A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

12/08/2016 15:19

Réu é condenado a 31 anos por morte de criança durante festa de aniversário

Amanda Bogo e Anahi Zurutuza
Marcos e Douglas durante julgamento no Tribunal do Júri (Foto: Marcos Ermínio)Marcos e Douglas durante julgamento no Tribunal do Júri (Foto: Marcos Ermínio)

Marcos Antônio dos Reis foi condenado a 31 anos de prisão pelo envolvimento na morte de Maria Clara da Silva Santos, 2 anos, ocorrido em 2014. Douglas Aparecido Domingos de Oliveira Batista, que também era réu no caso, foi absolvido. O julgamento aconteceu nesta sexta-feira (12) na 2ª Vara do Tribunal do Juri.

Elvis Henrique Ortega Cheles, que matou a criança com um tiro no peito, foi julgado no dia 3 de junho e condenado a 32 anos e dois meses de prisão.

Conforme sentença proferida pelo juiz titular da Vara, Aluízio Pereira dos Santos, Marcos foi condenado pelo homicídio de Maria Clara e pelas tentativas de homicídio contra Wanderson Escobar Soares, 27, e Heleno Escobar, 52. A pena decretada foi de 31 anos de reclusão em regime fechado.

A promotoria pediu a absolvição de Douglas por falta de provas que comprovassem que ele participou do crime. Já Gabriel Henrique Amorim Bernardo , pivô da confusão que causou a morte da menina, não irá a julgamento, uma vez que o juíz considerou que não havia materialidade para comprovar a participação dele no crime.

Caso - Maria Clara foi morta com um tiro no peito no dia 19 de outubro de 2014 enquanto brincava na calçada em uma festa de aniversário na Rua Israel.

Segundo testemunhas, o pivô da confusão foi Gabriel Henrique Amorim Bernardo, que apanhou no local, ao tentar agredir uma ex-namorada na festa. Ele saiu da casa, mas voltou com os amigos, Elvis, Marcos e Douglas que armados dispararam pelo menos 12 tiros.

A bebê Maria Clara chegou a ser socorrida, mas morreu no posto de saúde do Bairro Aero Rancho. Na época, ficaram feridos José Atanazio Soares, 80, Heleno Escobar, 52, Wanderson Escobar Soares, 27, José Atanazio Escobar Soares, 29, e Jorge Lhopes Barbosa, 52. A bisavó da menina morta, Irene Maria da Conceição Silva, 72 anos, passou mal com a notícia e faleceu logo após o crime.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions