A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Fevereiro de 2019

03/06/2016 11:11

Testemunha narra noite de terror e aponta autor de tiro que matou criança

Viviane Oliveira e Leandro Abreu
Dá esquerda para direita estão Elvis, Douglas e Marcos, que são julgados hoje no Tribunal do Júri.  (Foto: Leandro Abreu) Dá esquerda para direita estão Elvis, Douglas e Marcos, que são julgados hoje no Tribunal do Júri. (Foto: Leandro Abreu)

“Eles chegaram atirando em todo mundo”, disse a testemunha Vanderlei Gonçalves, durante julgamento nesta manhã (3) dos três acusados de envolvimento na morte de Maria Clara Silva Santos, de 2 anos, ocorrida em 2014. A criança estava brincando na calçada quando foi baleada no peito. Além dela, cinco pessoas foram atingidas.

O crime ocorreu no dia 19 de outubro, na Rua Israel, em Campo Grande, durante uma festa de aniversário. Os acusados, Elvis Henrique Ortega Cheles, Marcos Antônio Reis Santos e Douglas Aparecido de Domingos de Oliveira Batista, são julgados na 2º Vara do Tribunal do Juri. Os réus respondem por homicídio qualificado por motivo torpe com recurso que dificultou a defesa da vítima e tentativa de homicídio qualificado.

Conforme Vanderlei, que teve o pai, o irmão e o tio baleados na festa, Elvis foi o responsável pelo tiro que matou a criança. Ele contou que os acusados chegaram na confraternização chamados por Gabriel Henrique Amorim Bernardo que havia apanhado no local minutos antes após tentar agredir a ex-namorada. “Os três chegaram em um carro e Gabriel estava de bicicleta. Elvis desceu e atirou várias vezes”, conta. No local, havia várias crianças.

A outra testemunha, Vanderlei Campos, primo da menina agredida por Gabriel confirmou em depoimento que quem atirou foi Elvis e Marcos. Cada um estava armado com um revólver. Ele não quis falar na frente dos réus e pediu que os três fossem retirados da sala. “Meu filho não gosta de tocar no assunto. Vanderlei ficou traumatizado e só veio para ajudar resolver a situação”, explica a mãe do rapaz, Rosana Nogueira de Campos.

Gabriel, por algum motivo que ainda não foi informado, não é julgado hoje. O resultado do júri deve sair no final da tarde. Conforme a denúncia foi Douglas que levou os atiradores até o local da festa.

O caso - A bebê Maria Clara chegou a ser socorrida, mas morreu no posto de saúde do Bairro Aero Rancho. Marcos e Elvis fizeram pelo menos 12 disparos que atingiram cinco pessoas. Na época, ficaram feridos José Atanazio Soares, 80, Heleno Escobar, 52, Wanderson Escobar Soares, 27, José Atanazio Escobar Soares, 29, e Jorge Lhopes Barbosa, 52. A bisavó da menina morta, Irene Maria da Conceição Silva, 72 anos, passou mal com a notícia e faleceu logo após o crime.

Acusados de matar criança de 2 anos no Batistão serão julgados amanhã
Quatro acusados de matar a tiros Maria Clara Silva Santos, de 2 anos, ao chegarem em uma festa já efetuando vários disparos de arma de fogo, no Jardi...
Corpo em decomposição é encontrado perto de plantação em chácara
João Xito Rivas Arguelho, 65 anos, foi encontrado morto perto de uma plantação de mandioca na tarde deste sábado (16), em chácara localizada na BR-06...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions