ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
ABRIL, TERÇA  23    CAMPO GRANDE 22º

Capital

Juiz de MS dá 30 dias para executor de Marielle ser levado para o RJ

Ele deve voltar para o sistema prisional do Rio de Janeiro em no máximo 30 dias

Por Kamila Alcântara | 03/04/2024 16:11
Ronnie Lessa quando foi preso em 12 de março de 2019 e no ano seguinte veio para a Penitenciária Federal de Campo Grande (Foto: TV Globo/Reprodução)
Ronnie Lessa quando foi preso em 12 de março de 2019 e no ano seguinte veio para a Penitenciária Federal de Campo Grande (Foto: TV Globo/Reprodução)

O corregedor da Penitenciária Federal de Campo Grande, juiz Luiz Augusto Iamassaki Fiorentini, determinou o retorno de Ronnie Lessa ao sistema prisional do Rio no prazo máximo de 30 dias. Apontado como responsável pelo assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes, o ex-policial militar está na Capital desde 2020.

Conforme publicado pelo jornal O Globo, o magistrado afirma não ter recebido do juiz Gustavo Gomes Kalil, do IV Tribunal do Júri do Rio, a decisão de renovação de permanência no sistema penitenciário federal de Lessa. Fiorentini explica que, com fundamento na lei 11.671/2008, defere o pedido da defesa do ex-PM e determina o seu retorno ao sistema penitenciário de origem.

Em 19 de março, Kalil determinou que Lessa permanecesse em presídio de segurança máxima federal pelo período de até três anos, mas o pedido ainda não chegou a Mato Grosso do Sul. O Tribunal de Justiça do Rio ainda não se pronunciou sobre o caso.

Delação premiada - Para ter a unificação da pena pelos crimes cometidos em uma unidade prisional carioca, Lessa concordou com a delação premiada. Na semana passada, por determinação do ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal), foram cumpridos mandados de prisão preventiva contra o deputado federal Chiquinho Brazão, o conselheiro do Tribunal de Contas Domingos Brazão e o ex-chefe da Polícia Civil Rivaldo Barbosa. Enquanto os dois primeiros teriam ordenado os homicídios, o terceiro teria agido para protegê-los.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias