A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

06/07/2014 10:20

Prisões e denúncias contribuem para redução de 35% nos casos de estupro

Prisões e denúncias contribuem para redução de 35% nos casos de estupro

Renan Nucci
Prisão de estupradores conhecidos tem efeito pedagógico, aponta delegada Rosely Molina, da Deam. (Foto: Pedro Peralta)Prisão de estupradores conhecidos tem efeito pedagógico, aponta delegada Rosely Molina, da Deam. (Foto: Pedro Peralta)

A coragem de denunciar e a ação efetiva da polícia e da justiça contribuíram para que o número estupros, tentativas de estupro e estupro de vulneráveis contra mulheres caísse 35% nos últimos meses, em Campo Grande. Apesar da redução, 50% dos autores são pessoas conhecidas das vítimas, aponta a Deam (Delegacia de Atendimento à Mulher).

Segundo a delegada Rosely Molina, titular da Deam, de janeiro a junho de 2014 foram registrados 31 casos. No mesmo período do ano passado haviam sido 48. Ela explica que a prisão de estupradores conhecidos, como o “Maníaco da Chácara” e o “Maníaco da Linha 087”, que juntos atacaram pelo menos 20 mulheres, tiveram cunho pedagógico.

A delegada comenta que sempre faz questão de divulgar quando prende pessoas como estas, com o objetivo de mostrar que polícia é atuante e que crimes assim estão sendo, de fato, punidos. “Isso inibe a ação de alguns homens e faz com que eles fiquem temerosos e hesitem em agir”, avaliou.

Outro fator que contribuiu para esta redução foi o trabalho de conscientização e encorajamento junto às vítimas, para que elas relatem o ocorrido e auxiliem no trabalho das autoridades. “As campanhas, não só da Deam, mas de todas as entidades ligadas tema, estão surtindo efeito e as mulheres estão mais corajosas. Elas sabem que se ajudarem a polícia, a possibilidade do acusado ser preso é grande”, afirmou.

Perfil – Molina também traçou um perfil dos autores. Ele alega que são homens de várias idades e diferentes classes sociais, mas que possuem uma característica em comum: praticamente a metade deles sua a vítima. “Tivemos muitos casos em que as mulheres foram atacadas por ex-maridos, ex-namorados, pais, parentes a amigos”, alertou.

O estupro é um crime bárbaro e que pode causar diversos traumas, por isso a delegada menciona que as mulheres podem tomar alguns cuidados que ajudam na prevenção. “Evite andar em locais ermos e pontos de ônibus isolados, por exemplo, principalmente durante a noite. Procure vias movimentadas e sempre observe quem caminha ao seu redor. Tente manter a atenção e não se distraía com celulares. Se suspeitar de alguém, chame a polícia”.

Mulher de 37 anos diz que foi vítima de estupro no Parque dos Poderes
Uma mulher, de 37 anos, declarou-se vítima de estupro, na noite de ontem (21), no Parque dos Poderes, em Campo Grande. Ela registrou Boletim de Ocorr...
Justiça nega recurso apresentado por acusado de estupro e mantém condenação
O ministro Jorge Mussi do Superior Tribunal de Justiça negou o recurso especial interposto pelo MPE (Ministério Público Estadual) sobre a absolvição ...
Homem passa a noite com adolescente em hotel e é preso por estupro
Um jovem foi preso na manhã de hoje (10) na região antiga rodoviária de Campo Grande por estupro de vulnerável. Maycon Braga Prado, 20 anos, estava c...
Jovem que estuprou a irmã de 11 anos é condenado a 15 anos de prisão
F.A.C., de 25 anos, acusado de estuprar a própria irmã no dia 24 de maio de 2008, em Três Lagoas, a 338 quilômetros de Campo Grande, foi condenado a ...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions