A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

26/02/2016 09:47

Pena máxima para assassino não ameniza dor, diz parente de vítimas

Viviane Oliveira e Luana Rodrigues
Mecânico é acusado de duplo homicídio e uma tentativa. (Foto: Marcos Ermínio) Mecânico é acusado de duplo homicídio e uma tentativa. (Foto: Marcos Ermínio)

Um ano e seis meses depois, o mecânico Claudemir Celestino de Oliveira, 38 anos, está sendo julgado nesta manhã acusado de matar a tiros a ex-mulher, Ana Cláudia Duarte Souza, 27 anos; o ex-sogro, Luiz Antônio de Souza, 59 anos, em agosto de 2014, no Bairro Estrela do Sul, em Campo Grande. Ele também é acusado de tentar matar a ex-sogra. Os parentes das vítimas acompanham o júri de preto, como sinal de luto.

A cunhada e nora das vítimas, Sandra Rocha dos Santos, 39 anos, contou que a família ainda está muito abalada e machucada com toda a situação. Segundo ela, a expectativa é que o homem pegue de 30 a 50 anos de prisão pelo duplo homicídio. “Mesmo que pegasse pena máxima, não iria amenizar a nossa dor. Meu sogro era pai de todos e a minha nora deixou duas filhas por criar”, diz emocionada. Depois do crime, hoje é o primeiro dia que a família revê o assassino. 

Segundo ela, as meninas passam por tratamento psicológico e todos os dias pedem a presença da mãe. “A mais velha é muito revoltada. Ela amava esse pai, porque na frente das crianças ele era muito bom para Ana Cláudia. Foi uma decepção muito grande para as crianças”, diz. Depois do crime, as meninas chegaram a ir por três meses para a casa dos avós paternos, mas a família pediu suspensão das visitas porque elas voltavam muito abaladas.

Quatro dias antes do crime, o casal que estava separados há 2 anos, teve uma audiência para definir a data do pagamento da pensão alimentícia, que ficou no valor de R$ 460, para as duas meninas. “Depois disso, ele ficou revoltado porque não queria pagar e muito menos separar”, conta Sandra. O duplo homicídio ocorreu em um domingo. 

Sandra diz que a família ainda muito abalada e machucada com todo a situação. (Foto: Marcos Ermínio) Sandra diz que a família ainda muito abalada e machucada com todo a situação. (Foto: Marcos Ermínio)

O crime - Claudemir foi casado por dez anos com Ana Cláudia e do casamento nasceram duas filhas, na época da tragédia as meninas estavam com 10 e 5 anos. A desavença entre o casal começou quando veio a separação.
Antes de cometer o duplo assassinato, Claudemir foi até a casa onde estava Ana e o pai para buscar as duas filhas.

Depois de levar as filhas para casa, Claudemir voltou na residência da ex-mulher, pulou um portão e foi até os fundos da casa. Ao encontrar outros parentes da ex, o homem, que já estava armado com dois revólveres, obrigou todos a permanecerem calados ou mataria a família.

Para evitar o pior, parentes tentaram conversar com o homem, mas ele foi para cima de Ana Cláudia. O primeiro a ser morto foi o pai de Ana, que tentou defender a filha. Luiz foi atingido por três tiros.

Logo depois, a ex-companheira de 10 anos foi a vítima e acabou baleada por quatro disparos. Equipes do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) foram chamadas, mas os dois morreram no local. Na casa, policiais apreenderam cinco cápsulas das balas de calibre 38 e 32. Claudemir também é acusado de ter tentado matar a ex-sogra.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions