A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

28/01/2015 17:20

Tapa buraco, alvo de polêmico vídeo, movimenta R$ 137,4 milhões em 2015

Porteiro flagrou funcionários de empreiteira fazendo serviço sem necessidade em circuito interno

Juliene Katayama e Edivaldo Bitencourt
Asfalto reconstituído sem buraco (Foto: Alcides Neto)Asfalto reconstituído sem buraco (Foto: Alcides Neto)

Com fortuna destinada para as operações de tapa buraco, a Prefeitura de Campo Grande enfrenta a polêmica de pagar por serviço realizado indevidamente. É o caso da Rua Jornalista Marcos Fernandes Hugo Rodrigues, no Parque dos Poderes, que foi recapeada sem precisar. Um vídeo, divulgado ontem, pôs fogo na polêmica denunciada nos últimos dias pelos moradores, de que empresas estão cobrindo buracos fictícios. Só neste ano, o serviço deverá movimentar R$ 137,4 milhões.

Um vídeo circula na rede desde ontem de pessoas indignadas com o serviço de tapa buraco pela empresa Selco Engenharia em uma rua onde não havia danos no asfalto. A produção foi feita do celular do porteiro de um condomínio de alto padrão, Eder Palermo, 39 anos, que gravou imagens das câmeras de segurança.

“Nunca tinha visto isso. Na hora que o caminhão estava passando eu estava trabalhando, quando verifiquei o sistema de câmera, vi o rapaz fazendo o desenho no chão e logo veio caminhão jogando massa asfáltica. Mas aquela rua não tinha buraco”, explicou o porteiro que trabalha no local há mais de cinco anos.

Esta atividade movimenta milhões de reais por ano. Para 2015, o orçamento previsto para o serviço foi definido em R$ 137.488.419 para tampar 11.976.588 metros quadrados de buraco na Capital. O problema é quando se pagar por algo que não resolve o problema da sociedade. A Prefeitura, por meio de nota, admitiu que o pagamento é feito de acordo com o serviço executado.

A cada ano, a metragem de tapa buraco só tende a aumentar. Para o ano que vem, está previsto a realização de 12.425.710 metros quadrados, um aumento de 3% de área. Em 2017, o fim do mandato do prefeito Gilmar Olarte (PP), será feita 38.352.293 metros quadrados de reconstituição asfáltica.

Segundo a prefeitura, a empresa foi notificada pela Seintrha (Secretaria Municipal de Infraestrutura, Transporte e Habitação) e foi solicitado apuração dos fatos.

A Selco Engenharia informou por nota que já identificou e demitiu o funcionário flagrado no vídeo cobrindo o asfalto com manta asfáltica sem necessidade. “Também, ao realizar as diligências iniciais, apurou-se que o ex-colaborador teria agido com dolo e má-fé”, informa a empresa.

Além disso, a Selco ressalta que “nunca orientou o funcionário a agir da referida maneira e que condena a referida prática, estando tomando todas as medidas ao seu alcance para a correta punição e assegurar que fatos lamentáveis como esse não voltem a ocorrer”.

Conforme a nota, a “empresa assumirá a perda do material empregado indevidamente, a fim de que não haja qualquer prejuízo à Prefeitura”. E ainda, vai instaurar sindicância e registrará boletim de ocorrência para apuração de eventual prática criminosa.

Contradição - Eder até brinca com a situação. Ele mora na região do Nova Lima e fala que na região tem muitos defeitos no asfalto. “Moro no Nova Lima e tem bastante buraco, tenho de escolher o menor buraco para passar”, brinca.

Depois de gravar as imagens do circuito interno, revoltado com a situação, Eder pediu autorização para divulgar. Por isso a demora de cinco dias para a divulgação das imagens. “Como gravei do circuito interno que é de responsabilidade do condomínio eu precisei de autorização. Daí publiquei ontem no Youtube, Facebook e Whatsapp”, contou.



Empresa SELCO tenha misericórdia de nós, sabemos que o roubo já está institucionalizado mas ajuda a gente aí, pelo menos tapa o buraco. Sabemos que não adianta reclamar, que a gente não tem a quem recorrer, que estamos entregues nas mãos de vocês, de outras empresas, do prefeito e vereadores, sabemos também que o judiciário não vai fazer nada, mas em nome de Jesus pelo menos tapa o buraco. Cobre o quanto quiser, multiplique a planilha por dez, nós pagamos sem problema, é nosso dever pagar o seu lucro, mas por favor pelo menos tape os buracos. Não precisa tapar todos, só os mais profundos tipo 50 cms pra cima. Os mais rasos deixa para junho ou julho. Sabemos que é culpa do funcionário que inadvertidamente queria trazer lucros para a empresa sem consultar sua chefia. Chefia composta por homens probos e de uma lisura ética irrepreensível. Essa ação do Ministério publico contra a SELCO o ano passado é fruto da mania desse promotorzinho que quer aparecer à custa de uma grande empresa como é essa. Mas por favor, nós, o povo de Campo Grande implora: tape pelo menos os buracos.
 
Sergio em 29/01/2015 12:46:47
Pior é que estamos lotados de ruas precisando do serviço, Campo Grande tá um buraco só, ao meu ver não foi má fé do funcionario não, mas sim da empresa, afinal não é só uma pessoa que está fazendo o trabalho, tem dois no chão e um no caminhão, se não houver mais funcionarios que não dá pra ver no vídeo, isso me parece falcatrua da empresa mesmo e nossa prefeitura que não fiscaliza absolutamente nada, só paga a conta e desvia o seu, não faz nada pra variar...
 
Max em 29/01/2015 10:20:17
A quem possa em ter interesse em ler:
Muito fácil e prático dizer que demitiu o funcionário por ter agido de MÁ FÉ ou DOLO, mas pelo jeito a EQUIPE toda estava agindo de má fé, pelo vídeo percebe-se que são todos os colaboradores que fazem o procedimento. Creio que tenha cumprido ordens de algum superior, e agora querem jogar no LOMBO dos MENORES e dizer que agiu de má fé, tinha que ter caráter e assumir o erro, isso sim... É fácil acusar que os PEQUENOS, cometem os erros.... Uma vergonha ao proprietário ou quem seja o responsável pela empresa... Se o FUNCIONÁRIO souber de alguma coisa, seria o momento de vir a público e dizer.... O Brasil, só vai mudar , quando você quiser a mudança... Faça sua parte....
 
Martinez63 em 29/01/2015 08:10:10
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions