A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

02/04/2015 10:35

Motorista que 'pediu licença' para matar a esposa viajou 2.565 km para fugir

Renan Nucci
César foi preso no interior do Pernambuco, após matar a mulher em Campo Grande. (Foto: Divulgação)César foi preso no interior do Pernambuco, após matar a mulher em Campo Grande. (Foto: Divulgação)

Acusado de “pedir licença” para matar a tiros a esposa Suellen Pereira da Costa, 28 anos, o motorista Roberto César Pereira de Oliveira, 32, viajou 2.565 quilômetros de Campo Grande até Araripina, interior do Pernambuco, para tentar fugir da Polícia Civil de Mato Grosso do Sul. Ele foi preso por volta das 12h de ontem (01), em uma fazenda onde trabalhava como auxiliar de serviços gerais.

A prisão é fruto do trabalho realizado pela 1ª Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher), com apoio do serviço de inteligência e do delegado Marceoni Ferreira Jacinto, da Delegacia Seccional de Araripina. “Ele imaginava que a essa distância conseguiria despistar a Polícia Civil de Mato Grosso do Sul”, disse Rosely Aparecida Molina, delegada da Deam.

Ela afirmou que após a fuga, cada passo dele passou a ser monitorado. Todas as informações obtidas eram repassadas às equipes de investigação mais próximas. Ontem, perto do horário de almoço, César foi detido por policiais pernambucanos à paisana que o vigiavam. “Ele confessou o crime, mas não demonstrou arrependimento. É uma pessoa muito fria”, explicou Molina.

O motorista alegou às autoridades que matou a mulher após discussão, mas ainda não deu detalhes sobre o ocorrido. Ele está recolhido na Seccional de Araripina e deverá ser trazido por uma equipe da Deam de volta ao Mato Grosso do Sul, nos próximos dias.

Assassinato – César matou Suellen na noite do dia 23 de fevereiro, durante briga no meio da rua no Jardim Anache. A auxiliar de limpeza foi esfaqueada nas costas e correu até uma casa na Rua Abrão Anache, onde pediu socorro. Enquanto era amparada pelos moradores, o homem chegou, pediu licença e a executou a tiros. “Vou matá-la ela e ela sabe porque”, teria dito o assassino na ocasião. A mulher, funcionária do Programa Vale Renda, convivia com o autor há sete anos. Ela tinha dois filhos de outro relacionamento, com idade de 7 e 11 anos, e já havia sido vítima de violência doméstica.

Ficha suja - Roberto também já parou na delegacia por lesão corporal dolosa, em 2008, depois de agredir violentamente a mãe de seu filho de dez anos, mulher com quem foi casado antes de Suellen.

No dia 30 de novembro de 2013 ele assassinou com 13 facadas o auxiliar de serviços Ricardo Martins Fagundes, 36, após uma briga por causa de ciúmes no mesmo bairro – o amigo dele provocou uma mulher que era casada com Fagundes, dando início à confusão.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions