A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

23/09/2015 13:25

Picolé de graça atrai multidão de "incrédulos" na festa do sorvete

Flávia Lima
Entrega dos picolés gerou tumulto no cruzamento da Afonso Pena com a 14 de Julho. (Foto:Marcos Ermínio)Entrega dos picolés gerou tumulto no cruzamento da Afonso Pena com a 14 de Julho. (Foto:Marcos Ermínio)

A cena parecia miragem para quem passava pelo cruzamento da Avenida Afonso Pena com a Rua 14 de Julho, na região central de Campo Grande. Com os termômetros marcando quase 35ºC no final da manhã desta quarta-feira (23), para muita gente era quase impossível acreditar que uma empresa estivesse distribuindo gratuitamente picolés para a população.

Depois de muitas perguntas e constatar que a cena era verídica, o tumulto logo começou a se formar na esquina mais movimentada da região. Logo, o que se via eram pessoas ligando para familiares e amigos que trabalham no Centro, avisando sobre a novidade. A ação foi realizada pela Creme Mel que, para comemorar o Dia Nacional do Sorvete, levou dois mil picolés para distribuir nos dois sentidos da Afonso Pena com a 14 de Julho.

Marcada para às 11 horas, a entrega começou pontualmente no horário divulgado através das redes sociais. Nos primeiros minutos, as cinco funcionárias designadas a fazer a distribuição com bolsas térmicas, ainda conseguiram ir até os semáforos para atender também os motoristas, mas conforme a notícia foi se espalhando, elas mal conseguiam sair do lugar.

Rodeadas por uma multidão, os funcionários da empresa decidiram ajudar, entregando os picolés também diretamente do caminhão da empresa, estacionado no cruzamento. O resultado não poderia ser outro. Dezenas de pessoas cercaram o veículo. Com a desculpa que iriam pegar para os familiares, muitos conseguiam sair do tumulto carregando até seis picolés.

Do outro lado da avenida, quem observava a confusão e descobria o motivo, saía correndo e atravessava a rua sem observar o semáforo. Para evitar acidentes e amenizar o tumulto, os funcionários entregaram a primeira leva durante 26 minutos e depois suspenderam por 40 minutos para organizar a distribuição. Em menos de uma hora todo o produto foi entregue.

Apesar de levar seis sabores: morango silvestre, flocos, napolitano, limão siciliano, sublimel e sublimel black, para garantir a agilidade da distribuição, o público não tinha opção de escolha. 

A professora Aliete Braz, uma das primeiras a ganhar um sorvete, acredita que outras empresas poderiam ter a mesma iniciativa e realizar ações semelhantes, especialmente devido ao calor dos últimos dias. “É uma boa ideia para divulgar a marca e, com esse calor, a população agradece”, afirma.

A distribuição gratuita de picolés também serviu para causar uma boa impressão sobre os sul-mato-grossenses a família do vendedor Antonio Ribeiro, que chegou de mudança a Capital nesta terça-feira (22). “No segundo dia aqui em Campo Grande já fomos recebidos com uma iniciativa dessas é muito bom”, brincou a aposentada Eli Barbosa, mulher de Antônio. Ela e a irmã, Edir Barbosa, passavam pelo Centro quando se depararam com as funcionárias entregando os sorvetes. “Com esse calor o picolé foi muito bem-vindo”, disse Edir.

Mas quem comemorava mesmo eram as crianças. A pequena Amanda Maldonado, 7 e a irmãzinha Ana Júlia, 2, se deliciavam com um picolé de flocos e napolitano, enquanto a mãe, Ana Cristina Maldonado e a avó tentavam conseguir mais algumas unidades para outras pessoas da família. “Nunca ganhei sorvete de graça”, revelou Amanda. Mesmo nas festas escolares do Dia das Crianças, ela conta que nunca houve distribuição de picolés.

Também teve gente que, mesmo com o sorvete em mãos, estava incrédula quanto a iniciativa. “Será que não está vencido?”, questionava a auxiliar de perecíveis, Henriqueta Batista de Moraes. Desconhecendo o motivo da distribuição, ela procurava a data de validade do picolé e só depois de observar que estava dentro do prazo, abriu o produto. “O povo nunca ganha nada, por isso desconfiei”, afirmou.

A pensionista Eli Barbosa e o marido Antonio Ribeiro estão apenas há um dia na Capital e receberam as boas-vindas com o picolé grátis. (Foto:Marcos Ermínio)A pensionista Eli Barbosa e o marido Antonio Ribeiro estão apenas há um dia na Capital e receberam as boas-vindas com o picolé grátis. (Foto:Marcos Ermínio)
Os amigos Alci e Jader Almeida ficaram sabendo da ação pelas redes sociais e foram pontuais para não ficar sem picolé. (Foto:Marcos Ermínio)Os amigos Alci e Jader Almeida ficaram sabendo da ação pelas redes sociais e foram pontuais para não ficar sem picolé. (Foto:Marcos Ermínio)

Antenados – A maior parte das pessoas beneficiadas pela ação passavam de forma despretensiosa pelo centro e foram pegas de surpresa. Algumas, inclusive, custaram a acreditar e não se cansavam de questionar se não era necessário pagar nada. A incredulidade, aliás, fez uma motorista ficar sem o picolé. No momento em que uma das funcionárias se aproximou para entregar o produto, ela fechou o vidro acreditando que ela estava vendendo.

Já os amigos Alci Junior e Jader Almeida de Oliveira, descobriram que a distribuição seria feita através das redes sociais e compartilharam a informação com amigos. Para não correr o risco de ficar sem o picolé, os dois, que são menores aprendizes na secretaria de Fazenda, chegaram acompanhados por um amigo. Os três foram levados pelo próprio patrão até a praça Ari Coelho. “Ele até brincou dizendo que uma ação dessas a gente não podia perder”, destacou Alci.

De acordo com o gerente de vendas da empresa, Paulo Toledo, o preço dos picolés distribuídos varia entre R$ 2,50 e R$ 2,75. Ele calcula que foram entregues R$ 4 mil em produtos a população. A iniciativa é comum em Goiânia, onde está situada a fábrica da empresa, mas em Campo Grande, onde há 520 pontos de vendas, foi a primeira vez. “Começamos a direcionar as atividades para as filiais e já nos primeiros minutos vimos que foi um sucesso”, comemora.

Oportunidade - Além da Creme Mel, a rede Chiquinhos Sorvetes também apostou na data e está vendendo a tradicional casquinha por R$ 1,00 durante toda a quarta-feira. As opções são creme, chocolate ou mista. A rede tem lojas na Avenida Afonso Pena, 2542 e no shopping Norte Sul Plaza.  

As pequenas Amanda e Ana Julia Maldonado se refrescaram com o sorvete de flocos. (Foto:Marcos Ermínio)As pequenas Amanda e Ana Julia Maldonado se refrescaram com o sorvete de flocos. (Foto:Marcos Ermínio)



Desde roma a mesma coisa, pão e circo e o povo feliz. Continuem assim.
 
Desiludido em 23/09/2015 14:28:08
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions