A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

01/11/2013 09:51

Obra sem fim terá enésima mudança e inauguração só em dezembro

Zana Zaidan
Teste de paciência: inauguração da Júlio de Castilhos, prevista para este mês, fica só para de dezembro (Foto: João Garrigó)Teste de paciência: inauguração da Júlio de Castilhos, prevista para este mês, fica só para de dezembro (Foto: João Garrigó)

A entrega da obra de revitalização da Júlio de Castilhos pela prefeitura de Campo Grande será adiada mais uma vez. Agora, a inauguração está prevista para depois de 15 de dezembro de 2013. Segundo o secretário municipal de Infraestrutura, Habitação e Transporte, Semy Ferraz, a parte do projeto que trata da sinalização da via foi alterado e, para ser implantado, depende de um novo empréstimo da Caixa Econômica Federal. A mudança, mais uma desde que a obra começou a ser feita, vai custar em torno de R$ 1 milhão.

“Está faltando parte da sinalização. Placas de orientação, mais semáforos e sinalização horizontal ainda precisam ser implantados”, explica o secretário. “Algumas mudanças, como a da rua Yokohama, que seria mão única, mas não será mais, precisam estar bem explicadas para o condutor, para evitar qualquer tipo de transtorno no trânsito”, exemplifica.

Os retoques vão custar mais R$ 1 milhão, segundo o secretário. Até então, o orçamento previsto era de pouco mais de R$ 18,3 milhões – 95% da Caixa, por meio do programa Pró-Transporte, do governo federal, e 5% do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento).

Segundo Ferraz, a nova alteração no projeto já foi encaminhada para a Caixa, que deve aprovar a liberação do dinheiro em 15 ou 20 dias. O secretário descarta a possibilidade que o banco não aprove o empréstimo, mas caso isso aconteça, a prefeitura se responsabiliza por inteirar a quantia. “Normalmente, a Caixa não interfere no projeto técnico. Mas, se acontecer, teremos que fazer com recursos próprios do município”.

Aprovado o empréstimo, o Ferraz estima mais uma semana para confecção das placas de sinalização, e outras duas para instalação. “Estamos trabalhando para que tudo fique pronto até 15 de dezembro”, garante o secretário de Obras.

Para Carlos, quando avenida for entregue já estará deserta. O comerciante contabiliza 11 colegas que abandonaram a avenida (Foto: João Garrigó)Para Carlos, quando avenida for entregue já estará deserta. O comerciante contabiliza 11 colegas que abandonaram a avenida (Foto: João Garrigó)
Morador do Santo Antônio, José afirma que o se vê na avenida hoje não justifica tanto faz e refaz (Foto: João Garrigó)Morador do Santo Antônio, José afirma que o se vê na avenida hoje não justifica tanto faz e refaz (Foto: João Garrigó)

“Faz e refaz” - Ferraz destacou que as inúmeras mudanças no projeto de revitalização da Júlio de Castilho são conseqüências de um projeto mal feito na gestão anterior. “Volto a dizer: é um exemplo do que não deve ser feito em uma obra. Mudamos para consertar os erros tanto no trânsito como nas ruas, e fizemos as adaptações necessárias”.

Segundo ele, a gestão do prefeito Alcides Bernal (PP) assumiu com 60% da obra de revitalização concluída pelo ex-prefeito Nelson Trad (PMDB), que deu início ao projeto em agosto de 2011. Na época, Trad estimou que em 14 meses a obra seria entregue em outubro de 2012.

O alto investimento e adiamentos ainda são motivos de revolta para moradores e comerciantes. “Eles falam que é para melhorar o trânsito, recapear o asfalto, mas de que adianta fazer tudo isso se quando ficar pronto não vai mais ter ninguém aqui?”, questiona o proprietário de uma loja de móveis na esquina com a rua Napoleão Laureano, Carlos Teixeira.

Teixeira conta que, por causa da obra, vários comerciantes já deixaram a região. “Só aqui nesse pedaço, que eu me lembre de cabeça agora, foram 11. É só olhar as placas de ‘Aluga-se’ e ‘Vende-se’”, mostra.

Aline Neves, 33, abriu um restaurante há seis meses na avenida, mas já nota o trânsito confuso e nada funcional. “É um transtorno. Quando vou fazer compras para o restaurante tenho que fazer uma volta enorme. Com tanto problema na cidade, tanto buraco, e ficam gastando dinheiro em uma obra que não trouxe nenhum benefício”, acredita. "A impressão que fica é que não tem planejamento. A gente vê homens trabalhando em um mesmo trecho várias vezes, e não acaba nunca", acrescenta. 

A critica dos moradores é, principalmente, em relação às ruas Brasília, Yokohama e Sagarana, onde, segundo eles, o acesso ficou confuso e complicado, já que quem está do outro lado da Avenida (Júlio de Castilho) precisa percorrer um longo caminho para buscar um retorno.

Morador do bairro Santo Antônio, o aposentado José Marciano Sanches, 52, reclama da falta de semáforos, problema que, conforme a mudança do projeto, responsável por atrasar a obra, deve ser sanado. “Mas isso deveria ser prioridade. Como que fazer uma reforma dessa, e deixam os semáforos para serem colocados no final e, pior ainda, ficam prorrogando? O trânsito está uma bagunça e vive acontecendo acidentes”, pondera.



Pelo amor hein!!!!!!!!! aff qta demora...enfim ..muda adm municipal e estadual e vira essa baderna...(totalmente dispensável), afinal quem mais precisa é o povo....dai claro para dizer: foi o "fulano q fez, foi o ciclano afff que saco hein gente!!!!!
 
ana claudia barros em 01/11/2013 17:24:13
Mais uma mudança? Mais semáforos? Porque não redistribuem a quantidade absurda e totalmente desnecessária de semáforos que colocaram nessa avenida? Não uso mais esta "porcaria" que ambos os prefeitos chamam de "Avenida revitalizada" há algum tempo. Não tem um retorno decente, pontos que adentraram ruas e que nos obrigam a andar uma infinidade de quadras a mais para chegar a algum lugar dessa porcaria. A avenida não aumentou um centímetro qualquer. Continua apertada, perigosa. E agora ainda querem colocar mais semáforos? POR FAVOR, parem as obras excessivas e parem de estraga-la ainda mais. É uma avenida que tem visto cada vez menos usuários transformando ruas paralelas em verdadeiras armadilhas para seus moradores. Vão estragar a vida dos moradores lá na "ponte que partiu".
 
Williams Piato em 01/11/2013 16:34:42
Moro no Jd. Panamá e sair de nosso bairro nos horários de pico está um inferno pois retiraram no semáforo e, pelo que estou vendo, ele não será reinstalado. O jeito é esperar um longo período para entrar na Júlio ou dar uma volta e tentar sair na Yokoama que, devido ao problema da saído do Panamá, está congestionada tbém. E o acesso ao Recanto dos Pássaros? Parece que este "engenheiro" que isolar os bairros e dividir a população desta região: cada um de um lado da Av. E que me desculpem os comerciantes mas, enquanto não for proibido o estacionamento, o trânsito vai continuar insuportável. Eu ando de moto e, mesmo assim, prefiro ir pela Duque de Caxias mas percebo o problemão que os condutores têm enfrentado com esta obra interminável e impensada....
 
Gladis Caramalac em 01/11/2013 16:27:04
Ao invés de melhorar, piorou!!!
Mais um contrato com valor exorbitante!!!
 
joão gois em 01/11/2013 16:08:39
“Retoque de 1.000.000,00? Mais semáforos?”, o que que é isso, deveriam pedir a opinião dos moradores antes iniciarem qualquer obra. Como o próprio nome já diz é uma Avenida e não uma Rodovia, vejamos... Em mais de 10 km não há um retorno, são mais de 7 semáforos em menos de 3 km, (maioria desligados e 3 dos semáforos a menos de 15 metros um do outro)”, as ruas que cruzavam a avenida foram transformadas em vias de mão única (Av. Brasil Central, Rua Manoel Ferreira,) quem errar uma rua está ferrado, pois tem que ir ate próximo ao terminal pra fazer o retorno. Me explica que cruzamento entaquele perto do Supermercado Comper, e aqueles dois semáforos em frente ao ponto de Ônibus. Não vi acessibilidade,e o asfalto melhorou, mas já estão "picotando-o".
 
Danilo Nunes em 01/11/2013 13:17:55
Hum milhão só pra por umas plaquinhas, kkkkkkkkkkkkkkkkk
 
Claudinei Mendes Faustino em 01/11/2013 12:48:53
esta obra já virou piada, passou de um prefeito para o outro e ninguém faz nada a não ser por culpa um no outro, verdadeiro descaso com que paga imposto e gastos abusivos de dinheiro publico.
esta semana ligaram a iluminação central, não sei ate quando, porem falta ligarem os semafaros, que já solicitamos por diversas vezes em reuniões efetuadas na região , porem sem nenhuma atitude por parte da agetran e sues respectivos superiores.
hoje 01/11/2013 aconteceu um acidente gravíssimo que foi noticiado no o povo na tv, que se não houve morte foi por pura sorte.
obs: este foi gravíssimo, fora os outros graves, que não são noticiados.
ate quando vamos continuar com o descaso de nossos governantes. não se esqueção que os que morrem também eram eleitores. vai faltar gente daqui a pouco.
 
juarez ubaldo em 01/11/2013 12:32:47
E o dinheiro dos contribuintes é capim? Enquanto não acabam logo a "revitalização" (melhor se tivessem deixado como estava antes) vai dinheiro da prefeitura, ou seja, dos cidadãos, pro ralo, o tanto que já investiram nesta porcaria de reforma dava pra ter recapiado a Julio de Castilho, a Tamandaré, a Euler de Azevedo e a Mascarenhas da parte que vai da 14 de Julho até a Tamandaré, estas ruas estão uma vergonha, não dá pra andar nelas nem a pé.
 
maximiliano nahas em 01/11/2013 12:25:53
Não estou querendo defender o Bernal, nem seus secretários, mas essas trapalhadas foram feitas propositalmente pelo ex prefeito para prejudicar a nova administração e a população, não é culpa da atual meu caro João Vinícius, põe a cabeça pra funcionar.
 
Junior Ferreira em 01/11/2013 11:48:00
esta obra e so uma das coisas erradas que tinha na adm do sr nelsinho !!! por que os vereadores nao vao atras dos abusos do sr nelsinho ???
 
paulo eduardo sandim em 01/11/2013 11:33:52
Só pra lembrar os desavisados que o projeto original da revitalização foi mudado pelo atual prefeito, no projeto original da administração do Nelsinho não estava previsto o canteiro central na Avenida julio de castilhos, então procurem saber antes.
 
Marcos Wild em 01/11/2013 11:32:42
Morei na região, mudei porque não aguentava mais passar pela essa Avenida,bom mas gostaria de agradecei o Sr. Nelsinho pela burrada que senhor fez nesta avenida e em outros lugares de Campo Grande.
 
Junior Araújo em 01/11/2013 11:06:21
Revitalização? Melhoria? Onde? A única coisa que vi foi o recapeamento da pista, fora isso, o trânsito continua caótico, não tem lugar para se fazer conversões, estacionamento. Continua a mesma coisa.
 
Luiz Fernando de Britto Moreira da Costa em 01/11/2013 10:42:54
Eu moro na região e toda semana presencio pelo menos um acidente grave na Avenida Júlio de Castilhos resultantes principalmente da falta de sinalização. O transito está confuso, sem nenhuma sinalização e a sensação é "cada um por si". Até quando seremos vitimados pelo descaso da atual administração? Até quando teremos mais acidentes preenchendo nossas estatísticas? Até quando esse faz e refaz vai enchendo os gordos bolsos das empreiteiras envolvidas?
 
João Vinícius em 01/11/2013 10:31:34
E continua tudo errado ainda, porque não reabriram a rua Brasilia com a Julio ?????
Agora tem que fazer um S para se entrar r Miranda, parar no meio da pista, e brincadeira, e lá perto do colegio Irma Zorzi ta uma zona aquilo ali , só vão arrumar mesmo e prestar a atenção na hora em que uma criança for atropelada ali , .
Pelo amor de Deus , saiam de traz de destas cadeiras e venham no local .
Indignado .
 
Paulo R R Cezar em 01/11/2013 10:09:41
Sou morador da região e só tenho uma coisa a dizer sobre a obra:
brigado, Nelsinho, por transformar o trânsito no meu bairro em algo caótico, num inferno!
 
Guaraci Mendes em 01/11/2013 09:59:34
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions