A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

19/11/2012 15:57

Técnico morto usava analgésico potente sem a família saber

Viviane Oliveira e Helton Verão
A família e amigos durante o velório. (Foto: Rodrigo Pazinato)A família e amigos durante o velório. (Foto: Rodrigo Pazinato)

A família do técnico em enfermagem Éber Lucas Pereira, 30 anos, encontrado morto em um banheiro da Santa Casa de Campo Grande na tarde de ontem (18), afirma desconhecer que o rapaz fazia uso de qualquer tipo de medicamento, apesar de Éber mancar de uma perna e reclamar que sentia dores.

A suspeita é que o jovem morreu em consequência de ter injetado no corpo um analgésico potente, o fentanil. O remédio, de ação mais poderosa que a morfina, é de uso hospitalar normalmente usado em cirurgias.

No boletim de ocorrência consta que uma testemunha informou a Polícia que a vítima sofria de necrose óssea e por conta da doença, fazia uso do medicamento.

Durante o velório do rapaz, os parentes e amigos de trabalho contaram que ele mancava muito de uma perna, mas que não tocava no assunto. Há 6 meses trabalhando no CTI (Centro de Terapia Intensiva) da Santa Casa, ele nunca havia pegado atestado no trabalho e não gostava de comentar sobre o assunto quando era questionado.

“Sabia que ele sentia dor, mas não sabia que ele tinha essa doença”, lamenta o pai, Moisés Santos Pereira, 56 anos.

Segundo a esposa, Elisângela Nunes, 32 anos, o problema na perna do esposo era recente e ele já havia dito que pretendia fazer uma cirurgia. “Eu nunca tinha ouvido falar nesse medicamento e nunca vi em casa também”, destaca.

O corpo será sepultado ainda nesta tarde no cemitério Santo Amaro. (Foto: rodrigo Pazinato)O corpo será sepultado ainda nesta tarde no cemitério Santo Amaro. (Foto: rodrigo Pazinato)

A colega de trabalho Luciana Oliveira afirma que o rapaz não precisava falar que sentia dores, pois era visível o problema na perna. “Ele mancava muito, não tinha como não perceber”, disse.

Segundo ela, ontem o técnico não apresentou nenhum comportamento fora do comum. Os colegas só perceberam que havia algo estranho depois que Éber demorou a voltar da segunda vez que havia se ausentado para ir ao banheiro.

Devido à demora, os colegas passaram a procurar pelas dependências do hospital. Ao chegar no banheiro, percebeu que o cômodo estava fechado e tiveram que arrombar a porta depois de vários chamados sem retorno.

Éber estava sentado em uma privada. Ao lado do corpo, havia uma ampola de 10 miligramas do analgésico fentanil, uma seringa com sangue e uma toalha de papel.

Os colegas ainda tentaram reanimar o técnico, mas ele acabou morrendo de parada cardiorrespiratória. “Ele estava roxo, porém fizemos todos os procedimentos para reanimá-lo”, afirma Emerson Antônio, 36 anos, um dos colegas que encontrou o jovem no banheiro.

O corpo de Éber será sepultado nesta tarde no cemitério Santo Amaro, na avenida Presidente Vargas, nº1840, no bairro Santo Amaro. De acordo com a Polícia Civil, foi feito exame necroscópico para determinar a causa da morte. O caso será investigado pela 1ª Delegacia de Polícia Civil. 

Técnico que morreu na Santa Casa vai ser sepultado nesta tarde
O corpo do técnico de enfermagem Éber Lucas Pereira, de 30 anos, que morreu ontem (18) na Santa Casa de Campo Grande após ser encontrado desacordado ...
Técnico em enfermagem é achado morto em banheiro da Santa Casa
Um técnico em enfermagem foi encontrado morto em um banheiro da Santa Casa de Campo Grande na tarde deste domingo (18). Éber Lucas Pereira, de 30 ano...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions