polícia Militar)

“Na borracharia ele ainda a agrediu com socos e pontapés e um desses chutes até atingiu a testa da bebê. Foi quando a mulher conseguiu descer do veículo e pedir ajuda aos funcionários dizendo que havia sido sequestrada”, conta.

Houve discussão e Erimar chegou a ameaçar a a mulher e os funcionários do local, quando um outro cliente resolveu acionar a policia. Ele tentou fugir, mas foi contido por agentes do 1º Batalhão do Pelotão Coophatrabalho e um funcionário da borracharia. Durante a abordagem ele indicou onde o comparsa estava.

No local, os agentes prenderam Geovani e também encontraram uma pistola e uma arma calibre 12, os celulares, dinheiro, e as toucas e facas usadas no sequestro. “Eles estão presos em flagrante e ainda esta semana devem passar pela audiência de custódia. A mãe e o bebê também já foram encaminhados para fazer os exames de corpo de delito”, explica Priscilla.

Histórico violento – Em julho do ano passado Erimar foi preso, mas solto pela polícia depois de ter agredido com tapas e mordidas essa mesma bebê, na época com apenas 42 dias de nascimento.

A criança foi atendida primeiramente na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) da Vila Ameida e depois levada pela mãe para a Santa Casa. Na ocasião a mãe, disse que ele teria dado um tapa na criança e a mordido por ter se irritado com o choro. Ela conseguiu fugir de casa, quando o marido saiu, e contou com a ajuda de um amigo.

“Mas ele já acumula um total de 28 boletins de ocorrência, na maioria deles pelos crimes de violência contra a mulher”, comenta a delegada. Em 2009, ele também teria tentado sequestrar uma ex-namorada na cidade de Bela Vista.

Geovani, também conhecido como ‘Diabo Loiro’, já foi fichado por roubo, posse irregular de arma de fogo, furto, receptação, extravio e dentre outros delitos. Eles vão responder pelos crimes de violência contra a mulher com agravantes por sequestro, roubo, vias de fato, lesão corporal, ameaça e injúria.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário