A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

06/06/2011 18:22

Justiça ouve mulher que chegou 1º em local de acidente com Rayssa

Nadyenka Castro

Porteiro também é ouvido

Na última audiência para oitiva de testemunhas do caso Rayssa são ouvidas duas pessoas que foram arroladas tanto pela defesa quanto pela acusação.

Uma delas é a mulher que chegou primeiro no local do acidente, ocorrido na manhã do 21 de abril de 2009, e a outra é o porteiro do prédio onde mora o primo do condutor do Honda Civic envolvido na colisão com o Fiat Uno, onde estava a jovem.

A audiência é acompanhada por advogados das partes, pela vítima do acidente, Rayssa Favaro, e pelos pais dela.

Após a oitiva destas duas testemunhas será marcado o depoimento de Marcelo Olendzki Broch, apontado pelo MPE (Ministério Público Estadual) como responsável pela colisão.

De acordo com as advogadas dele, Andrea Flores e Rejane Alves Arruda, ele será ouvido por carta precatória, pois está fazendo faculdade de Direito em Porto Alegre, Rio Grande do Sul.

Depois disso, as duas partes - defesa e acusação - apresentam as declarações finais e só então o juiz responsável pelo caso profere a sentença.

Laudos- Segundo Walter Favaro, pai de Rayssa, constam dois laudos sobre o acidente ocorrido no cruzamento da avenida Mato Grosso com a rua Bahia.

Um deles, produzido pela perícia oficial, diz que o Honda Civic trafegava a 103 Km/h e o Fiat Uno a, no máximo, 60 Km/h. “Não fala de sinal”, diz Walter Favaro, referindo-se ao fato de que não consta no documento informações sobre qual veículo teria passado no semáforo vermelho.

Conforme Walter, o laudo traz ainda que o Fiat Uno foi colhido pela lateral pelo Honda Civic.

De acordo com as advogadas de Marcelo, o laudo feito por uma empresa particular a pedido da defesa diz que o Fiat Uno trafegava em velocidade superior a do Honda Civic e que a causa principal da colisão foi que um deles furou o sinal.

Acidente- A colisão resultou em danos materiais nos dois veículos e deixou Rayssa gravemente ferida. Ela ficou alguns meses internada e agora está em cadeira de rodas e apresenta melhoras todos os dias.

Fiat Uno de Rayssa ficou destruído. (Foto: Adriano Hany/ Arquivo)Fiat Uno de Rayssa ficou destruído. (Foto: Adriano Hany/ Arquivo)
Honda Civic conduzido por Marcelo ficou bastante danificado. (Foto: Adriano Hany/ Arquivo)Honda Civic conduzido por Marcelo ficou bastante danificado. (Foto: Adriano Hany/ Arquivo)


é um absurdo isso, gente olha a garato, encontrei ela á alguns dias no shopping, e vi umas fotos dela em um site de relacionamento, este playboy, modificou toda vida dela, será q a justiça não vê.
olha impossivel o fiat uno está acima da velocidade do honda, tenho um fiat uno, e para ele chegar ao 100km na br dá trabalho.e honda é apenas 2pisadas para trocar a marcha e pronto já tá em 110 km/h.
RAYSSA, TORÇO POR VC, NÃO TE CONHEÇO PESSOALMENTE, MAIS TENHO FÉ E CERTEZA QUE TUDO VAI MELHORAR PARA VOCÊ E SUA FAMILIA. E QUE ESSE CARA VAI SER PUNIDO... TALVEZ NOSSA JUSTIÇA SEJA CEGA, MAIS A DE DEUS NÃO.....DEUS TE ILUMINE RAYSSA,E QUE DÊ MTA FORÇA Á VC E SUA FAMILIA
 
erika da silva santos em 08/06/2011 03:36:04
LAUDO PARTICULAR DEFENDE O INTERESSE PARTICULAR DO CONTRATANTE, NÃO DEVE TER PESO ALTO EM JULGAMENTO SÉRIO. CONSISERANDO AINDA QUE: FAZEM LAUDO PARTICULAR QUEM ESTA QUEIMANDO O DERRAREIRO CARTUCHO PARA TULMUTUAR OU GANHAR A CAUSA. O LAUDO OFICIAL VERIFICA, CONSTATA E DIRECIONA ERROS PARA A LUCIDAÇÃO DOS FATOS, CONTRIBUINDO EM GRANDE ESCALA COM A MAGISTRATURA. ASS: JORGE FERREIRA DA SILVA , CAMPO GRANDE-MS
 
jorge ferreira da silva em 07/06/2011 09:56:32
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions