A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 23 de Janeiro de 2018

27/05/2013 18:02

Sindicalista denuncia Bernal ao MPE por financiar chapa em eleição

Aline dos Santos
Tabosa afirma que Bernal transferiu servidores e faz esquema para ganhar comando de sindicato. (Foto: Marcos Ermínio)Tabosa afirma que Bernal transferiu servidores e faz esquema para ganhar comando de sindicato. (Foto: Marcos Ermínio)

A uma semana da eleição no Sisem (Sindicato dos Servidores Municipais de Campo Grande), o clima é de disputa e denúncia. Hoje, o atual presidente do sindicato, Marcos Tabosa, que é candidato, acionou o MPE (Ministério Público Estadual) e a Câmara Municipal para denunciar que o prefeito Alcides Bernal (PP) está financiando uma das chapas adversárias.

Segundo Tabosa, os integrantes da chapa 2, liderada por Pedro Felix de Souza, foram designados para a secretaria de Administração, num sinal de proximidade com a atual gestão municipal.

Sobre repasse de dinheiro, o sindicalista anexou um e-mail. A mensagem tem como assunto "Orçamento Campanha Sisem" e teria sido enviado de Pedro Felix para Juliano Gogosz de Oliveira, que desde 24 de janeiro foi nomeado para cargo em comissão de assessor-técnico na secretaria municipal de Governo e Relações Institucionais.

No e-mail, que não traz o endereço de destinatário e remetente, Pedro Felix aponta que as despesas serão de R$ 35.570. O total inclui locação de três carros por 30 dias (R$ 9.300), 600 litros de gasolina (R$ 1.770), mil camisetas (R$ 10.900), cem adesivos para carros (R$ 8 mil) e dois mil vale-transporte (5.600).

Na observação, consta que o “esse orçamento poderá ser revisto, ficando à disposição, para ajudar no que puder”. A mensagem é datada de 7 de maio de 2013. Num comparativo, Tabosa afirma que o gasto de sua campanha será de R$ 900.

Em outro e-mail, onde aparece os endereços eletrônicos de Pedro Felix e Juliano Gogosz, o candidato da chapa 2 envia 35 nomes de servidores com lotação e telefone. A mensagem é do dia 24 de maio. No dia 23 de maio, Pedro Felix envia e-mail para Juliano Gogosz, com 37 nomes de servidores que precisam ser liberados.

Conforme Marcos Tabosa, outra irregularidade foi a cedência de Rodolfo Carlos Ferreira. Ele é agente comunitário de saúde e foi cedido no mês de fevereiro para a secretaria municipal de Administração. “Essa cedência só pode ser feita com licença classista. Agente de saúde não pode ser cedido, senão uma área, com 150 famílias, fica descoberta”, afirma. A estratégia ainda incluiria não liberar todos os servidores para o voto no dia 3 de junho, data da eleição, mas somente aos que forem a favor da chapa 2.

Segundo Tabosa, as denúncias chegaram ao sindicato de forma anônima e já haviam sido feitas ao MPT (Ministério Público do Trabalho). Hoje, os documentos que acusam Bernal de querer transformar o sindicato em filial de seu gabinete foram entregues à 30º Vara de Justiça, cujo titular é o promotor Alexandre Pinto Capiberibe Saldanha.

Esquema – Marcos Tabosa também denunciou que o prefeito se apropriou do dinheiro da contribuição sindical nos últimos dois meses e do imposto sindical, descontado no mês de março. No primerio caso, o repasse seria R$ 58 mil, que deveria ser depositado na conta do sindicato no banco HSBC. Já o imposto equivale a R$ 350 mil, repassado para uma conta em agência da Caixa Econômica. Segundo Tabosa, o sindicato está sobrevivendo com auxílio da UGT (União Geral dos Trabalhadores).

O esquema consistiria em repassar o dinheiro retido para a campanha da chapa 2 e para a CUT (Central Única dos Trabalhadores) e, depois, com a vitória, a nova direção apontaria que o dinheiro chegou normalmente à conta do Sisem.

Em 24 de abril, devido a impasse sobre o período do mandato dos atuais dirigentes sindicais, o MPT recomendou a Bernal que suspendesse os repasses ao Sisem . No dia 30 de abril, o MPT solicitou que decisão anterior perdesse o efeito.

A eleição - Três chapas estão concorrendo, uma presidida pelo atual presidente, Marcos Tabosa, outra liderada por Pedro Felix e a terceira encabeçada pela servidora Elvira. O Sisem tem 2,9 mil filiados e orçamento anual em torno de R$ 750 mil. Além de sede própria, o Sisem tem Clube de Campo e estrutura administrativa de apoio aos associados.

Acordo na Justiça põe fim a litígio e Sisem marca eleição para 3 de junho
Após brigas e disputa, um acordo vai garantir nova eleição para escolher a nova diretoria do Sisem (Sindicato dos Servidores Municipais de Campo Gran...
Presidente do sindicato dos servidores entra na Justiça contra Bernal
O presidente do Sisem (Sindicato dos Servidores e Funcionários Municipais), Marcos Tabosa, entrou na Justiça contra o prefeito Alcides Bernal (PP) pa...
Sisem confirma assembleia e não descarta greve dos agentes de saúde
O presidente do Sisem (Sindicatos dos Servidores e Funcionários Municipais de Campo Grande), Marcos Tabosa, confirmou a realização de assembleia com ...


Bernal, votei em voce, continua acreditando que voce fará de Campo Grande uma cidade melhor, mas não se envolva em eleição sindical querendo que até as entidades sindicais fique no seu comando, para com isso, afinal vivemos em uma cidade democratica.
 
JOSE M COSTA em 28/05/2013 09:35:41
Sou sindicalizada e até agora não sei quem é quem cade o debate dos candidatos.
 
Maria de Lurdes em 27/05/2013 18:34:29
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions