A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

26/09/2011 18:10

Juiz manda estudante apresentar defesa e adia suspensão do processo

Nadyenka Castro

Endreo Lincoln Ferreira da Cunha é acusado de tentar matar atropelado um policial civil em março deste ano. Nesta segunda-feira ele poderia ter retirada a acusação por três crimes

Acusado de tentar matar um policial civil em março deste ano, em Campo Grande, o universitário Endreo Lincoln Ferreira da Cunha teve adiada a possível suspensão da acusação de outros três crimes e tem 10 dias, a contar desta segunda-feira, para apresentar defesa escrita.

O estudante teria nesta segunda-feira a chance de trocar a acusação de dois crimes de trânsito - fuga do local e dirigir sem possuir Carteira Nacional de Habilitação - e ainda de posse de drogas para consumo próprio, por prestação de serviço comunitário.

No entanto, o juiz Aluízio Pereira dos Santos, da 2ª Vara do Tribunal do Júri, entendeu que se equivocou ao marcar a audiência de suspensão condicional do processo na fase inicial da ação penal.

Ele explica que primeiro irá ouvir as testemunhas, depois o réu e só então irá decidir sobre a suspensão condicional.

Também será avaliado se houve mesmo a tentativa de homicídio ou se o caso configura ter colocado em risco a vida de outra pessoas, crime previsto no Código de Trânsito Brasileiro.

O universitário tem 10 dias para constituir advogado e apresentar a defesa prévia. Ele chegou à audiência sem advogado e, conforme o juiz, tem condições de pagar um profissional, não sendo necessária a nomeação de um defensor público.

O MPE (Ministério Público Estadual) arrolou 23 testemunhas de acusação. O magistrado determinou a especificação de cada testemunha.

O caso - No início da manhã do dia 27 de março Endreo Lincon dirigia uma caminhonete pela avenida Costa e Silva, segundo ele, fugindo de pessoas que queriam agredi-lo após confusão em uma festa nas proximidades.

Ele bateu em dois veículos que aguardavam a cor verde do semáforo e atropelou e arrastou o policial do Garras José Ângelo de Souza Filho, que buscava a filha em um evento que era realizado no estádio Morenão.

De acordo com Endreo, o policial atirou nele e o atingiu de raspão no peito.

Após os fatos fugiu, mas foi localizado em casa ainda pela manhã. Ele foi preso em flagrante e conseguiu liberdade provisória no dia seguinte. Na caminhonete a Polícia encontrou uma porção de maconha.

Na conclusão do inquérito sobre o caso, a Polícia Civil pediu a prisão preventiva de Endreo, com parecer favorável do Ministério Público Estadual. Entretanto, o juiz Aluízio Pereira dos Santos negou o pedido.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions