ACOMPANHE-NOS    
ABRIL, SEXTA  16    CAMPO GRANDE 21º

Capital

Juiz autoriza youtuber, que perdeu a “paz” após prisão, a mudar de casa

Eduardo Rezende, dono de canal no YouTube com quase meio milhão de seguidores, alegou ter recebido visitas inconvenientes

Por Anahi Zurutuza | 03/09/2020 09:32
Eduardo Rezende junto ao Corolla com placas paraguaias que, segundo a polícia, iria para desmanche (Foto: Reprodução YouTube)
Eduardo Rezende junto ao Corolla com placas paraguaias que, segundo a polícia, iria para desmanche (Foto: Reprodução YouTube)

O juiz Roberto Ferreira Filho, da 1ª Vara Criminal, deferiu o pedido de Eduardo Rezende da Silva, de 26 anos, dono de canal no YouTube com quase meio milhão de seguidores, para mudar de casa. No pedido, a defesa do investigado alegou que o youtuber “perdeu a paz” desde que foi preso há quatro meses e teve seu endereço exposto. A intenção do rapaz é se mudar para apartamento.

Conhecido como “Dudu” ou “Razuk”, Eduardo foi preso em 17 de abril por policiais da 3ª DP (Delegacia de Polícia Civil). Na casa do rapaz, no Bairro Carandá Bosque, a polícia encontrou um Toyota Corolla que teria sido comprado de forma ilegal no Paraguai.

À época, o rapaz pagou R$ 20 mil de fiança para ser solto. Medidas cautelares foram impostas ao investigado, uma delas era o impedimento de trocar o endereço sem autorização judicial.

No dia 27 deste mês, o advogado de Eduardo, Marlon Ricardo Lima Chaves, entrou o pedido para que o cliente pudesse se mudar. Ele argumentou que “com a prisão e as reportagens na sequência, a localização do imóvel do requerente foi exposta”.

Eduardo Rezende decidiu se mudar por segurança. “Por ser uma pessoas pública com muitos jovens que o acompanham nas redes sociais, o local passou a ser visitado com frequência o que torna impossível classificar uma pessoa que esteja ‘rondando’ como sendo uma ameaça ou apenas um seguidor”.

A defesa explica que o youtuber mora em casa alugada e que “a vizinhança tem buscado fazer com que ele deixe o bairro em que reside”.

Em agosto, morador flagrou racha entre dois carros à luz do dia, na Rua Santa Luzia, região do Bairro Carandá Bosque. Um dos veículos, uma BMW 118i azul seria do rapaz. Ao Campo Grande News, ele negou ter praticado o crime de trânsito.

O juiz autorizou a mudança, mas quer ser avisado antes caso o acusado queira trocar novamente de endereço. "Ainda julgo necessária a prévia consulta a este juízo acerca de novas mudanças que porventura venham a ocorrer, de modo que se tenha notícias acerca da localização atual do acusado", registrou.

Prisão e investigação – Eduardo Rezende, dono do canal Razuk Bakstage no YouTube, entrou na mira da polícia depois que publicou vídeo no dia 21 de março desrespeitando o toque de recolher imposto em Campo Grande como medida de combate à pandemia da covid-19. No material, excluído do canal, ele sai de carro pelas ruas vazias da Capital e afirma não ver agentes de segurança para impedi-lo. Aparentemente, está em alta velocidade.

Diante da provocação, a Sesdes (Secretaria de Defesa Social e Segurança Pública) de Campo Grande encaminhou dossiê à Polícia Civil, que abriu inquérito para investigar o youtuber no dia 14 de abril.

Responsável pela prisão naquele mês, o delegado Ricardo Meirelles Bernadinelli informou que um dos carros usado nos vídeos postados no canal chamou a atenção por ter placas paraguaias. O responsável pelo inquérito informou que foram identificadas pelo menos duas ilegalidades. A primeira é que o veículo foi comprado por uma segunda pessoa, que deu endereço falso no Paraguai, mas mora no Brasil, e seria repassado a Dudu.

O Brasil só permite importação de carros novos e por isso a negociação é fraudulenta, explicou Bernadinelli. Um dos problemas dessa operação é a sonegação de impostos. Além disso, para a polícia, a situação configura crime de receptação.

Alvo de novo – No dia 24 deste mês, policiais civis cumpriram três mandados de busca e apreensão em endereços de Eduardo Rezende e de Luan Galasso, do canal “PetrolHead”. A dupla “famosa” é investigada em três inquéritos por receptação, contrabando, adulteração de veículo e crimes de trânsito.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário