A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

31/08/2011 10:10

TJ mantém em liberdade lutador acusado de espancar vigia até a morte

Aline dos Santos
Airton está em liberdade desde 19 de julho. (Foto: Pedro Peralta)Airton está em liberdade desde 19 de julho. (Foto: Pedro Peralta)

O TJ/MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) manteve em liberdade Airton Colognesi Pinheiro, de 30 anos, acusado de espancar o vigia Adelson Eloi Nestor de Almeida, de 46 anos, até a morte.

Ele está solto desde 19 de julho, quando conseguiu liminar em pedido de habeas corpus. Nesta semana, a 1ª Turma Criminal manteve a decisão. O crime ocorreu no dia 7 de julho, no posto de combustíveis Antares, Jardim Seminário, em Campo Grande.

O posto estava fechado, mas Airton entrou no local para urinar e depois sentou na mesa de sinuca. Ele foi advertido pelo vigia. A discussão virou agressão e Adelson foi espancado até a morte.

À polícia, Airton disse que primeiro o vigia o atingiu com uma barra, não sabia se de ferro ou madeira, e que ele reagiu com socos. O acusado relatou que antes do crime tinha bebido cerveja.

Um casal que passava pelo local acionou a PM (Polícia Militar) ao ver que o homem alvo das agressões já estava inerte no chão. Inicialmente, as testemunhas afirmaram que o acusado usou a barra de ferro nas agressões, mas negaram em seguida.

Porém, laudo da perícia mostra que Adelson morreu em virtude de traumatismo craniano. As agressões, compatíveis com o uso da barra de ferro, abriram rachadura de 10 centímetros na cabeça da vítima.

Ao chegar ao IML (Instituto Médico Legal), o corpo trajava além da calças jeans, dois pijamas de moletom, indicando que o trabalhador estava preparado para enfrentar a fria jornada de trabalho. O vigia deixou dois filhos adolescentes.

Airton, que é programador de computador, já praticou jiu-jítsu e boxe. Ele foi preso em flagrante. A justiça determinou fiança de R$ 10 salários mínimos, mas a defesa de Airton alegou que ele não tinha recursos e recorreu ao TJ/MS.



Se essa pessoa está mesmo solta, o que vale a vida da gente??? Dez salarios mínimos???
 
valentina fernandes garcia em 31/08/2011 10:59:11
Se este individuo esta solto mesmo preso em fragante ao matar um trabalhador e pai de familia o que devemos esperar da justiça que afinal é paga por nos, Pelo jeito no Brasil breve teremos a Lei de Talião "Olho por Olho dente por dente"
 
Vanderley Batista Gomes em 31/08/2011 02:08:11
A impunidade gera violência, se um jovem cresce achando que se praticar um crime " não vai dar em nada" ele simplesmente vai praticar, que este caso não sirva como exemplo. Um vigia, um homem, um pai de família que estava trabalhando, perdeu sua vida, deixou seus filhos, sua esposa, nunca mais ele terá o prazer de contemplar a luz do sol, seus sonhos não serão mais realizados, não vai ver a formatura do seu filho, nem o nascimento do seu neto; e a pessoa que foi a causadora de tanta dor e perdas esta livre?
 
ANGELICA APARECIDA DA SILVA LOUVEIRA em 31/08/2011 01:52:38
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions