A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

19/04/2015 07:00

Lutador descontrolado mata hóspede de hotel após discutir com namorada

Renan Nucci
Rafael, de azul.Rafael, de azul.

Um lutador profissional de artes marciais de Araçatuba (SP), que estava em Campo Grande para participar de um evento de lutas durante este final de semana, foi preso como suspeito de homicídio na noite de ontem (18). Após discutir com a namorada, Rafael Martinelli Queiroz, 27 anos, teria espancado até a morte Paulo Cézar de Oliveira, 49, em um hotel localizado na Avenida Afonso Pena, Bairro Amambaí. A vítima não conhecia o casal e estava hospedada na Capital por motivo de trabalho.

De acordo com o boletim de ocorrência, Rafael chegou ao hotel por volta das 22h, foi até o quarto 221, no segundo andar, onde estava hospedado, e iniciou uma discussão com a namorada por causa de ciúmes. Ele agrediu a mulher de 24 anos que fugiu pelos corredores do estabelecimento.

Descontrolado, o lutador saiu procurando por ela e bateu à porta no primeiro quarto que encontrou, no caso, o 216 que era ocupado por Paulo. Sem imaginar o que poderia acontecer, Paulo abriu e começou a ser violentamente agredido, sem motivos aparentes.

Segundo a polícia, o suspeito golpeou a vítima até ela ficar inconsciente. No local havia uma cadeira destruída que pode ter sido usada como arma durante as agressões. Em seguida ele foi até à portaria e entregou para a recepcionista uma corrente alegando pertencer ao hóspede do 216.

Suspeitando dos barulhos que havia ouvido, a funcionária subiu para devolver o objeto, quando encontrou a vítima caída, sem vida, e os quartos e corredores destruídos.

A polícia foi acionada e deu voz de prisão a Rafael. Durante a abordagem ele chegou a confessar que havia batido na vítima, mas não sabia se a tinha matado. Com apoio do Batalhão de Choque da Polícia Militar, ele foi conduzido até a sede do Garras (Grupo Armado de Resgate e Repressão e Assaltos e Sequestros), sendo autuado em flagrante por homicídio doloso qualificado por motivo fútil e sem chance de defesa da vítima, violência doméstica (lesão corporal) e dano qualificado. No local os peritos apreenderam objetos do autor que podem ser usados como prova.

O nome de Rafael estava entre os destaques do evento, que aconteceu ontem no Circulo Militar.

Suspeito de homicídio no Guanandi é preso por tráfico de drogas no São Conrado
A Polícia Civil prendeu ontem (14) Tony Roger Ayala Barthman, 19 anos, por tráfico de drogas no Jardim São Conrado, em Campo Grande. Ele é suspeito d...
Dez anos após homicídio no bairro Bonanza, acusado vai a júri nesta terça
Uma década após participar do assassinato de Walace Cardoso de Carvalho no bairro Bonanza, na capital, Ivan Lopes de Andrade deve ir a julgamento nes...
Homicídios são principal causa da morte de jovens negros no Brasil, diz pesquisa
A comissão parlamentar de inquérito (CPI) sobre a violência contra jovens negros e pobres debateu hoje (9) a elevada vitimização dessa faixa da popul...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions