A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

20/06/2012 17:22

Procurador que matou sobrinho é transferido de clínica para presídio

Francisco Júnior
Zeolla durante julgamento no ano passado. (Foto: Marcelo Victor)Zeolla durante julgamento no ano passado. (Foto: Marcelo Victor)

O procurador aposentado Carlos Alberto Zeolla, condenado pelo assassinato do sobrinho, Cláudio Alexander Zeolla, de 23 anos, foi transferido nesta quarta-feira (20) para o Centro Penal Agroindustrial da Gameleira, em Campo Grande.

Zeolla foi condenado a 8 anos de prisão e cumpria pena em clínica psiquiátrica da Capital, sob o argumento de que sofria de doença mental. A transferência foi determinada por decisão de ontem do juiz da 2ª Vara de Execução Penal, Albino Coimbra Neto, ao entender que a doença não justificava a permanência na clínica.

O juiz afirma, na decisão que, para apurar com exatidão a enfermidade, como também a gravidade da doença, foi determinado que o procurador se submetesse a exame pericial. O laudo constatou que o réu sofre de transtorno bipolar com surtos psicóticos.

O perito foi então questionado se a doença mental impede o sentenciado de permanecer em presídio semiaberto, e tanto ele quanto o próprio psiquiatra da defesa responderam categoricamente que não, conforme a decisão.

O juiz determinou, assim, a imediata transferência dele para a Gameleira. Lá, conforme o despacho, deve permanecer em local distinto dos demais presos, para garantir a integridade física e psíquica. Zeolla foi condenado à pena definitiva de oito anos e seis meses de reclusão em regime semiaberto.

O advogado do procurador Ricardo Trad considerou ilegal e arbitrária a decisão do juiz de transferir seu cliente. “Ele foi enviado para o campo de concentração da Gameleira de forma arbitrária e ilegal. Ele não pode continuar mais um dia no semiaberto, porque a pena que foi aplicada já fez jus ao livramento condicional. Ele está sendo submetido a um brutal constrangimento ilegal”, afirmou.

Trad informa que já encaminhou um pedido para que o juiz reexamine a questão e determine a transferência do procurador para um regime menos gravoso.

Segundo o advogado, houve uma omissão do Estado, já que após a condenação o cálculo da pena deveria ter sido feito. “ Ele não pode ficar em regime mais gravoso. Ele já cumpriu mais de um terço da pena, três anos e três meses. O Estado está devendo para ele. Nos estamos pedindo um cálculo de pena, que ele já deveria ter sido feito há muito tempo”, ressaltou.

De acordo com Ricardo Trad, a decisão é um equívoco e o juiz para conserta-lo deveria reconsiderar ou conceder liberdade ao seu cliente. “É um direito dele a progressão ao regime mais favorável. Ele tem o direito ao regime aberto”.

O assassinato aconteceu no dia 3 de março de 2009, em frente a uma academia de ginástica, na rua Bahia, em Campo Grande, frequentada pela vítima.

O procurador esperou pelo sobrinho dentro de seu carro, um Fiesta, que era conduzido por um menor de idade, e atirou pelas costas. Foi preso logo no mesmo dia e acabou sendo aposentado compulsoriamente pelo Ministério Público Estadual.



que se faça justiça, é o que todos desejamos, porém os comentários acima, parecem não querer justiça e sim vingança... deixem a justiça resolver... qto os comentários sobre o transtorno bipolar, santa ignorância, procurem um psiquiatra, ou pesquisem sobre a referida doença, antes de comentarem sobre o que não tem conhecimento... espero que vcs nunca tenham ou que algum familiar, enfrente essa doença... JUSTIÇA PERTENCE A DEUS...
 
emerson silva em 15/09/2013 15:34:34
Dr Ricardo Trade, brutal é foi a atitude do procurador quando praticou execução sumária, O senhor e´ bom advogado mas não é dono da lei, está na hora de ter mais respeito pelas decisões judicial e parar de fazer críticas.
 
jorge ferreira em 21/06/2012 10:36:05
Se o anjinho é bipolar e tem surtos psicóticos tem mais é que ficar no fechado para o resto da vida. Sabe-se muito bem porque esse "inocente" matou o sobrinho. O advogado afirmar que a pena é gravosa, está fazendo piada. A grande maioria está presa por muito menos e não tem nenhuma defesa. Por acaso ele defende quem não tem milhôes?
 
Elza Jaspe em 21/06/2012 09:37:25
BRASIL MOSTRA A TUA CARA!!
Esse é o país onde vivemos, em que a funçao e o dinheiro que se tem faz pender a balança do direito.Até quando vamos viver essa vergonha da nossa justiça.
Se a pessoa tem condiçoes de contratar bons advogados pode ficar tranquilo,independente do crime que cometer.
 
CLAUDIO em 21/06/2012 09:34:41
Ele matou um sobrinho, um tio desse não precisa de inimigo.
 
Aparecida da Silva em 21/06/2012 08:47:31
agora ele disse que se arrependeu, se fosse uma pessoa de classe baixa tava se ferrando atras das grades,mas como é um "procurador" tem que ter regalias ,acho que teria que rever essas lei.
 
Meridiana Martins De Moraes em 21/06/2012 08:27:46
Isso é um absurdo, aquilo é um campo de concentração, o estado deveria deixa-lo repousar na clinica caranda...o procurador sofre de transtorno bipolar... ridículo, esses laudos médicos periciais são uma farsa!!!
 
Daniel Rezende Figliolino em 21/06/2012 03:42:22
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions