A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

19/02/2014 11:43

Três travestis roubaram corrente avaliada em R$ 85 mil, diz polícia

Graziela Rezende
Jóia roubada foi avaliada em R$ 85 mil. Foto: Marcos ErmínioJóia roubada foi avaliada em R$ 85 mil. Foto: Marcos Ermínio

As investigações de Deco (Delegacia Especializada de Combate ao Crime Organizado) apontaram a participação de três travestis no roubo de uma corrente de ouro avaliada em R$ 85 mil. O crime é investigado na Capital desde o dia 7 de janeiro e, durante buscas no bairro Campo Nobre, o investigador Dirceu Rodrigues dos Santos, 38 anos, foi executado, e o policial Osmar Ferreira, 39, foi ferido.

Segundo o delegado João Eduardo Davanço, um pecuarista de 28 anos conduzia uma caminhonete Hillux prata, por volta das 22h, na rua 7 de Setembro, quando foi abordado pelo trio. “A vítima disse que eles o abordaram e em posse de uma faca levaram a corrente”, afirma o delegado.

Desde então, a Polícia investigava os fatos. Quando surgiu a informação que o travesti Alexsandro Gonçalves da Rocha, 21 anos, estava vendendo a corrente por R$ 30 mil, valor muito inferior ao pertence, a Polícia forjou um encontro com o travesti para recuperar a jóia. “O policial Dirceu estava em pleno exercício das funções quando foi alvejado por Alexsandro e o seu irmão, Alexandre Gonçalves da Rocha, 19 anos”, diz o delegado.

Os outros, identificados como os irmãos Marcos da Silva Alves, 21 anos, vulgo Mayara, e Jeferson da Silva Alves, 19 anos, vulgo Darlene, foram presos na sexta-feira (15). “Jeferson foi o primeiro a ser preso e resistiu à prisão. Marcos ainda estava em posse de um facão na bolsa, o que reafirma a tese da vítima de que eles andam armados”, comenta o delegado.

Os irmãos Marcos e Jeferson, que ainda disseram à Polícia que geralmente roubavam os clientes, sempre que surgia a oportunidade, serão indiciados por roubo, receptação e pelos agravantes da posse da arma branca e resistência.

Outra versão: Ao contrário, os travestis dizem que o pecuarista não é vítima. “Ele parou o carro e nos levou para um programa. Fizemos tudo o que ele pediu, mas na hora de pagar os R$ 100 ele não quis, por isso sugerimos a ele para penhorar a corrente enquanto nos arranjava o dinheiro”, disse o travesti Alexsandro.

Sobre a vítima, Alexsandro diz que é uma pessoa que saía frequentemente com vários travestis e que posteriormente o ligou ameaçando de morte. “Ele falava que isso não ia ficar assim, que iria mandar me matar caso não devolvesse a corrente. Fui ameaçada de morte e minha família também”, finaliza o travesti.

 

Delegado comenta investigações da Deco. Foto: Marcos ErmínioDelegado comenta investigações da Deco. Foto: Marcos Ermínio
Trio fala sobre roubo da corrente. Foto: Marcos ErmínioTrio fala sobre roubo da corrente. Foto: Marcos Ermínio


Meu Deus que história esquisita...é muita coragem pra se envolver com umas figuras bizarras dessas, tem tanto travesti por ai com a aparência melhorzinha, tinha se se envolver justamente com esses dai kkkkkkkkkkk se for verdade mesmo essa conversinha!!!!
E a única vitima desse roubo, é o policial que perdeu a vida!!!!
 
cris alves em 19/02/2014 16:37:30
Acho que os travestis devem estar dizendo a verdade, pelo menos no que diz respeito ao encontro com o tal pecuarista. Aliás, além de mentiroso, é caloteiro, mas corajoso. Afinal, qualquer ser humano normal teria corrido com força ao ver essas três "meninas".
 
Renato Rios em 19/02/2014 16:21:40
Caso muito enrolado, tanto por parte dos travestis como por parte da policia, na primeira versão da historio os policiais que foram ao local não estavam trabalhando, mas como o trabalho investigativo é um trabalho que as vezes exige que o policial se desloque em sua propria folga....... agora o policial já estava em pleno exercicio das funções, a vitima é pecuarista, ou seja, não é tonto, como ele prefere deixar uma corrente de 80 mil ao inves de pagar 100 reais, sei lá, nesse angú tem caroço e de todos os lados, cade o pecuarista?
 
maximiliano rodrigo antonio nahas em 19/02/2014 15:09:23
Faça de açougueiro, quinze reais, programa com travesti, cem reais... corrente de ouro oitenta mil reais... ser acusado de habitualmente fazer programa com travestis, NÃO TEM PREÇO!!!!! Seria melhor ter ficado quieto e amargar o prejuízo!!!!!!!!!!!!
 
Moacir R. Souto Jr. em 19/02/2014 14:35:27
Brincadeira hein? Por isso os detetives foram investigar sem avisar os chefes, deveriam tá a serviço do nobre pecuarista.
 
Regisnaldo Marin em 19/02/2014 14:18:54
Detalhe para o objeto motivador de tudo isso: uma corrente de Nossa Senhora, que vale R$85 mil. É a contradição ambulante. A própria santa, se existisse de verdade, seria contra gastar tanto ouro pra fazer uma imagem dela, preferiria esses recursos direcionados para os necessitados.
 
Ricardo Farias em 19/02/2014 13:54:57
Essa "Darlene" é reincidente, já matou um homem com quem fez programa. Foi presa no início do ano passado e não ficou nem 1 ano presa porque era "primária". E agora?
 
hélade dorneles em 19/02/2014 13:33:52
É, caro "pecuarista"...
Seus "programinhas" com travestis custaram a vida de um Policial Civil, pai de família e profissional competente, que infelizmente teve que investigar o roubo de sua corrente de ouro... corrente que, aliás, não teria sido roubada caso o senhor segurasse um pouco mais seus impulsos sexuais por "travecos". Espero que o senhor esteja satisfeito com o desenrolar do caso e com a prisão dessas "bonecas" (que são horríveis, diga-se de passagem).
Olha, pra dizer a verdade, sei que o senhor foi vítima de assalto. No entanto, essa infelicidade não teria acontecido caso o senhor estivesse em sua casa, com sua esposa (ou esposo, tanto faz) invés de estar nas ruas tentando satisfazer suas perversões. Ou em que outra situação o senhor seria abordado e assaltado por 3 "travecos"??
 
Guaraci Mendes em 19/02/2014 13:21:13
Esses senhores são engraçados... saem com AS travestis e pelo jeito era conhecido por elas... quando é assim a esposa deu falta da corrente e ele começou a ameaçar pra te-la de volta. nada justifica o fato de terem matado o policial. Mas claro que fica mais fácil pro fazendeiro rico, casado, Pai de Família, e com um nome a zelar , falar que foi assaltado a confessar que saia com as Travesti pra se "divertir" pra não dizer outra coisa... Lamentável.
 
Rafael Gonzales em 19/02/2014 13:07:02
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions