A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

20/09/2017 19:03

Núcleo identifica uma tentativa de suicídio a cada 10 horas na Capital

Dados constam do boletim epidemiológico da Sesau referente a 2016

Izabela Sanchez
Setembro é o mês da prevenção ao suicídio.
Em Campo Grande, mulheres representam maioria das tentativas (Ilustração: Daniel Araújo/SAÚDE é Vital)Setembro é o mês da prevenção ao suicídio. Em Campo Grande, mulheres representam maioria das tentativas (Ilustração: Daniel Araújo/SAÚDE é Vital)

Uma pessoa tentou tirar a própria vida a cada 10h, em Campo Grande, em 2016. Foram 891 casos de tentativas de suicídio registradas na Capital, no NPV (Serviço do Núcleo de Prevenção às Violências, acidentes de trânsito e doméstico) da Sesau (Secretaria municipal de saúde). Os dados foram divulgados no primeiro boletim epidemiológico municipal de 2017.

As mulheres representam a maioria dos casos: 67,5%. Em 2016, dos 891 casos, 602 foram de mulheres. Além disso, as faixas etárias que mais apresentaram casos confirmam alerta da OMS (Organização Mundial da Saúde): o suicídio tem atingido mais os jovens. Foram 162 casos entre pessoas de 15 a 19 anos: desses, 129 foram de mulheres e 33 de homens.Já a faixa etária de 20 a 29 anos representou 267 casos. Desses, 177 foram de mulheres e outros 90 de homens.

Crianças - Choca, também, casos que envolveram crianças. Segundo o boletim, 1 criança do sexo feminino, com idade entre 1 e 4 anos, tentou tirar a própria vida no ano passado. Outras 6 crianças, 3 do sexo feminino e 3 do sexo masculino, com idades entre 5 e 9 anos também integram os registros.

"Dos casos atendidos, pessoas jovens, do sexo feminino, estão mais vulneráveis à violência física e às tentativas de suicídio. As violências sexuais e as negligências apresentam maior incidência em crianças e adolescentes. O principal local de ocorrência de todas as violências são a residência, sinalizando a importância da integração de políticas públicas intersetoriais que promovam o cuidado e o aumento dos fatores de proteção dos indivíduos, das famílias e das comunidades nos territórios onde vivem", comenta a Sesau, no boletim.

Violência - Os números se suicídio integram uma lista com 4162 casos de violência registrados no âmbito da Sesau em 2016, 162 a mais do que em 2015. Os números contemplam desde negligência até violência psicológica.

Os casos que apresentam mais números são os de negligência e abandono: 1672 foram registrados em 2016 pela saúde municipal. Na sequência está a violência física, com 1491 casos e em seguida as tentativas de suicídio, 891.

O NPV também registrou 300 casos de violência psicológica e moral; 188 de violência sexual; 41 de violência financiera e econômica e 44 de tortura: desse total, 2 envolvem 'intervenção legal', quando algum agente do Estado provoca a violência.

Setembro amarelo - Este é o mês que simboliza o combate e prevenção ao suicídio, iniciativa do CVV (Centro de Valorização da Vida), CFM (Conselho Federal de Medicina)e ABP (Associação Brasileira de Psiquiatria). As primeiras atividades começaram em 2014, concentradas em Brasília. Mato Grosso do Sul passou a aderir apenas no ano passado, apesar de ser o segundo Estado na lista do Ministério da Saúde com maior índice de casos em relação ao número de habitantes.

 



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions