A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

17/11/2015 19:12

População cobra retirada de árvores que caíram durante vendavais

Alan Diógenes
Árvore caiu com raiz em cima de muro e túmulos em cemitério. (Foto: Marcos Ermínio)Árvore caiu com raiz em cima de muro e túmulos em cemitério. (Foto: Marcos Ermínio)

Várias árvores que caíram, após as chuvas que atingiram Campo Grande nas últimas semanas, ainda não foram retiradas. Algumas estão em locais públicos como: cemitérios, delegacias e centros comunitários e já atrapalham o fluxo de pessoas.

Por exemplo, na 2ª Delegacia de Polícia Civil, localizada na Avenida Mascarenhas de Morais, parte de uma árvore de 15 metros caiu em cima do muro do lugar, no último domingo (15). Como houve demora na retirada da árvore, os policiais tiveram que contratar um serviço particular.

“A árvore está brocada e o vento forte ajudou a derrubá-la. Como ela é um jatobá, as pessoas retiraram sua casca para fazer remédios e acabou enfraquecendo a estrutura”, explicou o cortador, que pediu para não ser identificado. Ele utilizou duas motosserras para fazer o serviço.

Já no Cemitério Cruzeiro, na Avenida Cônsul Assaf Trad, outra árvore caiu, na segunda-feira da semana passada, em cima do muro e de túmulos. Quem passa pelo local fica incomodado pelo fato da árvore não ter sido retirada totalmente até o momento.

“Caiu em cima do túmulo da minha tia que faleceu há quatro anos. Acho que é uma falta de respeito deixarem a árvore assim como está. Mas, como tudo na cidade está largado, não é de se estranhar que ela ainda esteja aí. O pior é que a gente paga tanto imposto e não tem retorno”, destacou o eletricista Alexandro Aparecido da Conceição, 39 anos.

João brinca: mais fácil defuntos retirarem a árvore. (Foto: Marcos Ermínio)João brinca: "mais fácil defuntos retirarem a árvore". (Foto: Marcos Ermínio)
Alexandro disse que demora em retirada de árvores é falta de respeito com população. (Foto: Marcos Ermínio)Alexandro disse que demora em retirada de árvores é falta de respeito com população. (Foto: Marcos Ermínio)

O pedreiro João Pereira Bispo, 66, passa todos os dias pela região e disse que ladrões estão invadindo o cemitério pelo buraco aberto no muro e furtando objetos das lápides. “Mais fácil os defuntos retiraram a árvore do que a prefeitura”, brincou.

A administração do cemitério informou que funcionários da Seintrha (Secretaria Municipal de Infraestrutura, Transporte e Habitação) estão fazendo a retirada da árvore aos poucos, porque ela é de grande porte, desde o dia em que caiu.

Outra árvore, que ainda não foi retirada foi a que caiu no Centro Comunitário do Bairro Moreninhas. Conforme o tenente-coronel Hudson Faria de Oliveira, chefe de comunicação social do Corpo de Bombeiros, durante as chuvas, duas equipes ficam de prontidão para a retirada das árvores caídas.

Segundo ele, ao todo, foram feitos 16 retiradas, o restante ficou sob responsabilidade da prefeitura. “Nossa prioridade foram as emergências, ou seja, as árvores que caíram em cima de casas e automóveis. Na cidade existem quatro viaturas de salvamento com motosserras, são elas que quando chove ficam 24 de plantão para atender este tipo de ocorrência. O restante das árvores, não retiradas, ficaram sob responsabilidade da prefeitura”, explicou o tenente-coronel.

O Campo Grande News entrou em contato com a prefeitura, na noite desta terça-feira (17), para obter um posicionamento sobre o problema, mas as ligações não foram atendidas até a publicação desta matéria.

Árvore também caiu em cima de muro de uma delegacia na Mascarenhas de Morais. (Foto: Marcos Ermínio)Árvore também caiu em cima de muro de uma delegacia na Mascarenhas de Morais. (Foto: Marcos Ermínio)


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions