A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

17/11/2012 12:09

Mulher de traficante morto no Tijuca teme ser a próxima vítima

Gabriel Neris e Mariana Lopes
Roberto Marques França estava sentado na cadeira em frente de casa quando foi baleado (Fotos: Minamar Júnior)Roberto Marques França estava sentado na cadeira em frente de casa quando foi baleado (Fotos: Minamar Júnior)

A mulher do traficante de drogas Roberto Marques França, de 32 anos, morto na noite de sexta-feira (16) no bairro Tijuca II, em Campo Grande, teme pelo que possa acontecer com ela e os dois filhos, uma menina de quatro anos e um menino de sete.

Marilene dos Santos da Silva, 21, disse ao Campo Grande News que está com medo de permanecer em casa. Ela confirmou a Polícia durante depoimento que Roberto era traficante de drogas e tinha várias rixas na região.

A mulher acredita que o suspeito do crime seja outro traficante, que brigava com Roberto por ponto de venda de drogas no bairro. Roberto recebeu quatro tiros e morreu na hora sentado em frente de casa.

Também foram atingidos Pastor Ovelar, 51, e Simone Cáceres Gonzales, 37, que estavam do outro lado da rua Babeuna. Marilene acredita que o suspeito tenha confundido a mulher com ela e por isso teria atirado.

Um parente de Marilene é suspeito de estar envolvido com o homícidio, mas a mulher rejeita esta possibilidade.

Ela conta que o suspeito chegou de motocicleta e disse a Roberto: “E aí homem bravo”. Após o curto diálogo, Marilene ouviu os disparos e Roberto dizendo “corre nega”. Ela pegou a filha e correu para dentro de casa.

Pastor Ovelar mostra a bala que passou de raspão no seu braço na tentativa de homicídioPastor Ovelar mostra a bala que passou de raspão no seu braço na tentativa de homicídio

A mulher, que estava de olho roxo, confessou que apanhava de Roberto, mas também disse que revidava as agressões.

Vítima – Pastor Ovelar mora em frente à casa de Roberto. Após os disparos contra a vítima, o suspeito atirou duas vezes contra Ovelar, ferido de raspão no braço. A mulher dele, Simone Cáceres Gonzales, levou um tiro na perna.
Ela foi socorrida, passou por cirurgia para extração da bala na Santa Casa e já teve alta.

Após os disparos contra Ovelar e Simone, o rapaz percebeu que havia acabado a munição do suspeito e partiu em direção ao motoqueiro. “Acredito que ele atirou em mim por que eu vi”, disse ao Campo Grande News. “Fui para cima para defender minha mulher”, complementa.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions