A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

03/06/2011 09:32

Justiça volta a negar liberdade para acusado por morte em disputa de racha

Aline dos Santos
Anderson está preso desde 14 de março. (Foto: João Garrigó)Anderson está preso desde 14 de março. (Foto: João Garrigó)

Acusado por morte em disputa de racha, Anderson de Souza Moreno voltou a ter pedido de liberdade negado. Ele está preso desde 14 de março.

Em abril, o TJ/MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) não aceitou pedido de habeas corpus porque o procedimento correto seria o pedido de liberdade provisória ao magistrado que decretou a prisão.

Na última semana, o juiz da 2ª Vara do Tribunal do Júri, Aluízio Pereira dos Santos, indeferiu o pedido, alegando a garantia da ordem púbica e efetiva aplicação da lei penal.

Anderson é acusado de praticar disputa de racha que resultou na morte de Mayana de Almeida Duarte, de 23 anos. O acidente de trânsito aconteceu na madrugada de 14 de junho de 2010, no cruzamento da avenida Afonso Pena com a rua José Antônio, em Campo Grande. Anderson teve prisão decretada no dia 2 de março e ficou foragido por doze dias.

A prisão foi decretada porque Anderson, que teve a CNH (Carteira Nacional de Habilitação) cassada em virtude do acidente com morte, foi flagrado dirigindo e na contramão no último dia 13 de fevereiro.

Willian Jhony de Souza também é réu no processo pelo acidente. Investigação da Polícia Civil e denúncia do MPE (Ministério Público Estadual) indicam que Anderson e William disputavam racha. Anderson dirigia o Vectra à frente do Fiat Uno conduzido por Willian.

O Vectra bateu no Celta, conduzido por Mayana. A jovem ficou em estado grave e morreu 12 dias depois no hospital. Testemunhas disseram que o Uno e o Vectra estavam em alta velocidade. Conforme a denúncia, Anderson “furou” o sinal vermelho e estava a 110 km/h.

A justiça mandou os dois acusados a júri popular, mas o procedimento foi suspenso após a defesa recorrer ao TJ. O objetivo é que a acusação passe de homicídio doloso (com intenção de matar) para homicídio culposo (sem intenção).



Verdade ele não teve intenção de matar.
Quem anda em uma área urbana a cima da velocidade permitida por lei,fura o sinal
esta assumindo o RISCO ou a INTENÇÃO de "QUE" .
Eu me pergunto pra que perder tempo com tipos desse, ELE é mais que culpado
me admira alguém pedir habeas corpus,ora senhores advogados de defesa coloquem a mão na consciência e que a JUSTIÇA seja feita porque aos pais e amigos ficou a dor e saudade.
 
marcelo beck em 03/06/2011 11:59:25
e o sobrinho da promotora que bateu no cruzamento da rua bahia com a av mato grosso, nao vai acontecer nada? ou sera que e porque e parente de promotor? sera que a justiça realmente e igual para todos? fala serio.........
 
Robson Sabino em 03/06/2011 01:09:15
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions