ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MAIO, QUARTA  22    CAMPO GRANDE 27º

Capital

Justiça manda transferir assassino de diarista para presídio

O acusado, identificado apenas como Rafael, está preso na Deam desde o dia 27 de agosto

Adriano Fernandes | 22/09/2021 19:43
Silvana Domingos dos Santos foi morta aos 31 anos. (Foto: Direto das Ruas) 
Silvana Domingos dos Santos foi morta aos 31 anos. (Foto: Direto das Ruas)

A Justiça converteu em preventiva, a prisão do pedreiro, de 28 anos, que confessou ter assassinado a diarista Silvana Domingos dos Santos, de 31 anos, a golpes de barra de ferro, em Campo Grande. O acusado, identificado apenas como Rafael, foi preso dia 27 de agosto, dez dias após o crime e, desde então, segue na carceragem da Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher).

Ele disse ter executado a vítima após discutir sobre o valor cobrado em um suposto programa sexual. Segundo a polícia, o pedreiro matou Silvana, porque a vítima se recusou a devolver metade do dinheiro, depois de ficar menos tempo do que o combinado entre eles.

O mandado de prisão preventiva foi expedido nesta terça-feira (21), pelo juízo da 1ª Vara do Tribunal do Júri de Campo Grande, que acatou pedido da delegada Bárbara Camargo Alves, que preside os autos de investigação. A ordem foi cumprida nesta quarta-feira (22) e Rafael agora aguarda vaga em presídio.

Investigação - No dia do crime, dia 17 de agosto, imagens de câmera de segurança registraram o momento em que Rafael chega e sai do local do crime, uma residência na Rua Euzébio de Queiroz. Durante a discussão sobre o preço do suposto programa, o suspeito foi até o quintal da casa, pegou uma barra de ferro, voltou para o quarto e matou a vítima espancada.

Silvana foi encontrada em cima da cama, apenas de calcinha e com ferimentos na cabeça. Inicialmente, a polícia suspeitou que ela havia sido morta com três tiros na parte posterior do crânio. O suspeito foi identificado graças ao celular da vítima, levado por ele e vendido por R$ 500 depois do crime.

Com ajuda do setor de investigação da Depca (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente), as equipes rastrearam o aparelho e encontraram Rafael na casa dos pais, no Jardim Leblon. Rafael é solteiro e já possui passagem pelo crime de maus-tratos cometido contra a filha de ex-mulher.

Nos siga no Google Notícias