A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

20/11/2012 18:35

Polícia vai investigar como técnico morto conseguiu anestésico

Viviane Oliveira
O corpo de Éber foi velado na tarde ontem. (Foto: Minamar Júnior)O corpo de Éber foi velado na tarde ontem. (Foto: Minamar Júnior)

A Polícia Civil vai investigar como o técnico em enfermagem Éber Lucas Pereira, 30 anos, encontrado morto em um banheiro da Santa Casa de Campo Grande na tarde do último domingo (18), conseguiu o medicamento que foi encontrado perto dele.

A suspeita é que o jovem morreu em consequência de ter injetado no corpo um analgésico potente, o fentanil. O remédio, de ação mais poderosa que a morfina, é de uso hospitalar normalmente usado após cirurgias.

De acordo com o delegado responsável pela investigação da 1ª delegacia, Miguel Said, amanhã vai começar ouvir as testemunhas para saber como o técnico em enfermagem tinha acesso ao analgésico. Tudo indica que ele morreu de overdose, porém só o laudo pericial vai comprovar.

No boletim consta que uma testemunha informou a Polícia que a Éber sofria de necrose óssea e por conta da doença, fazia uso do medicamento. Durante o velório na tarde de ontem (19) a família afirmou desconhecer que o rapaz fazia uso de qualquer tipo de medicamento, apesar de Éber mancar de uma perna e reclamar que sentia dores.

Conforme o diretor do CRF (Conselho Regional de Farmácia), Adam Macedo Adami, o analgésico é usado para dor intensa de uso restrito hospitalar.

O analgésico não é comercializado em farmácia e é distribuído diretamente em instituições hospitalares, principalmente para paciente que vai passar por cirurgia. Se o uso for constantemente o medicamento vai perdendo o efeito e pode causar dependência.

Ainda conforme ele, o analgésico é de uso controlado e restrito pela Vigilância Sanitária e se recomenda extrema cautela no uso. “Além do médico prescrever, a farmácia registra o consumo dele com o nome do paciente que recebeu a medicação”, explica.

O caso -Segundo a colega de trabalho Luciana Oliveira, no domingo (18) o técnico não apresentou nenhum comportamento fora do comum. Os colegas só perceberam que havia algo estranho depois que Éber demorou a voltar da segunda vez que havia se ausentado para ir ao banheiro.

Devido à demora, os colegas passaram a procurar pelas dependências do hospital. Ao chegar ao banheiro, percebeu que o cômodo estava fechado e tiveram que arrombar a porta depois de vários chamados sem retorno.

Éber estava sentado em uma privada. Ao lado do corpo, havia uma ampola de 10 miligramas do analgésico fentanil, uma seringa com sangue e uma toalha de papel. Os colegas ainda tentaram reanimar o técnico, mas ele acabou morrendo de parada cardiorrespiratória.

Técnico que morreu na Santa Casa vai ser sepultado nesta tarde
O corpo do técnico de enfermagem Éber Lucas Pereira, de 30 anos, que morreu ontem (18) na Santa Casa de Campo Grande após ser encontrado desacordado ...
Técnico em enfermagem é achado morto em banheiro da Santa Casa
Um técnico em enfermagem foi encontrado morto em um banheiro da Santa Casa de Campo Grande na tarde deste domingo (18). Éber Lucas Pereira, de 30 ano...
Sesau e SES recolhem quase 10 toneladas de lixo no Jardim Noroeste
A ação de recolhimento de lixo realizada em casas e terrenos baldios no Jardim Noroeste - bairro localizado na regiões leste de Campo Grande - somou ...


Não precisa investigar não ! É só vc ir a qualquer farmácia, pedir ao farmaceutico o medicamento, pagar e pronto !
Sabe porque não há comentário de familiares e amigos? Boa coisa esse sujeito não era
 
marcos smoliak em 20/11/2012 21:10:27
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions