ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, DOMINGO  23    CAMPO GRANDE 30º

Capital

Pela segunda vez, julgamento de “Pedreiro Assassino” é adiado e fica para 2022

Promotora apresentou atestado e alegou tratamento médico de urgência

Clayton Neves | 09/11/2021 17:59
Cleber está preso desde 15 de maio do ano passado. (Foto: Silas Lima)
Cleber está preso desde 15 de maio do ano passado. (Foto: Silas Lima)

Marcado para esta quarta-feira (9), o julgamento de Cleber de Souza Carvalho, de 45 anos, foi adiado depois de a promotora responsável pelo caso apresentar atestado médico. Com pauta de julgamento lotada, o “Pedreiro Assassino”, como é conhecido, deverá sentar no banco dos réus somente a partir do mês de fevereiro do ano que vem, no entanto ainda não há dia certo para que isso aconteça..

Esta é a segunda vez que o investigado se livra de ser julgado pelo homicídio do aposentado Timóteo Pontes Roman, de 62 anos.Desta vez, o adiamento foi autorizado pelo juiz Aluizio Pereira dos Santos, da 2ª Vara do Tribunal do Júri de Campo Grande, depois de a promotora Luciana Amaral Rabelo, responsável pelo caso, afirmar que não poderia comparecer na audiência em razão de tratamento médico de urgência. Ela apresentou atestado médico para justificar a falta.

Designado para substituí-la, o promotor Douglas Oldegardo afirmou que não teria tempo hábil para estudar o caso. Por isso, optou-se  pelo adiamento. “Intime-se o advogado de defesa pelo meio mais célere e informe-se o presídio da não necessidade de apresentação do preso”, considerou o magistrado.

O advogado do pedreiro, Dhyego Fernandes, disse que recebeu a notícia com surpresa. “Recebemos com surpresa por ser adiado poucas horas antes do julgamento. Aguardamos a redesignação da sessão, confiante que a justiça será alcançada”, afirmou o advogado.

O julgamento já havia sido adiado depois de ser marcado para acontecer no dia 29 de outubro. Na ocasião, o advogado do réu alegou viagem pré-agendada a outro Estado.

Nos siga no Google Notícias