A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

25/03/2014 23:48

Juiz condena advogado a pagar R$ 7 mil a bancário por ofensa racista

Alan Diógenes

A Justiça de Campo Grande condenou um advogado a pagar indenização de R$ 7 mil a um bancário que sofreu ofensa racista. Durante atendimento no ano passado em uma agência do banco HSBC, o homem se desentendeu com o funcionário e o chamou de “crioulinho”.

De acordo com o advogado da vítima, identificada pelas iniciais P.A.R.S, Oton Nasser, o réu D.J.M.F foi mal educado, gritou com o funcionário do banco, proferindo palavras de baixo calão ao mesmo. Não satisfeito chegou ao lado de outro trabalhador do local e disse que o atendente era “crioulinho”.

O juiz da 3ª Vara do Juizado Especial Central da Capital, Luiz Claudio Bonassini da Silva, qualificou o fato como racismo e determinou que o acusado pague para a vítima indenização por danos morais no valor de R$ 7 mil.

O advogado Oton Nasser disse que o bancário pretende recorrer da decisão da Justiça, pois acredita que o valor é irrisório. Ele acredita que a indenização definida pelo juiz não vai amenizar o constrangimento que o bancário sofreu.

“Queremos que o autor cumpra uma pena educativa, serviços comunitários, entre outros. Só o dinheiro não vai ajudar a superar a ofensa que meu cliente passou”, finalizou.



Entre outros significados, no Brasil define também as pessoas que são da cor negra, dependendo da colocação em que é dita, e por quem é citada, pode ser vista de forma racista e preconceituosa, pejorativa e é crime inafiançável e imprescritível. nas letras de samba e pagode é comum a palavra crioulo sem que isso venha ser visto como uma forma de racismo, pois normalmente os autores são negros e nesse caso a palavra não é colocada de forma racista ou preconceituosa, e sim considerada uma forma de expressão se referindo a cor negra.
 
juvenil marques do vale em 26/03/2014 11:07:13
O corporativismo funciona na sociedade em geral, se fosse um cidadão comum condenado neste caso de racismo, seu nome estaria estampado em letras garrafais na manchete, mais como é um Dr. Advogado, nós não temos o direito de saber seu nome, o duro é que nestes casos a imprensa nada pode fazer, pois caso contrario acaba sofrendo processo.
 
juvenil marques do vale em 26/03/2014 10:25:01
Cadê a OAB que não caça a carteira deste senhor que se diz advogado? Tem que ser mais severo, não é uma pessoa ignorante das leis, não é um semi analfabeto, é uma pessoa estudada, que sabia muito bem o que fazia no momento e suas consequencias, mas mesmo assim ofendeu uma pessoa e merece uma pena mais severa, para a OAB é uma vergonha que uma pessoa deste calibre seja associado a uma instituição que já foi tão respeitada no passado.
 
maximiliano rodrigo antonio nahas em 26/03/2014 08:40:07
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions